O profissional inovador e as suas características

Característica inovadora não é uma propensão genética ou algo inato. O profissional inovador, na verdade, deve desenvolver sua criatividade e capacidade, se quiser se destacar em seu segmento. 

A inovação é geralmente associada a negócios disruptivos, a empreendimentos realmente revolucionários para o mercado. É o caso de empresas como a Apple ou a Amazon, que trouxeram novos paradigmas. No entanto, não são só de inovações únicas que o profissional inovador surge. Em um mercado cada vez mais competitivo, ter um pensamento fora da caixa pode auxiliar não somente seus processos, mas garantir a sustentabilidade de seu negócio.

Portanto, toda a empresa se beneficia e se engaja a partir de um pensamento inovador. Assim, saber entender quais são as características, elementos e processos criativos de um profissional inovador é imprescindível. Você está pronto?

Quais são as competências de um profissional inovador?

Dois terços de nossa capacidade criativa tem origem em um roteiro básico. É o que dizem os pesquisadores Jeff Dyer, Hal Gregersen e Clayton M. Christensen, autores do livro O DNA do Inovador (The Innovator’s DNA). Sendo assim, é possível praticar e desenvolver confiança em suas próprias capacidades ao trabalhar esses elementos. Na pesquisa, foram destacadas as seguintes ações:

1. Associar

Considerada a principal característica de um profissional inovador. Ter a capacidade de associação envolve dar lógica e coerência às informações recebidas, é conectar recursos e sintetizá-los em uma solução inovadora que garanta uma vantagem valiosa para a empresa. É poder enxergar duas questões de uma forma totalmente nova e gerar novas descobertas. 

Essa capacidade é especialmente importante em momentos de instabilidade, pois permite que se crie alternativas diante de crise ou de dificuldades. Por meio dela, novas ideias partindo dos mesmos recursos disponíveis podem ser geradas, bem como soluções para questões complexas que envolvem o cotidiano das empresas. 

Por meio da capacidade de associação é possível que o profissional inovador descubra novos caminhos para a resolução de problemas e consiga antever oportunidades antes da concorrência. Portanto, esse tipo de profissional, ao exercer a capacidade associativa consegue encontrar um equilíbrio entre o imaginar e o executar; dando, assim, vasão e concretude para os projetos empresariais.

Para que a capacidade de associação floresça, é importante promover a intersecção de diferentes campos do conhecimento. Afinal, quanto maior o repertório criativo, mais capacidade do pensamento associativo poderá ser desenvolvida.

2. Questionar

Inovadores são descobertos pelo incessante questionamento daquilo que já é estabelecido. Dentre esses questionamentos, pretende-se promover a experimentação e o trabalho com novas hipóteses. O questionamento, além de parte de um profissional inovador, é um elemento que gera novos insights. A partir do questionamento, diferentes inputs e ideias podem ser incentivadas.

Portanto, a chamada Síndrome de Gabriela (“sempre foi feito assim, vou fazer assim…”) não faz parte do comportamento do profissional inovador. 

Claro, apenas questionar por questionar, sem um objetivo ou proposta de melhoria não gera valor nem inovação. Esses profissionais, ao perceberem um gargalo ou uma oportunidade, conseguem criar alternativas viáveis e executáveis dentro dos contextos das organizações, gerando melhoria contínua em seus processos.

3. Observar

Uma mente inovadora prima por ser detalhista. Afinal, todos os processos dependem de uma visão analítica e precisa de todo o ambiente em seu entorno. Observar produtos, serviços, tecnologias e processos é o ponto de partida para que novas ideias surjam.

Esse profissional, portanto, está sempre em busca de atualização e de dados e informações que gerem inteligência e um repertório que o auxilie em seus processos decisórios e criativos.

4. Networking

Ser um profissional inovador envolve se arriscar. Isso inclui desafiar-se socialmente. O networking de uma mente inovadora vai além da esfera convencional e busca pensamentos opostos e conflitantes.

É a busca por mentes e conceitos diversos que incentivam novas perspectivas e a criação de uma bagagem cultural ampla e diferenciada.

5. Experimentar

A experimentação é a constante busca por novas formas de realizar algo da melhor forma. Novos lugares, ideias e aprendizados tornam-se pontos de contato para que a inovação surja. Esses profissionais aprendem com seus erros, a possibilidade de errar não os limita, eles correm riscos calculados.

Outro ponto a ser destacado que contribui para que todas essas competências apareçam é a chamada coragem de inovar. Ao examinar figuras inovadoras, como Larry Page e Steve Jobs, um fio condutor foi percebido entre os escritores. No caso, há um trabalho constante de evitar o status quo.   

Profissionais inovadores quebram ditos populares como “em time que está ganhando não se mexe”. Armadilhas cognitivas como essas impedem que práticas inovadoras surjam. Por isso, as competências que formam a descoberta (questionar, observar, experimentar, conversar) são 50% mais exercitadas por mentes inovadoras.

Além das competências, em O DNA do Inovador, é importante compreender o profissional inovador como o resultado de boas – e contínuas – práticas. Ao trabalhar esses elementos, vale sempre considerar quais processos permitem que competências como essas se desenvolvam.

Um ponto que vale ser citado como um exemplo de boa prática é garantir um espaço seguro para erros. Questionamentos, associações e experimentações não ocorrem isoladas de falhas, especialmente em um ambiente profissional. 

Por isso, o profissional necessita ter, em seu processo criativo, um acompanhamento. Assim, o erro pode ser redirecionado como uma forma de alcançar o sucesso dos objetivos empresariais.

Profissionais inovadores e a cultura de inovação

Nenhuma inovação tem continuidade isolada. Sendo assim, um profissional inovador não possui utilidade alguma se o ambiente ao seu redor não construir e desenvolver isso no direcionamento ideal. Promover uma cultura de inovação nas empresas permite que todos trabalhem para tornar esse desenvolvimento uma prática estruturada e bem-vinda.

É importante que as pessoas possam trabalhar para solucionar problemas conjuntamente. Uma abordagem com base em proatividade permite que os colaboradores explorem o potencial de seus recursos e talentos próprios. 

Exemplos claros de problemas que transformam e melhoram o ambiente ao redor do profissional fazem com que a inovação deixe de ser abstrata e passe a ser uma cultura abraçada e incentivada.  

O valor de ideias inovadoras não vem de processos isolados ou apenas de cargos gerenciais. Os profissionais inovadores surgem em diversos pontos do processo. Por isso, é imprescindível que a cultura de inovação seja introduzida de forma horizontal, de modo a atingir a todos os colaboradores e processos organizacionais.

Conclusão

Saber identificar e trabalhar características comuns a pessoas inovadoras faz com que a empresa possa assumir isso como um processo. Esse processo, por sua vez, faz com que os colaboradores ativamente inovadores se destaquem.

Práticas para ampliar o networking também ajudam a direcionar essa inovação. Preparar a empresa com sistemas que organizem redes de contato, por exemplo, pode ser uma boa forma de incentivo. 

A interação e a troca de ideias entre profissionais é parte crucial de uma cultura de inovação. Isso faz com que um cenário colaborativo possa se expandir e efetivamente resolver soluções voltadas a seu mercado.

O compartilhamento de novos insights é essencial para que um profissional inovador possa ser estimulado a investir nas características que o formam. Preparado para saber como trabalhar essas competências em sua empresa? 

Sua gestão ou gerência conta com profissionais inovadores? E seus colaboradores e sua linha de frente, como estão sendo estimulados a contribuir para a cultura de inovação de sua empresa? Um profissional inovador é resultado de um trabalho que demonstre o poder da inovação e gestão de ideias. Continue acompanhando o blog da AEVO para saber mais sobre como transformar e melhorar profissionais por meio de uma gestão de inovação. Até a próxima!

Posts Relacionados
A cultura do empreendedorismo é benéfica não apenas para aqueles que querem começar o próprio negócio.
Você certamente já viu uma caixa de sugestões, já usou, ou já aplicou em sua
Não é muito difícil entender o que é endomarketing: trata-se de utilizar técnicas e ferramentas

Deixe uma resposta