D2C: o que é e porque ele é mais vantajoso que o B2C

o-que-e-d2c

Com a procura cada vez mais frequente dos consumidores pelas compras online, tornou-se mais fácil para indústrias venderem os seus produtos, sem intermediários. Esse modelo de negócios é o chamado D2C.


E se você quer entender melhor o que é e porque ele é mais vantajoso que o B2C continue lendo este artigo e confira as informações dos tópicos a seguir.


O que é D2C?

O D2C é a sigla para Direct to Consumer e se trata de um modelo de negócios no qual a indústria comercializa de maneira direta os seus produtos para o consumidor final, sem a necessidade de contar com distribuidores e revendedores.

Esse modelo de negócios é chamado ainda de venda direta ao consumidor ou estratégia de desintermediação e oferece inúmeras vantagens para as empresas que fabricam a sua mercadoria e desejam se aproximar do seu público-alvo.

O D2C é uma tendência dos últimos anos, sendo que um dos principais motivos é o advento das vendas online, pois com elas se torna muito mais simples para um fabricante comercializar as suas mercadorias por conta própria.


B2B, B2C e D2C – Quais as diferenças?

Além do D2C, existem outros modelos de negócios, como é o caso do B2B, que significa business to business, e do B2C, que quer dizer business to consumer.

Enquanto o B2B refere-se às empresas que comercializam as suas mercadorias ou prestam serviços para outras empresas, o B2C indica os negócios que vendem produtos ou serviços para o consumidor final.

A diferença entre esses modelos está, principalmente, em quem é o cliente da empresa, sendo que no D2C, assim como no B2C, é o consumidor final. No entanto, distinguem-se na forma como realizam a venda para o público.


Vantagens e desvantagens do D2C

O modelo Direct to Consumer tem conquistado indústrias dos mais diversos segmentos de mercado em decorrência das suas inúmeras vantagens. Veja a seguir quais são os principais benefícios de uma empresa investir no D2C.


Expansão do público consumidor

Ao utilizar esse modelo de negócios, a indústria consegue expandir o seu público consumidor, pois não depende exclusivamente de outras empresas para promover os seus produtos.

Mas para que essa vantagem de torne realidade, é preciso ter uma estratégia de marketing direcionada para as vendas diretas. Provavelmente, a empresa já realize campanhas publicitárias, o desafio é o de promover esse novo canal de vendas.

E da mesma forma identificar quem são os consumidores que vão passar a comprar direto do fabricante, para entender suas necessidades e conseguir supri-las.

Com a estratégia adequada, a indústria consegue se aproximar do público, aprender mais sobre o seu comportamento de compra e até mesmo desenvolver produtos mais assertivos e aprimorados.


Redução do número de intermediários

No momento que a indústria reduz o número de intermediários, é possível diminuir os custos com o processo de venda, além de oferecer preços mais competitivos no mercado.

Isso porque não há mais tantos gastos com representantes, lojas físicas, distribuidores e outros intermediários. Por consequência, o número de vendas pode aumentar, bem como a lucratividade do negócio.

Por outro lado, a empresa que opta pelo D2C se torna responsável por todos os custos que envolvem a venda, principalmente, com logística e fidelização dos clientes. Assim, pode ser adequado combinar o novo modelo com o B2C em um primeiro momento.


Facilidade de realizar as vendas

Mais uma vantagem de migrar para o D2C é a facilidade de realizar as vendas.

Se há alguns anos esse modelo de negócios não fazia parte dos planos da indústria devido aos altos custos operacionais, hoje, com as vendas online o processo é muito menos dispendioso.

Exige apenas a criação de uma loja virtual e investimento em ações de marketing para divulgá-la, bem como em uma equipe para atuar nas vendas online. E se a empresa já possui presença online, o processo fica ainda mais simples.

Quanto à logística, ela já existe na indústria, sendo necessário somente direcionar parte dos esforços para as vendas diretas.


Desvantagens

Apesar de tantos benefícios, o D2C também oferece algumas desvantagens. Entre elas, está a relação com as empresas para as quais a indústria comercializa os seus produtos. Mesmo que a parceria continue, podem considerá-la uma concorrente.

Para esse empasse existem alternativas, como vender no modelo D2C produtos exclusivos, que outras lojas não comercializam, ou ter um outlet, com mercadorias de linhas e/ou coleções antigas.

Para garantir a transparência, é recomendado comunicar aos parceiros intermediários a adoção do novo modelo de negócios. Além disso, pode ser preciso fazer mudanças na estrutura da indústria, o que exige uma avaliação.

Em geral, o estoque e a logística são os mais afetados, sendo necessário definir como tratar esse aspecto. Pode ser preciso ainda implantar um processo de logística reversa para clientes que desejarem trocar ou devolver os produtos.


Tendências do D2C

Entre as tendências do D2C está a de apostar nas lojas virtuais de nicho, diversificando o seu portfólio para ampliar o alcance da marca, o que é essencial para posicioná-la como referência no mercado.

Como uma das vantagens desse modelo de negócios é aproximar a indústria do seu público consumidor, outra tendência é focar na experiência do cliente. Ou seja, garantir que ele tenha uma experiência não só satisfatória como única no e-commerce.

Isso é possível conhecendo-o muito bem, identificando as suas necessidades e suprindo-as. Além disso, a plataforma da loja virtual deve ter uma ótima navegabilidade, contar com visual atraente para o público e permitir que encontre o que busca com facilidade.

Também é essencial oferecer meios de pagamento variados, bem como operações simples, fáceis e seguras.

E já que uma das tendências é focar no consumidor, é necessário ainda possuir uma logística eficiente para que os produtos cheguem no prazo. E claro, oferecer um pós-venda de alta qualidade para reter os clientes e fidelizá-los.


Exemplos de empresas D2C

Já é possível encontrar exemplos de empresas D2C em diferentes segmentos de mercado. Veja alguns exemplos a seguir:


Growth Suplemnents

A loja virtual de suplementos é também responsável pela sua fabricação, assim, não conta com representantes, revendedores e lojistas para chegar ao cliente. Devido a isso, consegue oferecer descontos especiais na vendas online.


MadeiraMadeira

Mais um exemplo de empresas D2C é a MadeiraMadeira, que possui e-commerce onde é possível encontrar uma grande variedade de produtos para o lar, inclusive de outros fabricantes. Mas ela também vende a sua própria linha de produtos.


Tesla Motors

A empresa automotiva Tesla Motors é outra a atuar no modelo de negócios de vendas diretas. Assim, fabrica e comercializa seus veículos e acessórios diretamente para o público consumidor.


Nike

Apesar de ser uma marca amplamente comercializada no varejo, a Nike possui um canal de vendas direta com o consumidor, que busca por seus itens de vestuário, calçados e acessórios esportivos.


Apple

Outro exemplo de empresas D2C é a Apple, que possui e-commerce próprio onde os consumidores podem comprar a sua ampla variedade de produtos. Mesmo assim, é uma marca vendidas em muitas lojas.


Conclusão

O D2C tem sido a aposta de muitas empresas, que desejam obter as suas vantagens, como proximidade com o público e maior conversão de vendas.
E para aplicar esse modelo de negócios na sua indústria é importante desenvolver uma estratégia assertiva, o que pode depender da troca de ideias e experiências dos seus colaboradores.

Nesse momento, o AEVO Innovate se mostra uma ferramenta altamente valiosa, porque é um software de inovação perfeito para empresas que desejam crescer com o conhecimento da sua equipe.

Descubra todas as vantagens e funções que essa ferramenta oferece para o seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *