Brainstorming

Tudo o que você precisa saber!

Lillian Donato

Lillian Donato

Publicado em 19/11/2020

Brainstorming nada mais é do que uma tempestade de ideias. É um processo que visa a solução de um determinado problema na empresa, e por normalmente ser praticado em grupo, aumenta o  envolvimento e engajamento da equipe.

Brainstorming

CONFIRA:

  • O que é Brainstorming
  • Como surgiu o Brainstorming
  • Etapas de um Brainstorming
  • Vantagens do Brainstorming
  • Quando e como usar o Brainstorming?
  • Tipos de Brainstorming
  • Como fazer o Brainstorming: passo a passo
  • Dicas para um Brainstorming efetivo
  • O que não fazer em um Brainstorming
  • Ferramentas para Brainstorming
  • Conclusão

 

Apesar de ser um dos termos mais populares nos escritórios atuais, muitas pessoas ainda não conhecem uma explicação clara sobre o que é brainstorming, ou um método capaz de transformar o conceito em resultados positivos para o seu negócio.


Nesse artigo, além de esclarecer o que é brainstorming, você também verá quais os benefícios da prática, e terá acesso a um guia para ter reuniões produtivas de brainstorming na sua organização e um passo a passo de como realizar um brainstorming de sucesso.

O QUE É BRAINSTORMING

Trabalhos em equipe, da escola ao ambiente corporativo, já costumam usar o brainstorming de forma quase natural; mas nem sempre ele é visto como um processo, e por isso acabamos não aproveitando todos os seus benefícios.

Podemos resumir o que é brainstorming ao traduzir o termo: uma tempestade de ideias. O foco da atividade está em gerar muitas ideias, mesmo que algumas delas pareçam ruins ou confusas num primeiro momento.

Pense numa reunião para resolver um problema qualquer. Um participante sugere o curso de ação, e é questionado. A mesma cena se repete duas ou três vezes e o ânimo da sala diminui, enquanto o silêncio cresce. Todos deixam a reunião sem ter chegado muito longe.

A premissa por trás do brainstorming é impedir que isso aconteça, permitindo o fluxo constante de sugestões, que só serão debatidas ou avaliadas num momento futuro.

COMO SURGIU O BRAINSTORMING?

A história do brainstorming aponta para o publicitário Alex Osborn, que tinha um grande interesse em estudar processos criativos.

Percebendo que as reuniões em sua agência muitas vezes limitavam a criatividade dos participantes, ele desenvolveu um conjunto de regras básicas para que os encontros pudessem favorecer o surgimento de ideias, método que veio a se tornar conhecido como brainstorming.

ETAPAS DE UM BRAINSTORMING

PREPARAÇÃO

Idealmente, as pessoas devem receber boas informações e um direcionamento claro sobre o assunto.

Saber em detalhes qual o problema a ser resolvido e quais dados a organização possui sobre a questão é um requisito mínimo para evitar perdas de tempo e foco quando o time se reunir.

REALIZAÇÃO

Um mito sobre como fazer brainstorming é a visão de que basta juntar várias pessoas numa sala, e por mágica, elas terão ideias geniais.

Na realidade, não é bem assim. Quem conduz e quem participa da reunião devem seguir algumas diretrizes – que veremos mais à frente – para ter resultados valiosos.

AVALIAÇÃO

O brainstorming não termina quando as ideias são compartilhadas. É preciso avaliar cada uma, considerar seus prós e contras, selecionar as “vencedoras” e, sempre que possível, entregar um feedback sobre o que faltou nas propostas que não foram escolhidas.

Entretanto, essa avaliação não deve ocorrer durante a sessão, mas sim após seu término. Dessa forma o líder terá mais tempo para tomar decisões.

VANTAGENS DO BRAINSTORMING

Mesmo sabendo o que é brainstorming, muitas organizações recuam na hora de implementá-lo, pois não reconhecem os ganhos que a atividade proporciona. Nesse caso, vale a pena conferir os principais benefícios da “tempestade de ideias”.

