Como medir inovação nas empresas? Exemplos e práticas

Saiba como medir inovação nas empresas, quais os indicadores devem ser considerados na hora de analisar o retorno da inovação, e a importância disso para que o processo de gestão da inovação seja sustentável.

Saber como medir inovação nas empresas demonstra com clareza aos gestores a eficácia dos projetos inovadores desenvolvidos, os resultados para o negócio e traz aprendizados valiosos.

Empresas que possuem maior maturidade com a inovação começam a perceber alguns desafios práticos, que talvez não tenham sido identificados em seus primeiros planejamentos.

Um deles o entendimento de como medir inovação, já que ela nem sempre traz um impacto financeiro direto – o qual seria fácil de visualizar.

Além disso, sem um bom método para fazer essa medição, é difícil apontar quais iniciativas foram responsáveis por quais resultados, levando processo de inovação a avançar no escuro.

Existem diversas formas de medir a inovação, que também nos fazem perceber os projetos que precisam de ajustes, em detrimento de outros que devem receber mais investimentos, e as lacunas onde o esforço não está gerando resultado algum.

Para compreender como medir inovação reunimos as informações essenciais neste artigo. Siga a leitura.

O que são indicadores de inovação?

Podemos dizer que indicadores de inovação são os componentes de uma análise de desempenho presentes em uma iniciativa inovadora.

Não há como medir inovação na sua empresa sem usar indicadores. Também chamados de KPIs, ou Key Performance Indicators, eles são as métricas centrais para avaliar cada projeto de inovação.

Os indicadores estão presentes em todas as áreas, nas finanças, no marketing, na gestão de recursos humanos, e isso não muda quando pensamos sobre como medir inovação.

Eles são atribuídos na fase de planejamento, onde selecionamos as métricas e também os números que esperamos atingir.

Quando o tempo do planejamento é alcançado, após 30 ou 90 dias, por exemplo, comparamos as projeções e os números reais para definir se houve sucesso ou não alcançamos as expectativas.

Aqui, podemos ajustar os números, ou mantê-los e fazer mudanças no processo, dando início a um novo ciclo de inovação.

É importante que as metas sejam definidas com base em projeções realistas, e não apenas em desejos abstratos.

Talvez a liderança da empresa tenha em mente algum número como um milhão de reais com novos produtos esse ano, mas é preciso analisar os resultados atuais do negócio e as condições do mercado para saber se tal objetivo é muito alto, baixo, ou está no campo de um desafio alcançável.

Como medir inovação?

Salientado o papel dos indicadores para medir inovação, é hora de traçar um projeto com eles em mente.

O primeiro passo é compreender o que exatamente a empresa espera ao inovar. Isso diz respeito à estratégia e aos valores de cada negócio – talvez o objetivo seja a eficiência dos processos, o aumento das vendas ou a fidelização do mercado, por exemplo.

De acordo com cada objetivo, haverá um conjunto diferente de indicadores, por isso, é o alvo que define como medir inovação.

Implemente KPIs para cada etapa dos processos

Nós podemos considerar dois grandes conjuntos, os indicadores de entrada e os resultados de saída. O primeiro grupo diz respeito às ações que o negócio pode tomar, e o segundo está ligado aos resultados obtidos com tais movimentos.

Indicadores de entrada de um Programa de Ideias, por exemplo, incluem:

  • Número de sugestões: quantas propostas os colaboradores trouxeram em determinado período;
  • Número de implementações: quantas sugestões foram postas em prática.
  • Despesas em pesquisa e desenvolvimento: qual valor foi investido pela empresa no setor de P&D durante um mês, trimestre ou ano?
  • Taxa de adoção de novas tecnologias: este indicador mede a rapidez com que a empresa adota novas tecnologias em comparação com os concorrentes, o que pode indicar sua capacidade em se adaptar aos avanços.
  • Por outro lado, alguns resultados comuns atrelados a ações inovadoras, podem ser:
  • Percentual de receita proveniente de novos produtos: mede a proporção da receita gerada por novos produtos lançados no mercado, indicando o sucesso da empresa ao inovar.
  • Taxa de sucesso de projetos: mede a porcentagem de projetos que resultaram em valor para a empresa, aumentando as vendas ou a produtividade, por exemplo.

A geração de valor é crucial, já que a diferença entre uma ideia e uma inovação reside aqui.

Inovar é propor mudanças que melhorem os resultados de alguma forma, por isso também podemos pensar em medir a inovação adotando indicadores relacionados a outras áreas beneficiadas pelos projetos de inovação implementados na empresa.

Essa amplitude significa que profissionais e gestores de todas as áreas podem contribuir com o trabalho de medição.

Para isso, é importante que a liderança da empresa estimule uma cultura inovadora, explicando aos colaboradores porque e como medir inovação.

Calcule o ROI da inovação

O ROI (Retorno sob Investimento) é uma medida direta, que mostra o retorno sobre cada real investido em inovação.

O ROI é expresso matematicamente, como uma porcentagem, representando o ganho líquido obtido em relação ao investimento realizado. A lógica do resultado é bastante simples: quanto maior o ROI, mais lucrativo é o investimento.

  • Se o ROI é superior a 0, significa que o retorno é maior que o investimento inicial, indicando um resultado positivo;
  • Por outro lado, se o ROI é negativo, indica que o investimento não gerou um retorno financeiro satisfatório.

A fórmula básica para fazer o cálculo do ROI é:

ROI = (Retorno do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento.

Ao final, o resultado é multiplicado por 100 para expressá-lo em porcentagem.

Por exemplo, se um projeto gerou um retorno de R$ 6.000 e teve um custo de R$ 5.000, o cálculo seria:

ROI = (6.000 – 5.000) / 5.000 * 100 = 20%

Nesse caso, o ROI é igual a 20%, indicando que o investimento gerou um retorno considerável em relação ao seu custo.

Calcular o ROI é algo indispensável para escolher as ações futuras do seu negócio, mas é importante ressaltar que esse não é o único indicador  a ser considerado.

De acordo com cada contexto, ele deve ser usado em conjunto com outras medidas financeiras e indicadores de desempenho para uma análise mais completa.

Além de observar os números para cada iniciativa, é interessante que as empresas compreendam os resultados trazidos pelo processo de inovação como um todo.

Essa postura é especialmente importante quando a cultura da organização ainda resiste à inovação, havendo um foco excessivo na busca pela “grande ideia”.

Mostre aos colaboradores como medir inovação além dessa ideia do senso comum de grandes feitos, pois são os pequenos ajustes que muitas vezes mantém a empresa de pé e pronta para dar os grandes saltos.

É preciso levar em conta que as inovações têm diferentes focos. Elas podem visar o crescimento, buscando ganhar novos mercados, aumentar a participação no mercado atual ou expandir a oferta de produtos e serviços, por exemplo.

Por outro lado, algumas inovações também podem ter o objetivo de sustentar o negócio, melhorando a eficiência operacional, reduzindo custos, aprimorando processos internos ou fortalecendo a marca.

Dessa maneira, para calcular o ROI de inovação, é fundamental definir indicadores que estejam alinhados com os objetivos da iniciativa.

Alguns exemplos de indicadores comumente utilizados incluem:

  • Maior market-share, que mede o aumento da participação de mercado da empresa como resultado da inovação;
  • Maior engajamento dos colaboradores, que mensura o nível de envolvimento e comprometimento dos profissionais em relação à inovação;
  • Eficiência operacional em processos, que foca na melhoria nos processos internos da empresa como resultado da inovação;
  • Retorno financeiro, lucro e receita que quantificam o impacto financeiro da inovação.

Como nem todos os resultados são diretamente mensuráveis ou tangíveis, o cálculo do ROI de inovação tende a ser mais complexo.

Use o método Innovation Accounting

Innovation Accounting (Contabilidade da Inovação) é uma abordagem que visa medir, avaliar e gerenciar o valor dos investimentos no contexto da inovação em uma organização.

Já que a estratégia de empresas inovadoras, como as startups, gira em torno da inovação, elas estão mais familiarizadas com esse conceito.

A metodologia busca trazer uma perspectiva mais precisa e abrangente sobre os efeitos das iniciativas de inovação.

A Innovation Accounting reconhece que o processo de inovação difere dos processos tradicionais de contabilidade e gestão, pois envolve riscos e resultados a longo prazo.

Dessa forma, é necessário adotar métricas e indicadores específicos para quantificar e registrar o valor das atividades inovadoras, permitindo que a organização tenha uma visão clara do retorno sobre o investimento realizado.

Estabeleça os OKRs da área da inovação

Quando um negócio opera de modo estratégico, todos os setores são guiados por um destino claro, que pode ser traçado de acordo com a Metodologia OKR.

Os Objectives and Key Results, ou Objetivos e Resultados-Chave, também estão presentes na área de inovação.

A primeira parte é evidente, e trata dos objetivos que ela planeja alcançar. Aumentar os lucros, reduzir o desperdício de matéria-prima, otimizar o processo de seleção, e assim por diante.

Já os Key-results são os pilares centrais desse objetivo – se queremos reduzir o desperdício, por exemplo, podemos focar na queda de resíduo do processo produtivo das máquinas em 50% no semestre, no reaproveitamento da matéria-prima com reclicagem em 60% no bimestre.

Perceba que tudo isso pode ser medido através do estabelecimento dos OKRs aplicados ao processo de inovação.

Conclusão

Pensar em como medir inovação é perceber que, além da criatividade, precisamos de gestão para ter boas ideias que gerem resultados.

É por meio dessa tarefa que uma empresa mantém seu fluxo de inovação, realizando melhorias de forma constante ao invés de aguardar por um lapso de inspiração.

Acompanhar essas iniciativas, que vão desde a geração de ideias até a proposição de ajustes com base nos resultados, requer ferramentas adequadas, como é o caso do Software de Gestão de Inovação da AEVO, que conta com os principais recursos para você medir – e impulsionar – a inovação.

Solicite uma demonstração gratuita, e saiba como adequar o software aos processos da sua empresa!

Livia Nonato

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), atua na área de marketing, content e SEO há quatro anos, tendo como principal foco a otimização para mecanismos de busca, gestão e crescimento dos canais de aquisição orgânico, performance e growth. Experiência e conhecimento em SEO para empresas B2B e produtos complexos. Atualmente, é analista de SEO na AEVO e aborda temáticas de inovação e tecnologia como redatora do blog AEVO.

Compartilhe o post

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sidebar versão 2 para o copy AEVO One-Stop Shop de Inovação

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.