Como fazer um cronograma de treinamento eficaz

Apesar do que o nome indica, um cronograma de treinamento não é apenas uma agenda para marcar essas iniciativas. Ele vai desde o planejamento até o acompanhamento da aprendizagem realizada por cada colaborador numa organização, envolvendo processos como a análise das habilidades atuais, a pesquisa de novas formações e a implementação das atividades.

Coordenar o desenvolvimento de uma equipe é uma tarefa de crescente importância, afinal as inovações fazem com que as empresas dependam de novas habilidades para manter uma boa posição no mercado. Para isso, gestores podem contar com as capacitações, e para que isso ocorra de forma ordenada, o cronograma de treinamento é recurso muito relevante.

O mercado também está se tornando cada vez mais complexo, conforme a especialização do trabalho se intensifica e os grandes treinamentos para um setor inteiro perdem sua eficiência.

É preciso buscar novas maneiras de pensar e conduzir o aprendizado, e diante dessa demanda, ferramentas como o cronograma de treinamento vem ganhando ainda mais força. Saiba mais neste artigo.

O que é um cronograma de treinamento?

Apesar do que o nome indica, um cronograma de treinamento não é apenas uma agenda para marcar essas iniciativas. Ele vai desde o planejamento até o acompanhamento da aprendizagem realizada por cada colaborador numa organização, envolvendo processos como a análise das habilidades atuais, a pesquisa de novas formações e a implementação das atividades.

Ele costuma estar nas mãos do RH, que manterá o cronograma de treinamento alinhado às demais ferramentas utilizadas na gestão de pessoas.

Essa é uma tarefa contínua – o cronograma não é feito uma vez e seguido à risca, mas atualizado sempre que novas oportunidades ou necessidades são identificadas por seus responsáveis.

O trabalho com o cronograma tem como objetivo central equilibrar os interesses do negócio e dos profissionais a respeito do seu desenvolvimento, capacitando as pessoas para atender as demandas da empresa, sem perder de vista as aspirações e dificuldades de cada colaborador.

Essa abordagem faz com que a equipe tenha um desenvolvimento rápido, sem perder o foco nas suas atividades atuais, encontrando os melhores momentos para cada pessoa aproveitar os treinamentos, mentorias e outros modelos de aprendizado.

Apesar de ter sido mais utilizado em organizações com desafios internos, ou empreendimentos que estão crescendo rapidamente e precisam expandir suas capacidades, o cronograma de treinamento pode ser útil em qualquer situação.

Isso acontece porque, além de identificar e preencher as lacunas do negócio, ele também permite adequá-lo às tendências para ter um bom desempenho no futuro.

Benefícios do cronograma de treinamento

Essa ferramenta é tão valiosa para as empresas quanto para seus colaboradores.

Ela permite que o profissional tenha acesso aos recursos necessários para se desenvolver, executar suas atividades com maestria e avançar na carreira.

Ao mesmo tempo, ajusta as ineficiências no trabalho, capacita as pessoas para novas funções, aumenta a produtividade e impede os afastamentos que a falta de oportunidades poderia causar.

Como montar um cronograma de treinamento eficaz

Não basta agendar um treinamento e esperar que os profissionais compareçam no dia; para ter bons resultados com o cronograma de treinamento é preciso realizar um planejamento estratégico, baseado nas seguintes etapas:

Defina o tema, prazos e objetivos

Qual área será trabalhada dentro de um cronograma específico? Ele pode ser voltado a uma habilidade técnica, adequação à cultura do negócio ou apresentação de novos conceitos, por exemplo.

É importante que haja um objetivo bem definido e mensurável, com o prazo no qual ele deve ser alcançado.

Ao fim dessa etapa, o cronograma de treinamento irá conter uma orientação do tipo: Lucas deve adquirir domínio sobre as ferramentas X, Y e Z, sendo capaz de usá-las para organizar os relatórios financeiros da empresa dentro dos próximos 120 dias.

Estabeleça etapas menores dentro do todo

Ao longo desses 120 dias, aponte quais elementos são relevantes para o objetivo final, e quais os prazos intermediários para alcançar cada um.

Mantendo o exemplo acima, será preciso avaliar os conteúdos que Lucas irá buscar, quais tarefas serão realizadas, e assim por diante.

Formalize o cronograma de treinamento

Nesse ponto iremos organizar as direções apontadas anteriormente, criando de fato um documento que será o cronograma a ser seguido pelo profissional.

Existem vários métodos para atender a essa demanda, desde uma lista de tarefas básica até gráficos que indicam visualmente o momento de cada etapa ou a porcentagem que ela representa no objetivo global.

Também é possível optar por um modelo analógico – papel e caneta – ou contar com os benefícios de uma plataforma de gestão como o AEVO Innovate, possibilitando contribuições remotas ou a organização dos documentos relevantes para o cronograma, por exemplo.

Apresente aos envolvidos

O profissional deve reconhecer as tarefas que são esperadas dele, e os prazos de cada uma. A equipe de RH pode apresentar o cronograma com horários definidos para as atividades, ou discutir isso com a pessoa indicada.

É importante buscar a validação do colaborador sobre o projeto, oferecendo algum grau de autonomia para que ele possa se ajustar melhor ao cronograma.

Isso diminui as chances de que o profissional seja sobrecarregado entre o trabalho e o aprendizado, além de aumentar o seu engajamento com as atividades que terá de realizar.

Crie um calendário de acompanhamento

O calendário vai permitir uma visualização simplificada do cronograma, para que todos os envolvidos percebam facilmente quanto tempo falta até sua próxima meta, ou o quanto já avançaram dentro das expectativas traçadas inicialmente.

Ele pode ser pensado como uma versão resumida do cronograma de treinamento, o qual terá mais informações e detalhes sobre as etapas.

Faça um check-list

Essa é mais uma ferramenta simples para garantir o acompanhamento das tarefas indicadas, e pode conter tanto os passos relativos ao estudo em si, quanto as entregas que o colaborador deve fazer para comprovar seu avanço.

Colha feedbacks dos participantes

A coleta de feedbacks pode ter início assim que o cronograma de treinamento é implementado, escutando os colaboradores ao longo de cada etapa, e durar até a conclusão do último passo.

As opiniões e sugestões dos profissionais podem ser usadas para aperfeiçoar seus próximos ciclos de aprendizagem, bem como na estruturação de cronogramas semelhantes para outros colaboradores.

É importante que as pessoas sejam estimuladas a discutir tanto a qualidade do programa realizado quanto da sua participação – o engajamento que tiveram, a evolução obtida, o esforço necessário para concluir os desafios, e assim por diante.

Conclusão

O cronograma de treinamento é uma ferramenta dinâmica e com grande potencial para estruturar melhor os ciclos de aprendizado em organizações de todos os tamanhos.

Sua grande força está em se adequar às necessidades e possibilidades do colaborador, sem perder de vista os objetivos do negócio.

Você pode impulsionar o retorno obtido com essa e outras ferramentas ao levar seu processo de gestão para uma plataforma especializada no assunto, como o AEVO Innovate. Ele conta com soluções para facilitar a comunicação entre a equipe, alterar o projeto de forma remota em tempo real, coletar feedbacks e estruturar a visualização da iniciativa em diversos modelos.

Fale com um de nossos especialistas e descubra o que mais a AEVO pode fazer para acelerar o desenvolvimento da sua organização!

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.