AGILIDADE NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

brainstorming-agilidade

Conseguir soluções rápidas para questões simples ou complexas está na raíz do que é brainstorming. Ao invés de esperar até que uma pessoa encontre a resposta certa, o time se junta para oferecer dezenas de possibilidades em algumas horas, aumentando o tempo que pode ser investido na realização de testes ou no cuidado com os detalhes de um projeto, por exemplo.

PROMOVE O RELACIONAMENTO LÍDER-EQUIPE

Abrir espaço para que o grupo apresente suas ideias permite que o líder seja visto como uma figura acessível, ao mesmo tempo em que aumenta sua confiança nos colaboradores. É uma relação benéfica para ambos os lados.

MELHORIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL

brainstorming-clima

Decisões colaborativas aumentam a segurança percebida pelo time. As pessoas sabem o que está acontecendo, e embora a decisão final seja tomada pela liderança, elas entendem como se chegou até esse caminho, ao invés de estar apenas cumprindo ordens “no escuro”.

EVOLUÇÃO DOS COLABORADORES

brainstorming-2

Eles terão que se esforçar para trazer ideias cada vez melhores, e apresentá-las de forma bem estruturada, estimulando o raciocínio lógico, a criatividade e a clareza na comunicação. Tais habilidades certamente beneficiarão outras áreas do seu trabalho. Além disso, quem contribui com sugestões que são implementadas sente-se mais confiante ao retornar para suas funções.

ESTÍMULO À INOVAÇÃO

brainstorming-inovação

Assim como um Programa de Ideias, uma sessão de brainstorming permite que informações e perspectivas diversas sejam postas à mesa e avaliadas em condições de igualdade. Essa abertura viabiliza o surgimento de novas respostas – e novas questões – favorecendo a inovação em um ritmo que só pode ser alcançado com o envolvimento de todos na organização.

QUANDO E COMO USAR O BRAINSTORMING?

Uma sessão de brainstorming pode ser realizada sempre que houver dúvida sobre qual o melhor curso de ação para lidar com determinado problema.

Ela pode ocorrer em um único time ou departamento, visando resolver obstáculos particulares, ou englobar setores diversos da empresa para solucionar questões transversais.

ANTES DA REUNIÃO

Embora a visão de algumas pessoas sobre o que é brainstorming aponte para uma reunião com pouca formalidade, onde todos chegam e falam até encontrar uma ideia genial, o preparo correto é fundamental para que seu potencial seja alcançado.

O nível de preparação irá depender da complexidade imposta pela questão a ser resolvida. Se o objetivo é desenvolver uma campanha de natal, por exemplo, um briefing com dados sobre o mercado e as metas a serem alcançadas pode ser o bastante.

Por outro lado, se o brainstorming visa desenvolver um novo produto central para a companhia, será preciso oferecer relatórios mais detalhados, permitindo que todos cheguem à reunião falando a mesma língua e economizando tempo em explicações.

ESTRUTURA DA REUNIÃO

Se a maior parte dos colaboradores acabou de aprender o que é brainstorming e nunca participou de uma reunião, pode ocorrer um silêncio inicial até que todos se sintam confortáveis para expressar novas ideias.

É importante preparar o ambiente para evitar que isso aconteça, afinal todos estarão investindo alguns minutos ou horas que não podem ser desperdiçados.

Para começar, os grupos não devem ser muitos grandes – mais de 10 pessoas na sala podem gerar uma confusão. Se for necessário incluir um número maior de associados no processo, organize mais sessões, com as ideias escolhidas em cada uma indo para uma seleção final.

REGISTROS

Para que a sessão seja produtiva, é fundamental ter um registro adequado de todas as ideias, num local visível para os participantes. Pode ser interessante chamar alguém de outro setor, que não participará ativamente do brainstorming, para cuidar dessa função.

FLUXO

Você não para uma tempestade, certo? A reunião de brainstorming deve fluir com o mínimo possível de interrupções – esse não é o lugar para debater ideias, apenas para trazê-las à tona.

Haverá espaço para analisar o potencial de cada uma no futuro, mas até lá, o líder, a pessoa responsável pelos registros e os membros da sessão devem permitir o fluxo livre de sugestões, sem muitos questionamentos.

