As Melhores Técnicas Para Brainstorms Mais Eficientes

As Melhores Técnicas Para Brainstorms Mais Eficientes

Os brainstorms, ou tempestade de ideias, são parte essencial do processo de inovação de grandes empresas. Mas você sabe otimizar o processo criativo da sua empresa? Existem técnicas de brainstorms que, por mais que possam não funcionar com todo mundo, valem teste para um maior aproveitamento das reuniões de brainstorm.

Imagine a seguinte situação: você está prestes a pensar em uma solução criativa para um problema e as ideias simplesmente não vêm. É aí que entra o Brainstorm. O termo é do publicitário Alex Osborn cuja tradução direta significa “tempestade de ideias”.

A técnica do publicitário era sobre uma reunião com as pessoas envolvidas em um projeto e ali eram colocadas a maior quantidade de ideias possível, sem foco na qualidade. Todos levantavam questões que achavam interessantes para resolver um problema, até mesmo as mais absurdas, sem julgamento. A proposta era que, logo após essa tempestade de ideias, fosse feito um “pente fino” para escolher as que mais se encaixavam com a resolução do problema. 

Recentemente, o professor Ralph Keeney, da Universidade Duke, nos Estados Unidos, pensou em um novo formato, com mais racionalidade. Ele afirmava que, minimamente, as pessoas que iriam participar da reunião precisavam se preparar, o que exigia um estudo prévio por parte de cada integrante do grupo. 

Neste artigo vamos te apresentar as melhores técnicas para brainstorms mais produtivos e eficiente, de maneira organizada e criativa. 

Mas, antes disso, iremos te dar uma pequena orientação de como se preparar e o que fazer antes de um brainstorm com a sua equipe. 

Antes de colocar as ideias, é super importante que se entenda o problema. O grande dilema de ter uma solução para uma dificuldade é sair de onde se está para onde deseja ir. Entender o público é um dos pilares para resolução de um problema, por isso você precisa saber o que fazer, como fazer e para quem vai fazer.

Conheça as Melhores Técnicas de Brainstorm

1ª Técnica para brainstorms: Parta de Perguntas e Dúvidas!

Independente se você está fazendo um brainstorm sozinho (sim, isso é possível) ou em grupo, comece a fazer perguntas sobre o problema, esta técnica faz parte do processo para entender a questão. Quando você faz isso, o seu cérebro é estimulado a procurar respostas para as suas indagações. 

As perguntas são uma maneira eficiente para a mente humana ter a sensação de algo incompleto e isso é algo que incomoda seus neurônios, assim fica mais fácil ter várias ideias e pensar em algo que resolva seu problema de maneira criativa e eficiente.

Imagine que uma empresa tenha dificuldades com a gestão das ideias de inovação dos funcionários. Tudo fica muito perdido, os problemas não são expostos e não se sabe como gerenciar essas ideias. 

Algumas das perguntas que você pode fazer são: como os funcionários podem ficar sabendo das questões que envolvam a empresa? Como fazer uma gestão organizada e que estimule a criatividade das pessoas? Se você fosse um dos funcionários, como isso seria melhor para você, sem que atrapalhe suas atividades e se torne algo forçado?

Viu como algumas perguntas simples e se colocar no lugar do outro pode gerar um turbilhão de pensamentos na mente?

2ª Técnica para brainstorms: Pensamento Lateral

Um dos autores mais respeitados na área da criatividade, Edward de Bono, desenvolveu um conjunto de técnicas para estimular e provocar ideias. Este aglomerado de técnicas foi nomeado “pensamento lateral”, que quer dizer que “se você quiser uma ideia diferente, não adianta ficar cavando mais fundo no mesmo lugar”.

Entre as ferramentas apresentadas por Edward, é possível selecionar 6 para aplicar ao exemplo da empresa e as ideias dos funcionários. 

COMBINAÇÃO: juntar duas coisas em uma só, como uma associação. Por exemplo, oferecer ao funcionário o acesso a um sistema de ideias e os problemas que a empresa precisa resolver. 

SUBSTITUIÇÃO: trocar uma coisa por outra, como as metáforas. Por exemplo, trocar as ideias por premiações, para que mais ideias sejam expostas.

INVERSÃO: propor algo como um paradoxo, uma ideia oposta. Por exemplo, mostrar em uma campanha, uma empresa que não envolve os funcionários e sem ideias criativas.

ELIMINAÇÃO: retirar algo do seu contexto original. Por exemplo, mostrar ambientes que tenham este sistema aplicado.

EXAGERO: exagerar em uma situação. Por exemplo, mostrar os funcionários tirando um dia de folga por ter uma ideia.

REORDENAÇÃO: colocar os fatos futuros antes do presente. Por exemplo, mostrar a premiação da ideia, o funcionário sendo gratificado pela ideia que teve. 

3ª Técnica para brainstorms: Crie um Mapa Mental e WordMaps

A técnica do mapa mental é uma das queridinhas dos concurseiros, é ela que eles usam para memorizar assuntos das provas. Com este método, você pode usar como um incentivo na hora de associar palavras e contextos. 

O processo é básico e extremamente visual. Pegue uma cartolina e escreva a palavra-chave relacionada ao problema que você quer resolver, gestão, por exemplo. Junto com essa palavra você escreve algo mais específico, como “funcionários de logística”, e faça um desenho relacionado a isso. 

O próximo passo é criar ramificações livres e coloridas, de preferência. Feito isso, ramifique os núcleos. Veja o exemplo: 

  • sistema funcional para a gestão;
  • pessoas engajadas;
  • coisas que fariam o funcionário não aderir a campanha;
  • estímulos que o funcionário gostariam de ter;

Cada item pode ir se desdobrando e aplicando ideias de outro integrante da tempestade de ideias. O mais interessante desta técnica é a facilidade de visualização, assim, os componentes da reunião podem ter uma noção do “todo” e das “partes”.

Já o WordMaps é uma técnica para abusar do número de palavras-chave, o que propõe a ideia de “palavra-puxa-palavra”. O professor Antônio Anzanello Carrascozza apresenta em seu livro A evolução do texto publicitário, que gerar uma rede semântica é criar uma rede de palavras e significados.

É muito simples: comece a escrever uma palavra que esteja no contexto do problema que você está resolvendo. No caso da empresa de logística, a palavra inicial poderia ser “gestão”. A partir disso, num curto espaço de tempo (1 ou 2 minutos), escreva o maior número de palavras que tenham a ver com ela. 

A pressão do cronômetro sobre a equipe vai deixar todos surpresos com a quantidade de palavras associadas que podem surgir. O espírito lúdico vai tomando conta do ambiente e vai produzir uma semântica bem interessante.

4ª Técnica: Imersão no Processo Criativo

No processo criativo, muitas pessoas têm facilidade de produzir ideias que vão além da visão e imaginação. Porém, outras tem necessidade de colocar a mão, sentir o cheiro, ouvir e degustar. 

Vamos supor que você ainda esteja quebrando a cabeça com a gestão de ideias da empresa de logística. A dica é: tente reunir objetos que fazem parte da rotina da empresa, uma degustação de aperitivos que é servido no intervalo para o café, tudo isso fará parte de um processo de imersão na parte da criatividade. 

Sabe as Técnicas mas Falta Inspiração?

Ter ideias criativas e inovadoras não é uma tarefa tão simples como parece, e quando você é exigido a ter criatividade no trabalho é mais que recorrente ter um bloqueio criativo. Confira as melhores técnicas para te inspirar:

Não descarte as ideias ruins, pois é muito bom que as pessoas se sintam à vontade para falar suas “besteiras”. Na prática, separe 10 minutos da reunião para debater ideias ruins. Tenha iniciativa para encorajar o resto da equipe. 

Desfaça e refaça ideias, tente quebrá-las em várias partes e detalhes para que outras ideias possam surgir. Ah, não esqueça o famoso jogo de palavras para remover a mentalidade tradicional.

Leia mais:

4 técnicas para te ajudar a realizar brainstorms eficientes

Posts Relacionados
A definição de inovação vai muito além do desenvolvimento, seja ele de um produto novo
Você conhece o brainstorm? O brainstorm é mais que uma ferramenta, ele define a essência
Antes de falarmos de cooperativa, é fundamental conhecer a sua história. Tudo começou em 1844,

Deixe uma resposta