As 10 Regras Básicas da Inovação

10 regras basicas sobre inovação - capa

A inovação é fundamental para a sua sobrevivência, Independente do tamanho, sendo uma empresa grande ou pequena. Pois só assim é possível se tornar competitivo e obter os melhores resultados.

Dentre as formas de inovar, a inovação incremental também tem seu destaque. Muitos acham que inovar é criar do zero, o que não é uma verdade absoluta. Pois é possível criar em cima de algo, ou seja, melhorar algo que já existe. 

Ter ótimas referências bibliográficas é fundamental para se manter inovando. O livro As Regras da Inovação é uma ótima dica para quem quer aprender mais sobre a inovação.

Confira abaixo as 10 regras básicas da inovação

 

1 – Liderança sólida

Liderar é, com toda a certeza, uma das habilidades mais importantes nas organizações. Por meio do carisma e da empatia, o líder consegue dialogar com todos os níveis da empresa. É fundamental que o líder exerça uma liderança sólida sobre os rumos e decisões que dizem respeito a inovação, bem como na gestão de projetos.

É função dos líderes orientar, motivar, promover e até excitar atividades voltadas para a inovação. Por isso, é fundamental abastecer toda a equipe com informações e conteúdo, da mesma forma como referências bibliográficas.

Dentre todas as regras básicas de inovação, a liderança se diferencia. Isso por que a perspectiva de modelo de negócio é tão fundamental quanto a da inovação tecnológica. 

2 – A inovação como mentalidade de negócio da empresa

Já ficou claro que a inovação é primordial para o futuro de qualquer empresa. Grandes negócios só se mantêm por serem disruptivos, ou seja, por pensarem fora da caixa. Porém, aqui no Brasil ainda não existe uma cultura de inovação tão presente, o que acaba dificultando muito.

Integrar a inovação à mentalidade das empresas e na gestão de projetos é de suma importância para se alcançar os melhores resultados. A inovação é vista por dois pontos: tecnológica e estratégica.

A tecnológica diz respeito a pesquisas e ao desenvolvimento de novos produtos. Já a estratégica é a definição do modelo de negócios e gestão de projetos.

Por isso, para ser uma empresa inovadora, é fundamental ter recursos, competências e experiências enraizados na cultura da organização. Apesar de toda ajuda de fora ser importante, é essencial que ocorra de dentro pra fora, não o contrário.  

 

3 – Inovação alinhada com a estratégia de negócio

Deve-se sempre alinhar a estratégia de inovação com o contexto do negócio da organização. Ou seja, a empresa precisa entender a sua situação e se organizar de acordo. Afinal, a inovação não é uma ciência exata, ela é única para cada tipo de empresa e segmento.

Atrelado a isso, vem a capacidade da organização em sustentar essas novas formas de inovar, pois querendo ou não, a demanda muda.  

 

 

4 – Criatividade x Captação de Valor: Mantenha o Equilíbrio

Administrar a tensão que existe entre a criatividade e a captação de valor é fundamental. A inovação necessita de pensamentos fora da caixa. Mas também de uma gestão de projetos que consiga absorver uma grande quantidade de ideias. Isso requer processos estruturados e uma administração sublime.

Uma metáfora que se encaixa perfeitamente aqui é a do diretor de cinema. Por mais que ele esteja cercado de artistas com as mais variadas subjetividades, ele é o responsável para que o filme dê certo. Não é só de ideia boa e belas atuações que se faz um filme, é com muito trabalho e planejamento também.

Por isso, é fundamental manter o equilíbrio entre liberdade e disciplina. 

 

 

5 – Neutralizar tudo que é capaz de minar boas ideias

A mudança assusta. Quanto mais radical é a inovação, mais ela incomoda. Muitas empresas passam por esse problema, ainda mais quando ela já está estabelecida no mercado e dando resultados. Mas é fundamental que os executivos dessas corporações entendam que mudar faz bem. E que isso não quer dizer que o que está dando certo deverá acabar, mas sim melhorar.

Criar a cultura da inovação é um desafio. Por isso, faça isso aos poucos, deixe que todos absorvam tudo da forma mais natural possível. 

 

 6 – Redes internas e externas de inovação

Inovação requer um desenvolvimento e manutenção. Pois o natural do ser humano é procurar o mais cômodo, o mais seguro. Busque sempre referências bibliográficas para que a cultura da inovação esteja sempre presente e ativa. Utilize todas as ferramentas dos softwares de gestão de projetos. Assim, os resultados serão alcançados de forma simples e objetiva.

Existem muitas empresas que se dizem inovadoras que criam forças tarefas para projetos pontuais. Isso pode até gerar resultados de imediato, mas a longo prazo está fadado ao fracasso. Pois a cultura da inovação não chega em todos os setores da empresa, fazendo com que não seja algo orgânico. 

 

7 – Inovação gerenciável com os indicadores corretos

Incentivar a inovação através de metas não é sempre o melhor caminho. Isso porque, em muitos casos, os gestores preferem não arriscar muito para garantirem um melhor resultado. E isso é exatamente o oposto. Essa é a hora de errar, de arriscar, de tentar o novo.

Por isso, busque indicadores corretos para gerenciar a inovação. Crie ambientes que valorizem o risco, isso a trará, de fato, para dentro da empresa. Deixe esclarecido para todos os envolvidos como funciona o processo e sua estrutura, assim as ideias irão fluir naturalmente. O AEVO Innovate pode te auxiliar nesse processo, já que nele você centraliza todas as informações.  

faça do programa de inovação da sua organização uma máquina de ideias | solicite demonstração | AEVO Innovate

8 – Toda inovação tem rastros

Dizem que as andorinhas voando baixo é sinal de chuva. Se isso é 100% correto não sabemos, mas que a natureza sempre anuncia suas mudanças é um fato. Isso também acontece com a inovação, ela nunca chega do nada, de surpresa. Ela sempre deixa um rastro. Cabe aos gestores e líderes ficarem atentos e observar a chegada dessas mudanças.

9 – A boa inovação atende NECESSIDADES

Inovar por inovar não quer dizer nada. A boa inovação atender as reais necessidades de alguém, ela resolve um problema. Não adianta nada você começar um projeto que não tem um propósito definido. Busque sempre resolver algum problema. Mesmo que seja uma necessidade simples, ele é uma necessidade.

Empresas como o Airbnb começaram com uma ideia simples e comum e hoje são donas do mercado e valem mais que seus concorrentes que têm muitos mais anos de estrada.

10 – Não tenha medo de errar

A hora de errar é essa. Não existe uma gestão de projetos que não permita o erro. Você deve arriscar, buscar o novo, o diferente. Esteja sempre disposto a começar do zero, não se apegue a nenhuma ideia. Quem tem medo de errar não acerta. Quando mais você errar, mais caminhos terá percorrido e saberá o que de fato funciona ou não. Não existe inovação sem risco. Para diminuir os riscos, utilize o MVP em seus projetos.

 

Aprofunde seus conhecimentos

Esteja sempre em busca de aprender. Faça a inovação ser parte da sua rotina, viva isso todos os dias. Pesquise, estude e pergunte. Coloque tudo no papel e mãos à obra. Inovar é fazer, é executar. 

Se você tem dificuldade em algum aspecto, como a inovação incremental, pesquise sobre. Só não fique com dúvidas, aprofunde sempre seus conhecimentos. 

Posts Relacionados
Entendendo Open Innovation A inovação aberta ou open innovation é uma ferramenta que surge da
Ser empreendedor está a frente de possuir uma grande corporação e ter muitos bens. Empreender
Metodologia como Inovação Fazer o uso de metodologias de projeto reflete a inovação na cultura

Deixe uma resposta