O conceito de um Programa de Sugestões não tem uma origem precisa. Seja uma caixa de sugestões no castelo Edo em 1721 ou seja na Kodak de 1898, o motivador é o mesmo: gerar inovação. Após a Segunda Guerra Mundial, formas de geração de ideias começam a se popularizar. Pouco a pouco, o número de ideias nas organizações começa a aumentar, trazendo novos desafios de gerenciamento.

No cenário atual do mercado, muitos são os termos utilizados para falar sobre Programa de Sugestões. Empresas e especialistas utilizam termos como  Programa de Ideias ou Programa de Intraempreendedorismo, por exemplo. No final, todos são semelhantes no que são e fazem: potencializam insights de colaboradores para gerarem oportunidades e resolverem problemas!

Essas e outras denominações mostram apenas a forma como a geração de ideias e a inovação são compreendidas. E ambas são fontes para um processo contínuo de desenvolvimento de diferenciais competitivos. Necessidades do mercado geram ideias que, por sua vez, direcionam ações de desenvolvimento, pesquisa e marketing que alcançam o próprio mercado.

A seguir, apresentaremos os diferentes tipos de Programa de Ideias. Saiba mais sobre os diferentes modelos e sobre como organizar a geração de ideias em sua empresa. Acompanhe!

Modelos de Programas de Sugestões

Quando se fala de Programa de Sugestões, existem duas abordagens principais que são base para metodologias até hoje. Essas abordagens são conhecidas como o modelo ocidental e o modelo oriental. Como já vimos, o período pós Segunda Guerra Mundial foi importante para a adoção de Programas de Sugestões. No entanto, isso não significa que já não existiam sistemas de Programas de Sugestões em desenvolvimento.

Modelo Ocidental de Programa de Sugestões

O modelo ocidental, também chamado de abordagem tradicional ou norte-americana, é fortemente caracterizado por seu estímulo à geração de ideias. Nesse caso, a busca por ideias inovadoras e geniais é estimulada por recompensas econômicas. A forma como a remuneração da recompensa é feita pode variar. De acordo com a forma que o sistema é estabelecido, pode ser uma quantia já negociada. Ou, ainda, um percentual sobre os ganhos que a empresa terá ao implementar a ideia.

O processo do modelo ocidental parte da análise das ideias que são verificadas para que possam trazer benefícios para a empresa. Após essa análise, é realizada a aprovação e a autorização dessa ideia pela administração competente. Nessa etapa, é importante a verificação de sua viabilidade técnica e econômica. Ou seja, são considerados os investimentos e os retornos que poderão ser gerados a partir dessa ideia.

A prioridade na seleção e geração de ideias está em seus benefícios. Nesse caso, a gestão de inovação deverá oferecer ferramentas que possam mensurar e elencar os principais benefícios. A implementação das ideias selecionadas é realizada por um projeto de inovação com um planejamento já definido. Dessa forma, os recursos, as metas e os prazos já são definidos para que a ideia gere resultados.

Por conta dessa qualificação no sistema, a gestão do modelo ocidental é menos exigente. Isso ocorre, também, por conta da geração de ideias mais controlada e por deixar que os colaboradores tenham a iniciativa e sejam recompensados economicamente. Com isso, os sistemas podem ser implementados mesmo sem a necessidade de uma vinculação com o modelo de gestão da empresa.

Modelo Oriental de Programa de Sugestões

O modelo oriental, ou a abordagem japonesa, tem como sua principal característica a contribuição voluntária de todos os colaboradores. Diferentemente do modelo ocidental e de seus estímulos financeiros, as recompensas são simbólicas e com o objetivo de reforçar e otimizar o processo interno. Por não priorizar apenas ideias que geram resultados, o modelo oriental pode gerar maiores resultados econômicos.

Isso porque o principal objetivo do modelo oriental tem sua base na filosofia kaizen teian (do japonês, kaizen = melhoria contínua e teian = proposta/sugestão). Com a participação de todos os funcionários, o modelo oriental busca um clima favorável para a solução de problemas rotineiros. Na filosofia do kaizen, quanto maior a participação de todos, maior será a acumulação de conhecimentos.

A sugestão é o ponto de partida para colocar o kaizen em prática por meio das atividades que serão exercidas pelo grupo. O processo dessa abordagem exige que haja um controle de qualidade que possa colocar a filosofia do kaizen em prática. Acima disso, é preciso que haja um incentivo à participação e colaboração entre os funcionários. A inovação contínua no modelo oriental, sob a filosofia do kaizen teian, anda de mãos dadas com a melhoria do ambiente interno.

O Programa de Sugestões ideal

O modelo ideal do Programa de Ideias para cada empresa não é uma resposta exata. Por isso, é preciso que haja uma análise da cultura interna da organização pelos responsáveis pelo programa. Dessa forma, é possível descobrir qual abordagem está mais alinhada com seu modelo de negócio e organização.

Para que a geração de ideias seja eficiente, é importante atentar aos seguintes aspectos do Programa de Ideias:

  • Objetivo do Programa: é preciso que o objetivo do Programa de Ideias (modelo ocidental e oriental) esteja alinhado à estratégia da empresa.

  • Recompensas: as recompensas – financeiras ou simbólicas – são importantes para que o engajamento pessoal tenha sucesso. É preciso que as técnicas utilizadas para engajamento, como conquistas e prêmios, estejam de acordo com as expectativas dos colaboradores.

  • Participantes: é importante saber se o Programa de Ideias gera maiores resultados de acordo com o número e a qualificação dos participantes. Modelos ocidentais tendem a restringir as ideias e, por consequência, as pessoas mais capacitadas em seu sistema. Já modelos orientais buscam o maior número possível de colaboradores, independentemente do cargo e de sua qualificação.

  • Fluxo de Aprovação: é necessário que o sistema possa ter a aprovação de sugestões de acordo com a realidade da empresa. Alguns modelos, como os ocidentais, exigem a aprovação de altos escalões da empresa. Modelos orientais, por sua vez, permitem que gerentes e pequenos gestores dentro da organização tenham autonomia para aprovar e implementar as ideias geradas.

É importante que as regras do programa sejam estruturadas de acordo com o que poderá gerar melhores resultados para a empresa. Outro ponto que precisa ser citado é em relação à flexibilidade do Programa de Sugestões.

O programa de ideias evolui na mesma medida em que suas normas evoluem, acompanhando o progresso da própria cultura de inovação da empresa.

Organizando seu Programa de Ideias

Para que a empresa tenha um Programa de Ideias que gere resultados e contribua efetivamente com a inovação, existem obstáculos. O maior deles geralmente está em gerenciar o Programa de Ideias em si. Nem toda gestão está preparada para lidar com a geração de ideias de uma forma organizada e efetiva.

Com as soluções da plataforma AEVO Innovate, é possível implantar e gerenciar todos os diferentes modelos de Programa de Ideias. Em primeiro lugar, a empresa tem à disposição uma plataforma responsiva. Ou seja, toda a organização pode contar com uma interface completa e de fácil utilização para colocar seu Programa de Ideias em prática.

Além disso, a customização da plataforma AEVO Innovate permite que sua estratégia de inovação possa estar alinhada com seu negócio. A solução permite uma rápida análise, aprovação e implantação de ideias, e de diferentes modelos de Programa de Sugestões.

Você tem interesse em potencializar ideias e aumentar o engajamento de seus colaboradores? Conheça as funcionalidades da AEVO Innovate e saiba como ampliar seus resultados!