Está cada vez mais claro que desenvolver habilidades é um tarefa inadiável para empreendedores e gestores, seja para liderar, analisar ou executar. E a colaboração, assim como a empatia, por exemplo, é imprescindível na rotina de uma organização.

Mas o quê é colaboração e o quão ela é importante? São inúmeras as definições sobre essa habilidade, mas na prática poucas convergem com o mundo dos negócios. A definição “Trabalhar junto para gerar valor enquanto compartilha o mesmo espaço virtual ou físico”, de Evan Rose, no livro The Culture of Collaboration, é a que mais se adapta a realidade das organizações. Evan também enfatiza que as organizações que não colaboram de maneira eficaz, é porquê ainda estão presas à estruturas arcaicas, muitas delas criadas durante a era industrial. 

Em um programa de ideias a colaboração é indispensável, por lidar diretamente com a capacidade de pessoas e equipes gerarem ideias inovadoras para a organização. Entende-se que quanto mais contribuições acerca de uma ideia, maior é a possibilidade da ideia ser inovadora.

Entretanto, para que áreas como Recursos Humanos, Pesquisa & Desenvolvimento, Marketing, Operações, Inovação e TI compreendam melhor a importância da colaboração, falaremos sobre três pontos-chave e como trazer a colaboração para o dia a dia da sua organização.

1. ROMPA BARREIRAS E EMPODERE AS PESSOAS

Para que aconteça a colaboração em um programa de ideias (e ele seja exitoso) ou em qualquer outro processo, é necessário que a organização esteja disposta a sair da mesmice. Quebrar a rotina, se desprender de modelos ultrapassados, pensar fora da caixa e criar um ambiente onde todos – sem exceção – tenham voz.

Um exemplo é a americana Boeing, que projeta aviões com todos os engenheiros e operários juntos, buscando o entendimento comum do que funciona e o que não funciona, possibilitando uma simulação antes mesmo de um protótipo caro em tamanho real. Como resultado, a Boeing obteve uma redução de dois anos no ciclo de tempo gasto entre projetar e testar, economizando milhões de dólares.

2. CONSIDERE AS COLABORAÇÕES

Uma das premissas básicas das empresas que mais inovam no planeta é a de tomadores de decisão darem atenção às colaborações. De nada adianta você dar espaço e voz para que haja contribuições, sendo que elas não serão consideradas. Tenha em mente que as colaborações vão contribuir fortemente para um novo momento da organização. Elimine os bloqueios e garanta o grau de relevância das colaborações.

A 3M, por exemplo, uma das empresas mais inovadoras do mundo, consideram a colaboração como um princípio sagrado para a inovação. Funcionários e áreas são incentivados a colaborarem entre si, para alcançarem marcos e continuarem como um dos principais players de inovação. E não foi diferente, em 2014 a 3M ultrapassou a marca de 10.000 patentes, baseadas em 46 plataformas tecnológicas. O exemplo clássico é a fita crepe que combina diferentes tecnologias.

“Se a colaboração bater na porta da sua sala, deixe ela entrar.” (3M)

Outro exemplo interessante é o da Deloitte, consultoria com mais de 250 mil funcionários e presente em 150 países, onde todos os consultores tem liberdade para contribuírem nos desafios da organização. Por ser uma empresa de atuação global, os colaboradores compartilham entre eles os problemas e soluções, até com o propósito de anteciparem algo que possa vir acontecer em outra região. 

Ou seja, permitir que as colaborações aconteçam e acreditar nelas é um fator crucial, seja em um programa de ideias ou em qualquer outro processo.

3. DISPONIBILIZE MEIOS

Há várias formas de incentivar a colaboração em uma organização. De eventos presenciais e digitais (fóruns, hackathons, webinars) à programas de ideias. Para que a colaboração aconteça, além de oferecer os meios, conte com as pessoas

Em um programa de ideias, um software é essencial para o sucesso do programa. Através de uma plataforma que tenha funcionalidades como gamificação, indexação de arquivos, interação através de comentários e curtidas, análise e priorização de ideias, processo de aprovação flexível e indicadores, será possível envolver todos os colaboradores e obter deles um alto nível de engajamento nos desafios da organização.

CULTURA, ESTRUTURA, PESSOAS E TECNOLOGIA PARA NOVOS CAMINHOS

Ferramentas apenas otimizam a colaboração, mas elas raramente criam um ambiente de colaboração, quando não há a uma cultura e estrutura favorável. Organizações onde a cultura e a estrutura organizacional incentiva as pessoas a colaborarem entre elas, tomar decisões em conjunto e melhorar processos, produtos e serviços, independente do nível, função ou região, geram um valor incrível para as mesmas.

Sabendo da importância dessa habilidade, é hora de diagnosticar sua empresa (organização e pessoas) para saber se a colaboração está presente. E se não estiver, é hora de adotar para sair na frente, obtendo grandes ideias de toda sua equipe.