Diagrama de Ishikawa: como fazer e exemplos práticos

Diagrama-de-Ishikawa

Não importa em que área uma empresa atue, os diversos processos que acontecem dentro dela às vezes, podem dar errado. Quando isso acontece, é necessário que essas falhas sejam solucionadas. Mas primeiro é preciso saber exatamente em que ponto elas aconteceram, certo?

A questão é que erros podem ter uma ou mais causas, e nem sempre elas são óbvias ou fáceis de detectar. Por isso é tão importante que sejam utilizadas metodologias como o Diagrama de Ishikawa, que colaboram na investigação de problemas, dos mais simples aos mais complexos.

O Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta específica e muito eficiente para esse tipo de situação. Você pode contar com ele para identificar a raiz de um problema e gerar soluções a partir daí, e até mesmo obter a melhoria dos processos organizacionais.


O que é o Diagrama de Ishikawa e qual sua origem?

O Diagrama de Ishikawa se apresenta como um gráfico que demonstra as possíveis razões para as falhas, defeitos ou variações indesejadas em um processo.

Em outras palavras, ele ajuda a descobrir as causas que potencialmente contribuíram para um efeito problemático, por isso, outro nome pelo qual ele é conhecido é diagrama de causa-e-efeito.

O nome do Diagrama de Ishikawa vem de seu desenvolvedor, o engenheiro Kaoru Ishikawa, que era um famoso especialista em gestão de qualidade. Ao desenvolver o diagrama, em 1943, seu objetivo era que a qualidade dos produtos fosse melhorada continuamente, sempre subindo um degrau a mais.

Com o passar das décadas, a ferramenta passou a ser implementada na análise de causa de problemas, favorecendo uma abordagem de melhoria constante.


Por que usar o diagrama de Ishikawa?

A palavra-chave dessa ferramenta é facilidade.

Primeiro: ela é muito fácil de entender, já que representa de forma simples e visual as causas e efeitos de um problema.

Segundo: ela facilita a organização da equipe para discutir o problema por meio do brainstorming.

Terceiro: ela ajuda o problema a ser solucionado mais facilmente.

E o Diagrama de Ishikawa não apenas torna mais fácil que a raiz real de um problema seja encontrada, mas possibilita que ele seja resolvido permanentemente, sem que a equipe se apoie no velho sistema de achismos.

Não podemos simplesmente supor uma causa e tentar resolvê-la no chute, pois isso põe em cheque recursos da organização – você estaria gastando para consertar algo que pode não ser o verdadeiro problema.

Mesmo que o motivo “chutado” tenha sido correto, e se houver outras causas secundárias? Elas vão continuar invisíveis, causando problemas sem ninguém se dar conta, pois todos vão achar que está tudo resolvido.

Para evitar situações como essas, o diagrama tem o objetivo de eliminar todos os defeitos de um processo, visando o contínuo aprimoramento na qualidade destes.


Diagrama Espinha de Peixe

A técnica recebe outro nome popular: Diagrama Espinha de Peixe. O motivo é o formato da sua estrutura, semelhante ao esqueleto deste animal:

A cabeça representa o problema que você quer investigar. Na espinha dorsal estão conectadas as possíveis causas que, por sua vez, são divididas em categorias que  as organizam para favorecer uma discussão de forma ordenada.

Diagrama-de-Ishikawa

Já que a maneira mais comum de criar um diagrama é fazendo um brainstorming com seu time, as categorias são importantes nisso, porque ela foca a discussão num grupo particular de causas em vez de considerar todos os fatores possíveis de uma só vez.

Você pode criar as categorias que quiser, mas é muito comum usar os 6 Ms, que abrangem as causas gerais envolvidas em qualquer problema. Veja cada um deles em detalhes a seguir.


Os 6Ms

Máquinas: Muitos problemas derivam de falhas em máquinas ou equipamentos, as quais podem ser causadas por mau uso ou falta de manutenção.

Por isso, é sempre importante supervisionar todos os equipamentos, para que a sua operação esteja dentro dos conformes, evitando danos futuros.

Materiais: Esse problema é relacionado ao uso de componentes físicos e químicos no processo. Por essa razão é importante ter um bom relacionamento com seu fornecedor, para que ele ofereça os materiais corretos, na quantidade necessária e na qualidade ideal.

Mão de obra: Sabemos que os humanos são suscetíveis a erros. Este M se relaciona com as atitudes dos colaboradores na execução das atividades. O problema pode ser causado por sua pressa, imprudência, falta de qualificação ou mesmo falta de competência.

Meio-ambiente: São problemas relacionados ao ambiente interno e externo da organização. Os externos podem ser a poluição e instabilidade climática, por exemplo. Os internos podem ser a falta de espaço, layout incorreto, ruído, entre outros.

É fundamental ter um ambiente de trabalho favorável a todos, para que haja mais prazer no desempenho de suas funções.

Medidas: Este “M” está relacionado às métricas utilizadas para medir, controlar e monitorar processos. Você pode estar usando uma maneira incorreta de medir seu processo, e isso está gerando retrabalho e prejudicando o andamento das funções.

Esse é um M que pode ser mais desafiador, pois não é tão visível quanto uma falha em suas máquinas ou um profissional improdutivo, por exemplo.

Métodos: Refere-se aos procedimentos e métodos adotados pela organização durante as atividades. O método pode ser definido por meio de software e ferramentas de planejamento, representando a maneira como você planeja o andamento de suas atividades e controla o que está acontecendo.


Como aplicar o Diagrama de Ishikawa?

Como você viu, a composição do diagrama de Ishikawa é muito simples e não um grande segredo envolvido em sua elaboração.


Passo 1: Defina o problema

Comece pela cabeça do peixe, pois ela irá representar o efeito a ser analisado. Antes de tudo, nomeie o problema. Se for apropriado, também identifique Quem estava envolvido no processo, Onde e Quando ele ocorreu. Reúna o maior número de informações sobre o problema, mas lembre-se: é importante que essa definição seja precisa e objetiva.


Passo 2: Considere as categorias que podem estar envolvidas

Você deve traçar uma linha horizontal partindo da cabeça do peixe em direção à esquerda. Depois, desenhe as linhas transversais que irão representar as categorias onde se encaixam as causas. Para ajudar a definir as categorias, você pode se basear em alguns ou todos os 6 Ms, dependendo da situação em questão.


Passo 3: Faça o brainstorming das causas

Reúna uma equipe com pessoas de diferentes áreas para ajudar na elaboração do Diagrama de Ishikawa. Após a apresentação das informações sobre o diagrama, é necessário promover um brainstorming sobre o problema a ser resolvido.

As principais causas devem ser estudadas, classificadas e priorizadas. Se elas forem muito complexas, você pode dividi-las em subcausas em linhas conectadas à causa principal.


Passo 4: Analise o Diagrama

Nesse estágio, você acabou de montar todo o diagrama. Ele está mostrando todas as causas imaginadas para que, finalmente, sejam elaboradas ações focadas na correção das prioritárias, que podem ser as mais prováveis, ou as mais rápidas de resolver, por exemplo.

Dependendo da complexidade e da importância do problema, agora você pode investigar as causas mais prováveis ​​com mais detalhes. Isso pode envolver realização de pesquisas, testes, entrevistas, e assim por diante.

Hipóteses vão ser projetadas para testar quais dessas possíveis causas realmente estão contribuindo para o problema.


As vantagens do Diagrama de Ishikawa

O Diagrama de Ishikawa proporciona diversos benefícios, entre os quais podemos citar:


As relações entre causas e efeitos são mostradas de forma clara e lógica

O Diagrama de Ishikawa exibe as conexões entre o efeito e suas possíveis causas categorizadas logicamente. Por esse motivo, elas podem ser facilmente compreendidas.


Todas as causas são exibidas ao mesmo tempo, em um só lugar

O Diagrama de Ishikawa ilustra cada uma das razões possíveis para o problema em um único diagrama, o que permite uma análise aprofundada e facilita a apresentação do problema e suas soluções a quem for interessado.


Facilita a realização do brainstorming

A ferramenta otimiza o brainstorming em torno das razões para um determinado efeito, pois captura todas as causas de forma estruturada em categorias.


Estimula a resolução de problemas

As razões mostradas em uma ferramenta visual, e a investigação da causa principal pode estimular sua equipe a descobrir possíveis soluções para os problemas.


Ajuda a manter o foco da equipe

A estrutura em espinha de peixe ajuda a analisar todas as partes envolvidas na situação e garante que ninguém desperdice energia perseguindo problemas inexistentes.


Conclusão

Em qualquer situação onde seja necessário entender todos os fatores que contribuem para um problema, o Diagrama de Ishikawa pode ajudar. Ele é uma ferramenta simples, que permite ir direto para a ação e dar os primeiros passos para resolver o desafio, mas sem perder de vista o planejamento e a estratégia.

Não caia na tentação de tentar resolver algo rapidamente antes de você entender todos os fatores envolvidos no processo. É preciso que você dedique algum tempo para construir o diagrama, mas esse trabalho garante que você irá identificar aspectos relevantes para resolver o problema definitivamente.

Uma plataforma de gestão como o AEVO Innovate é o lugar ideal para construir o seu diagrama, reunindo as contribuições de todos os envolvidos com o problema e estruturando um planejamento para acompanhar a implementação das soluções, assim como os seus resultados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *