8 exemplos de intraempreendedorismo para se inspirar

exemplos de intraempreendedorismo

O intraempreendedorismo é a iniciativa empreendedora que não é focada em iniciar uma organização própria e nova, mas que é voltada a colaborar para uma organização na qual o indivíduo já está inserido e da qual ele não é, necessariamente, o fundador.

A cultura do empreendedorismo é benéfica não apenas para aqueles que querem começar o próprio negócio. Empreender dentro das empresas permite que inovações sejam feitas e novos resultados possam ser alcançados. Chamamos essa visão de oportunidades e desenvolvimento de novas soluções a favor da organização de intraempreendedorismo.

Para entender mais sobre o intraempreendedorismo e sua importância, não deixe de ler também nosso artigo a respeito. Nele, você pode compreender melhor como incentivar o intraempreendedorismo e a inovação em sua empresa. 

O que você vai aprender neste artigo:

  • Tipos de Intraempreendedorismo: 
      • O que é Intraempreendedorismo de valor agregado?
      • O que é Intraempreendedor “spin off”?
  • Intraempreendedorismo na prática:
      • Gmail, da Google;
      • O botão “curtir” do Facebook;
      • Playstation, da Sony;
      • Intel e seus serviços;
      • Dreamworks e seu sistema de ideias;
      • Pesquisa e desenvolvimento da 3M;
      • Shutterstock – Oculus e Spectrum;
  • Aviva – Referência para o turismo brasileiro.
  • Aeris – Movendo suas hélices para inovar.
  • Considerações finais.

Tipos de intraempreendedor

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que o intraempreendedorismo não ocorre isoladamente. Isso porque, para que ele aconteça com sucesso, é necessário que exista uma equipe alinhada e recursos para fazer com que ideias e projetos inovadores possam tomar forma.

Além da estrutura (projeto, intraempreendedor e recursos), o contexto no qual a organização se encontra também deve ser levado em conta. Empresas familiares, por exemplo, enfrentam grandes obstáculos para terem sucesso no mercado. 

Esses obstáculos podem variar, desde a dificuldade na decisão de sucessão e hierarquia no negócio até o investimento em inovação e robotização de sistemas. Tecnologicamente falando, estamos na 4ª Revolução Industrial, mas imagina convencer um familiar mais velho que utilizou fichas físicas por décadas a adotar um sistema de armazenamento na nuvem? 

Dessa forma, o planejamento e o intraempreendedorismo tornam-se, então, uma solução para que a sucessão de gerações e incentivos mantenha a empresa competitiva.

Agora, existem tipos de intraempreendedorismo? A resposta é sim! E vamos falar sobre eles agora.

Líderes em diversas empresas já procuram incentivos para o intraempreendedorismo entre seus colaboradores, que podem ser de dois tipos:

Intraempreendedorismo de valor agregado

Aqui, o intraempreendedorismo está ligado à principal atividade da empresa. Isso significa que esse tipo de intraempreendedor vai agregar valor para a organização, gerando inovação e crescimento. Tudo isso sempre ligado ao nome original da empresa.

Podemos ver exemplos de tipos de intraempreendedor com valor agregado em empresas como Google e Apple. Toda ideia está ligada diretamente àquilo que a empresa já desempenha. A força dessas marcas é resultado de um intraempreendedorismo que soube desenvolver projetos com base nas necessidades de seus clientes.

Intraempreendedor “spin-off”

Esse é o tipo de intraempreendedor cujas ideias e projetos fogem totalmente daquilo que a empresa é originalmente conhecida. O termo “spin-off”, geralmente associado ao entretenimento, refere-se a propriedades intelectuais que não necessariamente estão ligadas à linha principal. No intraempreendedorismo, o raciocínio é semelhante.

A forma como novos negócios podem surgir nesse processo pode variar. Em alguns casos, a empresa consegue pivotar recursos para outros projetos. Já em outras situações, é o know-how e o conhecimento adquirido em pesquisa e desenvolvimento que servirá de base para um novo projeto intraempreendedor.

Independentemente dos tipos de intraempreendedores, é preciso ter em mente que a empresa precisa estar preparada para eles. Ou seja, você possui o melhor ambiente para essa prática?

Não basta apenas implementar um programa de ideias, é preciso investimentos constantes em inovação.

Aqui entram fatores muito relevantes como: engajamento dos colaboradores, Cultura Organizacional e o papel da alta liderança. Esses fatores serão a chave para fixar o intraempreendedorismo no DNA da organização.

Se ficou curioso sobre o assunto e quer saber como você pode estimular esses fatores dentro da sua organização, não deixe de conferir o nosso artigo sobre engajamento no programa de ideias. 

Confira: Como engajar e incentivar colaboradores no seu Programa de Ideias

Aproveite e confira também o vídeo: 04 ações para estimular o engajamento dos gestores na inovação

Agora que já sabemos quais são os tipos de intraempreendedorismo, chegou a hora de conhecermos alguns exemplos de grandes empresas que apostaram nessa prática. 

Exemplos de intraempreendedorismo

A seguir, iremos listar exemplos de intraempreendedorismo que souberam desenvolver esse diferencial no mercado. Diferentes propostas, seja agregando valor ou seja criando novos produtos, subdivisões ou serviços. Vamos lá?

1. Gmail, da Google

Das empresas mais atuais, a Google é, com certeza, uma das primeiras a serem lembradas quando pensamos em intraempreendedorismo por valor agregado. Como prática interna, a empresa faz com que seus funcionários dediquem 20% de seu tempo para projetos pessoais.

Trabalhar em um ambiente que estimula a livre criação de ideias pode resultar em serviços que hoje são indispensáveis. Um fruto desses projetos pessoais é justamente o Gmail!

Ele começou como um projeto de intraempreendedorismo para os colaboradores e cresceu até tomar a forma inovadora que conhecemos hoje.

O serviço do Gmail é inovador por muitos fatores. O sistema de busca da empresa, aplicado a uma caixa de e-mails, acabou sendo potencializado. Além de uma busca precisa, era o primeiro serviço de e-mail a oferecer um tamanho de armazenamento de 1 GB. Paul Buchheit, seu criador, lançou o serviço por meio de convites. Atualmente, ter uma conta no Gmail é considerado praticamente indispensável.

2. O botão “curtir” do Facebook

A interação que é ícone do Facebook teve origem em um programa de ideias interno da empresa. No caso, o protótipo do que hoje conhecemos como o botão “curtir” teve origem em uma hackathon.

A forma de inovação e adaptação do Facebook com o passar dos anos é um exemplo da força intraempreendedora. Hoje, o pensamento em serviços, redes sociais e ideias no universo digital são influenciadas pelos benefícios que essa “curtida” trouxe. E nada disso seria possível sem que existisse uma organização de uma competição que estimulasse o desenvolvimento desse projeto

3. Playstation, da Sony

Talvez hoje pareça estranho pensar dessa forma, mas o Playstation é um exemplo de intraempreendedorismo do tipo “spin-off”. Uma inovação impensável no cenário mais tradicional da japonesa Sony.

A fabricante conhecida anteriormente por aparelhos de som e seu walkman era totalmente contra a entrada no mercado de jogos. O então jovem Ken Kutaragi resolveu trabalhar, por conta própria, em um chip de som para o que viria a ser o videogame 16-bits da Nintendo. Foi preciso que houvesse uma pessoa entre os seniores que enxergasse o trabalho de seu funcionário com outros olhos.

O que começou com um ultraje e uma “perda de tempo” para o alto escalão da Sony evoluiu ao que hoje conhecemos como a marca Playstation. O videogame que marcou gerações só foi possível graças a alguém que incentivou o projeto, mesmo em um cenário hostil. Adicione a isso a quebra de parceria entre a Nintendo e a Sony que fez o projeto tomar outros rumos e o resto é história.

4. Intel e seus serviços

Não é só de cases com marcas e serviços globais que o intraempreendedorismo se apresenta. Exemplos de intraempreendedorismo podem surgir também com a visão de necessidades no mercado local. Um exemplo disso é a ação da Intel na Índia.

Graças ao projeto de ideias promovido pela empresa, foi possível fazer com que pequenos varejistas em Mumbai permanecessem competitivos. A solução para isso foi um projeto de automação de varejo, instalado em pontos de venda e lançado pela Intel. E, novamente, o desenvolvimento desse projeto só foi possível com a autonomia dada a seus colaboradores.

5. Dreamworks e seu sistema de ideias

O programa de ideias da Dreamworks é extremamente democrático. Independentemente da posição ou do cargo, todos os colaboradores podem enviar suas ideias em relação aos projetos criativos de longa-metragens da empresa.

Além disso, investe-se em um programa de intraempreendedorismo para oferecer cursos de desenvolvimento de artistas. Isso faz com que a Dreamworks não só gere ideias para animação, como também torne-se referência em seus talentos. Isso é um diferencial que permite que colaboradores aprendam a ser seus próprios gestores. Isso é revertido em benefícios para a empresa e para a motivação dos times.

6. Pesquisa e Desenvolvimento da 3M

Grandes ideias de intraempreendedorismo podem surgir por acidente. Um dos cientistas da 3M, pesquisando um adesivo para aplicação em tecnologia aeroespacial, acabou criando um produto com outro foco. Hoje, esse produto da 3M é conhecido como um papel adesivo que não deixa resíduos quando afixado. São os famosos Post-its.

O processo de ideias é incremental. Sem um programa inteligente, possivelmente esse projeto seria considerado um fracasso, pois não gerou o resultado esperado. Foi preciso persistência e outros colaboradores que desenvolvessem um produto que aproveitasse a ideia inicial com sucesso.

7. SHUTTERSTOCK – OCULUS E SPECTRUM

Outro caso de intraempreendedorismo que partiu de uma Hack-A-Thon são dois sistemas utilizados até hoje pelo Shutterstock, um dos maiores bancos de imagens do mundo. De alguns destes eventos saem soluções extremamente eficazes para um melhor aproveitamento de recursos, crescimento de receitas e um polimento dos processos. 

Entre essas soluções, algumas são aplicadas até hoje, como a Spectrum, um motor de buscas utilizado para pesquisar imagens somente por cores. Uma outra ferramenta, dessa vez de análise de dados, que também surgiu através dessas Hack-A-Thons promovidas pelo Shutterstock é o Oculus, que é utilizada até hoje.

8. AVIVA – REFERÊNCIA PARA O TURISMO BRASILEIRO

O case da Aviva é um daqueles que reforçam a importância da implantação de um Programa de Inovação. Com ajuda da AEVO Innovate, eles conseguiram mais de 16 mil ideias, engajaram mais de 4.200 colaboradores e tiveram um retorno financeiro de mais de 55 MILHÕES em suas ideias implantadas.

“No segundo dia de lançamento do Programa de Inovação, na Costa do Sauípe, nós tivemos mais de 150 registros. Ou seja, o pessoal achou muito fácil. Eles pegaram o celular, durante o evento mesmo, e começaram a registrar e foi muito positivo”, conta a Analista de Projetos e Inovação, Jennifer Tibuchi.

Com as lições aprendidas no processo de inovação da Aviva, o CEO, Francisco Costa Neto reforça que este é um processo contínuo:

“Com o maior apoio do setor, beirando um faturamento de quase 1 bilhão de reais, o nosso objetivo é liderar essa indústria e esses 4.200 associados, para que a gente inove a faça a diferença. Eu pessoalmente já vi essa empresa inovando e eu acredito que ela vai continuar inovando muito mais. O direcionador agora é o propósito e eu estou muito satisfeito com o que fizemos até agora, mas muito animado com o que faremos no futuro”

Quer conferir o conteúdo completo do vídeo case da Aviva? Ótimo! Basta clicar aqui.

9. AERIS – MOVENDO SUAS HÉLICES PARA INOVAR

O case da Aeris é uma verdadeira história de energia limpa, ares inovadores e resultados extraordinários! Com certeza, uma ótima inspiração.

A fabricante nordestina de pás eólicas, resolveu mover suas hélices também para criar ideias de inovação. Com a nossa plataforma de gestão da inovação, AEVO Innovate, a Aeris conseguiu criar uma Cultura de Inovação capaz de mudar o mindset de todos os colaboradores da empresa, alcançar um ROI de 6.8x e uma taxa de implementação de ideias de 20%.

Quer saber mais sobre a história da Aeris? Clique aqui para conferir o case completo.

Se você que está aí nos acompanhando pretende ou já pensou em investir em um Programa de Ideias, fique ligado! Quando o assunto é dar o pontapé inicial para implantar a iniciativa, surgem muitas dúvidas à respeito da estruturação do programa. Pensando nisso, a AEVO criou o “Canvas do Intraempreendedorismo” e o objetivo dele é te ajudar no planejamento estratégico do seu Programa de Ideias.

Não deixe de conferir! Acesse: Como estruturar um programa de intraempreendedorismo. 

Considerações finais

Um bom programa de inovação precisa estimular o intraempreendedor. São as grandes ideias que poderiam ser aplicadas como um negócio em si que fortalecem e geram maior diferencial competitivo para a empresa.

O estímulo para o engajamento dos colaboradores pode vir por meio do ambiente laboral, das campanhas, das gratificações ou outras ações que combinam com o seu negócio.

Fazer com que seus colaboradores possam se dedicar a desenvolver projetos, dar sugestões e evoluir ideias é parte desse intraempreendedorismo. Por isso, é preciso adotar um sistema que entenda as necessidades de seu mercado e crie engajamento para que seus funcionários apostem criativamente em sua empresa.

Sua empresa incentiva a prática do intraempreendedorismo? Você está procurando um modelo de programa de ideias para ser implementado? Confira nosso material gratuito e comece a inovar já em sua organização! Baixe o Kit Templates – Como Lançar um Programa de Ideias!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta