Multiplicadores de conhecimento: quem são eles dentro da sua empresa?

Toda empresa tem colaboradores que ocupam espaços mais centrais, que influenciam os demais. Esse é o caso dos multiplicadores de conhecimento, que compartilham conhecimentos relevantes com o restante dos colaboradores. Entre outras coisas, eles ajudam a informar e preparar a equipe para a implementação de mudanças, colaboram para a adaptação de profissionais que acabaram de entrar para equipe, repassam os pontos essenciais de treinamentos e cursos.

O papel de multiplicadores de conhecimento é muito importante e, por isso, não basta deixá-lo ao acaso. Você precisa saber identificar quem são esses multiplicadores dentro da sua empresa e aproveitar os benefícios que eles trazem para a organização.

Neste artigo, você irá conferir quem são os multiplicadores de conhecimento, por que eles são necessários e em quais situações eles podem agir.

Quem são os multiplicadores de conhecimento?

Você já sabe o que eles fazem: repassar conhecimentos para outros colaboradores. Mas quem são os multiplicadores, e o que eles têm de diferente em relação a quem não ocupa esse papel?

Em geral, multiplicadores de conhecimento são profissionais que já tem algum tempo de experiência naquela atividade, seja dentro ou fora da sua empresa. Eles também tendem a ser altamente engajados e curiosos, dispostos a aprender sobre todos os aspectos do negócio, e não somente sobre os aspectos em que ele atua diretamente. É devido a esses fatores que ele acumula mais conhecimentos do que outros colaboradores e, portanto, torna-se referência entre os demais. 

Porém, não basta ter o conhecimento. É preciso ter um perfil colaborativo, de maneira que o profissional não seja um concentrador de conhecimentos, em vez de um multiplicador. Além disso, é necessário ter boas habilidades de comunicação, para ser capaz de explicar diferentes tópicos de uma maneira simples, objetiva, que seus colegas possam entender.

Isso tudo é do ponto de vista do perfil de profissional. Do ponto de vista da empresa, o mais importante certamente é que o colaborador seja comprometido com a organização. Afinal, quando um multiplicador deixa sua empresa, isso não apenas modifica a estrutura do fluxo de conhecimento na equipe, mas também significa que ele vai levar consigo (talvez para um concorrente) informações relevantes. 

Por que multiplicadores de conhecimento são necessários?

O que não falta atualmente é informação livre, à disposição de todos. Aliás, a situação chegou a um ponto em que tornou-se um problema. Segundo Augusto Cury, por exemplo, sofremos da Síndrome do Pensamento Acelerado SPA: a quantidade de informações (e compromissos, e estímulos) é tão grande que temos dificuldade em afastá-las da mente, mesmo que por poucos minutos.

Porém, o fato é que a quantidade grande de informações que nos cerca não é uma vantagem se o fluxo não for adequado. É por isso que ter multiplicadores de conhecimento na empresa é uma medida estratégica, permitindo assegurar que informações relevantes cheguem às pessoas certas no momento em que elas precisam. 

Também vale a pena mencionar que a presença de multiplicadores ajuda a equilibrar a carga de trabalho dos gestores que, na prática, também são responsáveis por transmitir certos tipos de informações à equipe. Quando o gestor é a única referência para obter informações, ele acaba sendo procurado com frequência, o que pode afetar seu ritmo de trabalho. Ao dividir parte dessa responsabilidade, o gestor pode direcionar melhor seu tempo para atividades que somente ele pode desenvolver.

Por outro lado, os multiplicadores também tendem a apresentar uma disponibilidade maior para atender a equipe do que os gestores. Então, isso evita que os colaboradores fiquem esperando muito tempo por uma informação que poderia ser rapidamente obtida.

Além disso, existe ainda outro bom motivo para apostar nos multiplicadores de conhecimento: otimizar a disseminação de conhecimentos a partir de um investimento menor em cursos e treinamentos. Você oferece a atividade apenas para os multiplicadores que, então, encarregam-se de repassar o conhecimento aos demais. O que faz a diferença, portanto, é como esse “repasse” será feito.

Como os multiplicadores de conhecimento podem agir?

Não adianta formar uma equipe de multiplicadores de conhecimento se não houver os meios para que eles possam desempenhar seu papel dentro da organização. Confira alguns exemplos. 

1. Comunicação direta

A maneira mais simples pela qual os multiplicadores de conhecimento cumprem seu papel é respondendo a perguntas diretas trazidas pelos seus colegas. Para que isso seja possível, duas coisas são necessárias. A primeira é que esteja bem claro para todos na empresa quem são os multiplicadores, ou seja, quem são suas referências quando precisarem de ajuda. A segunda é que exista um ambiente organizacional propício para a comunicação entre os colaboradores, mesmo aqueles que não pertencem ao mesmo setor. 

2. Rodas de conversa

Essa é uma maneira informal para que os multiplicadores de conhecimento possam transmitir informações relevantes para o restante da equipe. Nessas rodas de conversa, os multiplicadores podem responder a dúvidas dos colegas ou apresentar informações novas, que ainda não são do conhecimento de todos. 

3. Alternativas criativas

Existem diversas alternativas criativas para o trabalho de multiplicar conhecimentos dentro das empresas. Algumas investem em programas nos quais os multiplicadores organizam e ministram seus próprios cursos para os outros colaboradores. Outras, adotam o formato de minipalestras gravadas, que podem ser disponibilizadas para que qualquer um da organização assista quando e onde quiser. Outras, ainda, apostam na elaboração de jogos e gamificação para estimular o aprendizado. 

Qual é a relação entre multiplicadores de conhecimento, programas de ideias e liderança?

Em geral, multiplicadores de conhecimento tornam-se figuras de liderança para os outros colaboradores, mesmo que não ocupem cargos de liderança. Isso acontece naturalmente pois, ao procurar com frequência os multiplicadores para obter informações importantes, os demais começam a vê-los como uma referência dentro da organização. Por isso, se você quer este comportamento intraempreendedor na sua organização, é essencial também deixar espaço para o desenvolvimento de lideranças naturais – em oposição a centralizar a liderança apenas nos gestores.

Outro ponto importante é que os multiplicadores de conhecimento, enquanto figuras de liderança, podem dar um grande apoio para o sucesso de programas de ideias da empresa. Eles disseminam informações sobre os programas e ainda incentivam a participação de todos. Assim, até mesmo o processo de inovação pode ser beneficiado pelos multiplicadores.

A sua empresa tem multiplicadores de conhecimento? Você adota medidas para incentivar o compartilhamento de conhecimento entre os membros da sua equipe? Colabore com a discussão, deixando um comentário nesse post!

Posts Relacionados
Um ecossistema de inovação é como um ecossistema natural: um conjunto de relações complexas. No
Você já parou pra pensar na definição do que é um desafio? Desafio são metas
O trabalho não é uma realidade fixa. Ele muda com o tempo, acompanhando outras mudanças

Deixe uma resposta