Em alguns casos, uma ou duas pessoas mais extrovertidas podem “dominar” o brainstorming, enquanto os demais não falam. Tal comportamento deve ser evitado – afinal todos na sala foram convidados para contribuir.

Se o líder da reunião perceber que isso está acontecendo, pode sugerir uma “rodada” para que todos apresentem sugestões.

A QUANTIDADE É IMPORTANTE

Como já falamos anteriormente, apresentar muitas ideias é a razão para o brainstorming existir. É preciso alcançar um certo volume, mesmo que nem todas as sugestões estejam finalizadas.

Pode ser que alguém traga uma peça do quebra-cabeça, e outras pessoas sejam capazes de completá-lo, mas isso não será possível a menos que dezenas ou até centenas de ideias sejam expostas.

SELEÇÃO

Para concluir a sessão de brainstorming, é preciso julgar as propostas e selecionar quais serão levadas adiante.

Essa tarefa pode ser executada pelo líder ou por um grupo pequeno, sem a presença de todos os participantes, mas é interessante que eles possam explicar possíveis dúvidas sobre suas ideias, se houver tempo hábil.

FEEDBACK

A única forma de manter os colaboradores engajados e ter bons processos de brainstorming no longo prazo é através do feedback.

Explicar as razões de certas propostas serem escolhidas garante que mesmo as pessoas com ideias rejeitadas possam continuar dando o seu melhor no futuro.

TIPOS DE BRAINSTORMING

Da “era de ouro da propaganda” aos unicórnios no Vale do Silício, vários tipos de brainstorming foram testados e alguns puderam mostrar seu sucesso na prática.

A atividade mais famosa para conceber muitas ideias em pouco tempo não se resume a escrever sugestões num quadro em branco. Os diversos tipos de brainstorming, cada um com características e resultados próprios, devem ser analisados com cuidado, se você deseja explorar todo o potencial da prática.

Para começar, existem duas oposições entre os tipos de brainstorming. Eles podem ser realizados de forma individual ou em grupo, e ter as ideias compartilhadas abertamente ou de forma anônima.

EM GRUPO VS INDIVIDUAL

Embora pensar sobre o que é brainstorming desperte a imagem de várias pessoas numa reunião, também é possível aproveitar os benefícios da atividade trabalhando por conta própria.

Realizar o brainstorming individual pode ser uma boa forma de estimular pessoas que nunca tiveram contato com a prática. Isso permite que elas se acostumem com o processo de gerar ideias livremente, para então aplicá-lo em grupo.

A principal vantagem desse modelo é o foco total nas suas ideias. Ele evita distrações comuns durante uma reunião, como preocupar-se com o que as outras pessoas estão falando, pensar em como elas irão julgar nossas contribuições, e até esquecer o que tínhamos para dizer.

O brainstorming individual também oferece um espaço onde você pode se aprofundar mais numa ideia que talvez não queira compartilhar. Dessa forma é possível esclarecer e solucionar os pontos negativos antes de levá-la a público.

Na outra ponta está o brainstorming em grupo.

Seu maior ponto forte é a resolução de problemas complexos – que muitas vezes requer diversas perspectivas. Talvez você, um Diretor de Marketing, por exemplo, não tenha informações acessíveis para um colaborador no atendimento, em contato direto com o público, e vice-versa.

Esse tipo de brainstorming, quando bem realizado, também favorece o clima da organização, pois seus participantes sentem

ESTRUTURADO VS NÃO ESTRUTURADO / ANÔNIMO

Outra relação dual entre os tipos de brainstorming consiste na reunião estruturada ou não estruturada – esta última também conhecida como brainstorming anônimo.

A principal diferença entre as abordagens é que, no primeiro caso, o autor da ideia deve apresentá-la ao grupo, enquanto no segundo, todos repassam sugestões anônimas ao líder do brainstorming, que expõe cada uma.

O modelo anônimo pode ser utilizado nas organizações onde o brainstorming ainda não é comum, permitindo que as pessoas mais tímidas possam se expressar facilmente. Também é uma ferramenta útil caso as reuniões anteriores tenham sido marcadas por conflitos ou disputas de créditos.

Já o brainstorming estruturado possui a vantagem da clareza, pois todos poderão explicar melhor suas ideias. Ele também favorece a colaboração de todos, enquanto o método não estruturado abre espaço para que algumas não participem ativamente.

Feita a escolha entre os tipos de brainstorming estruturado e não estruturado, é hora de avançar para a decisão sobre quais métodos serão utilizados na sessão.

BRAINWRITING

Esse é um dos tipos de brainstorming mais eficientes para equipes que estão começando, pois estabelece uma meta clara de ideias a serem compartilhadas em certo tempo.

O sucesso da reunião é definido pela quantidade, e não necessariamente pela qualidade das sugestões.

O brainwriting também é conhecido como método 6-3-5, graças à sua configuração inicial: 6 pessoas escrevendo 3 ideias a cada 5 minutos. Dessa forma, o grupo ou squad alcança 108 propostas em apenas meia hora.

Você pode, obviamente, adaptar o número de pessoas, ideias e tempo à realidade do seu grupo  para ter os melhores resultados possíveis com o brainwriting. Também é válido oferecer uma recompensa pelo cumprimento do desafio.

BRAINSTORMING “OPOSTO”

Para sair do lugar comum e estimular a criatividade, alguns tipos de brainstorming trabalham com ideias contra intuitivas, e esse é um dos principais exemplos.

Você, ou o time, sentam para resolver o problema, mas devem pensar em como deixá-lo ainda pior.

Como a empresa pode aumentar o tempo de fabricação de um produto ou perder clientes? É fácil descobrir, e muitas vezes basta seguir o caminho oposto para obter bons resultados.

TANGIBILIDADE

Disponibilize recursos palpáveis associados ao problema que deseja resolver. Se for algo relacionado a um produto, leve-o para a reunião, caso a questão seja em um software, faça os participantes utilizarem a ferramenta, e assim por diante.

A tangibilidade pode ser um dos tipos de brainstorming mais úteis para obter a perspectiva do cliente sobre o assunto.

Nesse caso, você pode fazer a equipe conhecer pontos de venda, utilizar um aplicativo ou experimentar os produtos, por exemplo.

TODOS OS RECURSOS DO MUNDO

A premissa desse modelo é simples: pense que você possui todos os recursos do mundo à sua disposição. Como poderia utilizá-los para resolver o problema à sua frente?

A técnica permite vencer a pressão por encontrar a resposta perfeita, estabelecendo um clima descontraído para começar a reunião.

Depois que algumas ideias “absurdas” forem compartilhadas, a equipe pode pensar em como adaptá-las aos recursos disponíveis na organização.

MUDANÇA DE CENÁRIO

É importante lembrar que o ambiente influencia nosso estado, e as paredes do escritório ou a presença de certo colegas podem limitar a criatividade.

Saia do prédio e caminhe pelas ruas ao redor, passe um tempo no parque, brinque com seus filhos.

Muitos grandes artistas afirmam ter suas melhores ideias enquanto andam livremente, sem direcionar o pensamento ao problema. Você pode usar isso a seu favor mudando o cenário.

Por último, iremos selecionar ferramentas capazes de auxiliar o método escolhido. Aqui já não estamos mais pensando em tipos de brainstorming per se, mas em formas de viabilizar ou potencializar os que foram escolhidos anteriormente.

O BOM E VELHO POST-IT

Recursos visuais são um ótimo auxílio ao brainstorming, permitindo que ideias sejam facilmente expostas para todos os participantes.

Nesse quesito, é difícil vencer a praticidade do post-it, que pode ser colado em qualquer lugar e separar elementos por cores.

As reuniões de brainstorming não estruturadas quase sempre utilizam cartões ou post-its com as ideias de cada participante. Os papéis com ideias escolhidas ainda podem ser levados para um quadro.

MIND MAPPING

Outro recurso visual capaz de impulsionar todos os tipos de brainstorming é o mind mapping. Para começar, você escolhe três palavras-chave que descrevam brevemente o problema – mídias sociais, clientes e engajamento, por exemplo.

Em seguida, são traçadas linhas para conectar palavras ligadas a essas, formando uma teia de conceitos. Essa é uma forma de visualizar conjuntos completos de informação em um único quadro ou tela, percebendo questões que podem passar batidas em outros modos de análise.

SOFTWARES

Hoje em dia o brainstorming não precisa ficar restrito às reuniões com post-its e cafézinho, e ferramentas como o AEVO Innovate permitem incorporar a técnica à rotina da organização.

Elas fornecem recursos semelhantes aos que acabamos de ver, com a vantagem de utilizar uma plataforma online que permite o envio e recebimento de sugestões a qualquer momento, registros em tempo real e uma caixa de ferramentas para transformar as ideias em soluções permanentes.

COMO FAZER BRAINSTORMING: PASSO A PASSO

As três etapas gerais do brainstorming se dividem nos passos a seguir, os quais você pode utilizar como um checklist para garantir que estará organizando uma sessão de qualidade:

1. IDENTIFICAR O PROBLEMA

A primeira sugestão sobre como fazer brainstorming do jeito certo é ter clareza sobre o objetivo da reunião, que deve ser direcionada à resolução de um determinado problema.

No cenário ideal, a sessão de brainstorming é convocada para responder uma pergunta específica, por exemplo: Como podemos reduzir o tempo de montagem numa fábrica? Como a equipe de vendas pode fechar mais contratos no primeiro encontro com os clientes?

2. LEVANTAR INFORMAÇÕES

Uma boa pesquisa é o alicerce do brainstorming, ela oferece uma base a partir da qual os colaboradores poderão construir ideias mais efetivas.

Organize informações sobre o mercado, competidores, processos internos e outros aspectos relacionados ao problema.

Em alguns casos, esse levantamento até pode mostrar caminhos a serem seguidos, dispensando a necessidade do brainstorming.

3. ESCOLHER O GRUPO

O grupo selecionado pode ser um time ou departamento inteiro, assim como misturar componentes de diversos setores.

A decisão será feita a partir do problema identificado, e é sempre válido selecionar algumas pessoas com experiência sobre como fazer brainstorming para facilitar o andamento da reunião.

4. PREPARAR O GRUPO

Após a escolha, todos devem receber um briefing com as informações levantadas anteriormente.

Isso evita que muito tempo seja gasto para apresentar o problema no início da reunião, e as ideias podem começar a ser formuladas após uma breve introdução.

5. AJUSTAR O CLIMA DA REUNIÃO

Alguns colaboradores falam demais, outros não se expressam o bastante. Há os mais experientes e os recém-chegados. O time pode estar lidando com problemas pessoais ou conflitos internos.

Questões do tipo precisam ser consideradas, e a pessoa responsável pelo encontro deve usar metodologias adequadas para ter os melhores resultados em cada situação.

6. FAZER UM BOM REGISTRO

Pode ser alguém escrevendo num quadro branco, um documento virtual compartilhado entre os presentes ou um local onde todos possam colar post-its com suas contribuições.

Registrar as ideias conforme elas surgem não só facilita o trabalho na hora de compará-las como também estimula os participantes a fornecer novos insights.

7. DEFINA OS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Saiba como as ideias serão escolhidas. Seu potencial inovador será mais importante do que a lucratividade no curto prazo? A facilidade de implementação é um fator relevante? Ter bons critérios acelera o processo e evita que os participantes questionem as escolhas feitas.

8. VALORIZE O FEEDBACK

As pessoas querem saber por que suas ideias não foram selecionadas. Fazer com que essa informação seja repassada de forma transparente garante que elas se sintam estimuladas nas próximas reuniões, e não há como manter o brainstorming no longo prazo se não houver esse retorno aos colaboradores.

4 DICAS PARA UM BRAINSTORMING EFETIVO

O passo a passo sobre como fazer brainstorming serve de pilar central para ter bons encontros com o time, mas você pode ir além com estas dicas para tornar as reuniões mais dinâmicas e produtivas.

1. TER O LÍDER CORRETO

lider-brainstorming

Idealmente, a pessoa com maior responsabilidade pelo problema a ser resolvido deve convocar e conduzir a reunião. É importante que o líder da sessão tenha um bom conhecimento sobre o que é brainstorming, além de habilidades pessoais para lidar com possíveis desequilíbrios e conflitos.

2. INCENTIVAR A QUANTIDADE

A proposta é gerar muitas ideias para encontrar as melhores. Uma sugestão para incentivar a quantidade é trazer desafios no começo da reunião.

Ofereça uma recompensa caso o grupo consiga levantar 100 novas propostas em 30 minutos, por exemplo.

3. ATENÇÃO AOS DETALHES NA PREPARAÇÃO

O potencial do brainstorming é amplificado conforme damos atenção aos esforços na pesquisa e compartilhamento de informações, montagem do time correto, bom preparado do líder e à escolha de uma metodologia adequada.

4. CLAREZA NAS PROPOSTAS

clareza

É fundamental garantir que todos entendam corretamente o que cada pessoa sugeriu. Você não deve ter boas ideias descartadas por problemas de comunicação. Isso prejudica a equipe, que perde essas sugestões, e afeta a moral das pessoas responsáveis por elas.

O QUE NÃO FAZER EM UM BRAINSTORMING

Os participantes devem se adequar ao momento, organizado para oferecer ideias ao líder, e não para disputar créditos.

1. DISCUTIR

Os participantes devem se adequar ao momento, organizado para oferecer ideias ao líder, e não para disputar créditos.

2. CENTRALIZAR

Embora cada um deva se esforçar para contribuir com o máximo de ideias, a reunião foi convocada para escutar todos os presentes.

3. INTERROMPER

O brainstorming é baseado no fluxo livre, mas se uma pessoa começa a falar e a sugestão dela faz você ter uma nova ideia, aguarde antes de expor seus pensamentos.

4. DIVAGAR

É comum haver uma perda de foco após o compartilhamento das primeiras ideias. Nesse momento, podem surgir histórias e piadas, que não são necessariamente ruins, mas costumam fugir do controle.

5. APRESSAR

Embora seja positivo ter um senso de velocidade na realização do brainstorming, a escolha de uma ideia não deve ser apressada. Olhe para a questão por quanto tempo for necessário.

FERRAMENTAS PARA BRAINSTORMING

Existem diversos programas que utilizam os princípios sobre como fazer brainstorming e levam as reuniões para o ambiente virtual.

O Mindmeister permite que você crie mapas mentais, encadeando pontos dentro de tópicos e representando visualmente as ideias geradas na reunião. O Miro e o IdeaBoardz cumprem papel semelhante, embora sua interface seja como um quadro branco, onde todos os participantes podem colar post-its virtuais com suas ideias e comentários.

Com o AEVO Innovate também é possível realizar sessões de brainstorming, e ainda expandir a atividade para que ela se torne cotidiana.

Ele permite que os colaboradores apresentem ideias no momento em que elas surgem, e voltem rapidamente às suas funções. Além disso, com a nossa ferramenta, é possível realizar um Programa de Ideias, um passo mais avançado no brainstorming.

CONCLUSÃO

Agora você tem um manual sobre como fazer brainstorming, transformando a atividade num método controlável e capaz de ser adaptado às necessidades do seu empreendimento.

A sugestão é começar o quanto antes, e deixar que aos poucos ele se integre à cultura organizacional. Você pode utilizar ferramentas como o AEVO Innovate para acelerar esse processo, permitindo que todos os colaboradores possam ter contato com o brainstorming sem a necessidade de realizar encontros com cada time separadamente.

Ele permite que os colaboradores possam enviar ideias a qualquer momento, reduzindo a necessidade de reuniões, e ainda oferece espaços para que os líderes da companhia possam avaliar, selecionar e apresentar feedbacks para as propostas recebidas, transformando o brainstorming numa prática cotidiana e multiplicando a força dos seus benefícios.

Confira também:

Desenvolvido por: