A tecnologia está transformando a forma como os edifícios e a infraestrutura são projetados, construídos e operados. E com isso está ajudando a melhorar a tomada de decisões e o desempenho em todo o ciclo de construção e infraestrutura.  Estamos falando sobre a plataforma BIM (Building Information Modeling ou Modelagem da Informação da Construção), amplamente utilizada no exterior, mas ainda uma novidade aqui no Brasil.

Levando em consideração o fato de que o BIM está longe de ser auto-explicativo, é na verdade um conceito bastante complexo, alguns profissionais ainda têm muitas dúvidas sobre o assunto. Por isso, neste artigo, vamos nos debruçar sobre os pontos-chave, esclarecer o conceito e eliminar as dúvidas e equívocos mais comuns sobre o BIM. Confira!

Afinal, o que é BIM?

BIM (Building Information Modeling) é um processo inteligente baseado em modelo 3D que oferece aos profissionais de arquitetura, engenharia e construção (AEC) a visão e as ferramentas para planejar, projetar, construir e gerenciar projetos de infraestrutura de forma mais integrada e eficiente ao permitir a  construção de modelos de informação.

Na prática, quais são as vantagens?

Ao usar a plataforma BIM, designers, arquitetos e engenheiros podem criar um projeto de construção compartilhado com informações integradas em um formato que modela a estrutura e toda a linha do tempo desde o início até a eventual demolição.

Ele permite que profissionais responsáveis por diferentes áreas trabalhem em um único projeto de qualquer lugar do mundo. Ele condensa uma infinidade de informações sobre cada detalhe em um formato viável. Facilita testes e análises durante a fase de projeto para encontrar a melhor solução para um problema.

Isso torna mais simples a coordenação entre os membros da equipe e a manutenção de estrutura em todo o ambiente construído – e isso é apenas o começo.

Equívocos comuns sobre o BIM

O que é BIM? O que o BIM pode fazer? Como o BIM funciona? Bem, as definições do BIM nem sempre são tão diretas. Por isso, cada questão dessas envolve respostas múltiplas, o que abre a possibilidade para uma ampla gama de equívocos sobre o assunto.

Todas as fontes, incluindo os líderes da indústria, têm suas próprias definições de BIM, o que pode deixar os usuários com uma série de dúvidas.Vamos analisar alguns desses equívocos para desmistificar o que BIM realmente é.

#Equívoco 1: BIM é apenas para arquitetos.

Este é um dos equívocos mais comuns quando se trata do BIM. Tal como acontece com o CAD, é fácil assumir que o BIM é usado apenas para os arranha-céus que você vê ao dirigir pela cidade – mas também poderia ser aplicado no projeto da estrada na qual você está dirigindo.

A falácia de que o BIM é apenas para arquitetos decorre do simples fato de que as indústrias de construção e arquitetura foram as primeiras a adotar o processo. Mas a verdade é que o BIM é para todos. E pode ser usado para praticamente qualquer coisa no ambiente construído, incluindo:

  • Arquitetura e design de construção;

  • Engenharia civil e estrutural;

  • Energia e serviços públicos;

  • Estrada e engenharia rodoviária;

  • Paisagem e levantamento de terras;

  • Arquitectura offshore e marinha;

  • Engenharia de transporte ferroviário e metropolitano;

  • Tunelagem e arquitetura de metrô;

  • Planejamento urbano e design inteligente da cidade.

Percebeu como o BIM não é apenas para arquitetos?

#Equívoco 2: BIM é apenas uma ferramenta de design.

Enquanto o núcleo técnico do BIM é o seu software de modelagem 3D e gerenciamento de informações, não é apenas um CAD sofisticado. O software é muito similar, mas é importante fazer uma distinção.

Eu acho que muitas pessoas pensaram inicialmente no BIM como uma nova maneira de entregar um projeto, então eles estavam vendo isso como um substituto para produtos de CAD com alguns aprimoramentos adicionais.

Realmente, essa é apenas a ponta do iceberg. Quando você olha para o BIM, você deve olhar para ele, não apenas como a forma como entregamos nossos projetos, mas também como a maneira como interagimos e colaboramos e usamos a infinidade de ferramentas disponíveis atualmente. Um dos aspectos mais importantes do BIM é o tratamento que a informação recebe em um projeto.

Pois, para os especialistas BIM é tudo sobre a informação. Não é criar apenas um modelo 3D visualmente atraente de seu prédio – ele cria inúmeras camadas de metadados dentro de um fluxo de trabalho colaborativo. É perfeitamente possível criar um modelo CAD 3D com software BIM, deixando de lado as práticas de metadados e colaboração, mas você não pode criar um modelo BIM adequado sem o software CAD 3D, por exemplo.

Então, por que comparamos o BIM com outros softwares?

O software é como o BIM é promovido. Afinal, você não pode vender um fluxo de trabalho – cabe ao usuário estabelecer isso. O processo BIM requer o uso de um conjunto coerente de modelos gerados por computação e a maneira mais fácil de fazer isso é com um tipo de software que todos usam para acessar o mesmo projeto.

Para criar um modelo BIM adequado, você deve poder unir e combinar todas essas camadas de informações para vários sistemas de construção em um único modelo “mestre”. Isso é mais facilmente alcançado ao padronizar o software usado pelos membros da equipe para consolidar todas as informações relevantes, que é um princípio fundamental do BIM.

#Equívoco 3: o BIM vem em uma caixa.

Talvez você pensou que poderia entrar em um revendedor e pegar uma cópia do BIM. Fácil como torta, certo?

O problema com esta ideia é que, embora o BIM seja tecnicamente um tipo de software, isso não é tudo o que ele é. O BIM não é apenas uma ferramenta de design.

Os fluxos de trabalho de reestruturação são uma parte essencial do BIM. Para implementá-lo corretamente, você precisará do desejo e do compromisso de mudar a forma como você e os membros da sua equipe trabalham. Ajustar ao novo sistema não será fácil no início, mas valerá a pena em longo prazo.

BIM: uma tendência de mercado

Hoje, o BIM está intimamente ligado às maiores tendências de inovação do mercado. Observe o exemplo da Gensler, empresa internacional de design arquitetônico: cada escritório empresa usa a plataforma BIM, mesmo quando não é especificamente solicitado por um cliente.

“A Gensler fez um esforço conjunto para integrar a tecnologia BIM e processos em todas as áreas de atuação em todos os escritórios”, disse Michael Concannon, diretor de design digital regional da Gensler. “A taxa de adoção varia, mas nenhuma área de prática e nenhum escritório é imune ao uso da tecnologia BIM”.

Para a Gensler, uma empresa com projetos como a Torre de Xangai, o BIM é o caminho a ser seguido. Esse projeto particular, por exemplo, englobou várias restrições rigorosas durante o processo de design, o que exigiu a capacidade de projetar e analisar diferentes sistemas de forma rápida e eficiente. Qual foi a resposta? Bem, para a Gensler, a solução era a construção de modelos de informação.

Agora a empresa promove o uso do BIM entre sua clientela, enfatizando que a plataforma é útil para todo o ambiente construído, mesmo quando ocasionalmente a empresa encontra resistência de um cliente que não está familiarizado com o conceito.

Onde e como usar o BIM em sua empresa:

O BIM pode ajudá-lo a otimizar processos e melhorar a qualidade na gestão de projetos de empresas de diversos segmentos:

  • Arquitetura

Faça melhores decisões de design e colabore de forma mais eficaz ao longo do ciclo de vida do projeto.

  • Civil

Use fluxos de trabalho inteligentes e conectados para ajudar a melhorar a previsibilidade, produtividade e rentabilidade do projeto

  • Construção

Digitalize o seu site de construção e conecte as informações do projeto do projeto através da construção e entrega.

  • MEP

Melhore a qualidade do projeto MEP (mecânica, elétrica e encanamento) e colabore em tempo real para suportar o processo de entrega do projeto.

  • Estruturas

Explore como o design estrutural e o software de detalhamento o ajudam a conquistar novos negócios e oferecer suporte à entrega de projetos.

Gostou? Então, mãos à obra!

Nós exploramos os pontos de vista da indústria sobre o BIM e as várias abordagens para esta plataforma colaborativa. Também discutimos equívocos comuns e o porquê de serem incorretos. E vimos como o BIM pode ajudar uma empresa contribuindo para a gestão da inovação nos processos.

Isso nos deixa uma compreensão bastante sólida do que BIM é e do que não é, para que possamos encontrar uma definição essencial.

Bem, e agora  que você já entendeu que que o BIM é um processo que envolve o ato de construir algo colaborativo, seja relacionado à arquitetura, infraestrutura, engenharia civil, paisagismo ou outro projetos de grande porte, está na hora de ir para o próximo nível. Ou seja, mãos à obra e comece a usufruir dos benefícios do BIM! E se você ficou com alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários.