Diversidade e inclusão

Quando atrelamos a diversidade e inclusão ao ambiente empresarial, há um grande benefício para o clima e cultura organizacional, além de também agregar valor às relações entre os colaboradores e os seus resultados. Saiba mais neste artigo.

Diversidade e inclusão são temas que vêm sendo cada vez mais discutidos no cotidiano, na mídia e nos ambientes organizacionais.

Hoje, toda empresa tem a necessidade de analisar o quanto seu negócio e sua marca apresentam diversidade para o público que consome e o quanto dão espaço para as pluralidades em seu interior.

Com a integração da diversidade e da inclusão, a organização consegue demonstrar uma visão ampla e atrativa para todos, além de passar uma mentalidade mais aberta e respeitosa.

Para atingir esse objetivo, torna-se fundamental entender melhor o que é diversidade e inclusão, quais as diferenças entre esses conceitos e como podemos colocá-los em prática.

O que é diversidade e inclusão?

Diversidade e inclusão é uma pauta, que também podemos nomear como tema, que fala sobre pessoas, suas singularidades, vivências, experiências e formas de se colocar no mundo; e o modo em que serão inseridas em diversos espaços — sociais, econômicos, políticos e corporativos.

Quando atrelamos a diversidade e inclusão ao ambiente empresarial, há um grande benefício para o clima e cultura organizacional, além de também agregar valor às relações entre os colaboradores e os seus resultados.

Entenda, agora, a origem de cada um dos conceitos, suas diferenças e como desenvolver em sua empresa.

Diversidade

A diversidade está relacionada ao conceito de pluralidade, ou seja, características, comportamentos e valores que tornam as pessoas únicas.

Diversidade pode ser entendida como quaisquer características que diferem as pessoas uma da outra.

Também significa multiplicidade e variedade, estando ela relacionada a todos os atributos que caracterizam ou diferenciam  os indivíduos dentro de uma sociedade.

Essas características podem ser físicas ou até mesmo de personalidade, como veremos adiante.

Inclusão

O conceito de inclusão é a capacidade de entender e reconhecer o outro que é diferente em um ou vários aspectos, respeitando suas pluralidades e o integrando no ambiente.

A inclusão é o ato de criar espaços saudáveis para pessoas com  aspectos diferentes do seu, aceitando e lidando com as diferenças.

Deste modo, é possível adaptar o ambiente para que todos que estejam presentes sejam respeitados e consigam conviver independente das singularidades.

Além da importância de entender o que é diversidade e inclusão, é fundamental saber diferenciar os tipos de cada uma delas, confira na sequência.

Tipos de diversidade

Saiba quais são os tipos de diversidade e inclusão

Existem vários tipos de diversidade; é necessário conhecer e compreender as suas diversas modalidades, para desse modo avaliar melhor visar se seu negócio está trabalhando com algumas delas, e quais poderiam receber mais espaço.

Idade: é normal que numa empresa existam pessoas de todas as idades, algumas apresentando mais experiência de trabalho e outras nem tanta.

É importante preparar o ambiente de trabalho para que estas pessoas de conhecimentos e gerações diferentes possam atuar em conjunto, usando estratégias para mitigar as questões negativas e potencializar os atributos positivos relacionados à idade, transformando a diversidade numa força.

Gênero: gênero é um tema bastante sensível quando se trata da nossa sociedade, sendo comum que mulheres ainda encontrem barreiras quando o tema é igualdade de direitos no mercado de trabalho.

Os problemas mais discutidos são a diferença salarial para as mesmas funções, o impacto dos filhos na carreira, a maior exposição aos diversos tipos de assédio e o número reduzido nas posições de liderança.

A organização deve ficar atenta a estes cenários, criando políticas para entregar um ambiente de trabalho positivo.

Etnia: a etnia pode ser interpretada como os traços físicos e as afinidades culturais de um grupo, definindo os aspectos dos indivíduos a partir de sua origem étnica. A diversidade étnica entre indígenas, negros e brancos é a mais evidente no Brasil, e em algumas regiões também é preciso considerar a presença de grupos orientais diversos.

Religião: as principais religiões presentes no nosso país, considerado sincrético, são o catolicismo, o protestantismo, o espiritismo, a umbanda e o candomblé. É importante salientar que qualquer crença fanática tende a criar conflito no ambiente, pois não considera outros pontos de vista e caminha em direção à intolerância religiosa.

Orientação Sexual: a orientação sexual ainda é um tema muito polêmico e sensível, mas vem sendo discutido mais seriamente com o tempo. Para as organizações avançarem no tema, é preciso garantir espaços corporativos igualitários e livres de preconceito, impedindo que a vida particular de cada funcionário afete suas oportunidades no trabalho.

Condição Física: apesar de termos uma lei com mais de 20 anos (Lei no 8.313/1991) obrigando as empresas a destinar parte de suas vagas a Pessoas com Deficiência (PcD), sua presença no mercado de trabalho ainda é vista como um problema por muitas organizações, que precisam avançar nas discussões para promover uma integração efetiva desses grupos.

Formas de inclusão

Inclusão é o ato de unir as diversidades de maneira que nenhuma diferença dê margem ao preconceito e a desigualdade. É possível colocar essa ideia em prática utilizando ações como:

  • Dinâmicas: as dinâmicas organizacionais fazem com que todos se conheçam e tenham um momento para se aproximar. É necessário visar dinâmicas adaptadas a todos da equipe, utilizando a equidade para realizá-las;
  • Equidade: a equidade é saber que cada um é diferente e, portanto, será preciso utilizar formas diferentes para atender às necessidades de cada um. Um exemplo simples de equidade é habilitar o espaço da empresa para PCDs, com rampas e elevadores para cadeirantes, leitores de tela e documentos em braille para auxiliar pessoas cegas, e assim por diante;
  • Respeito: o respeito é a chave para tudo, principalmente quando se trata de diversidade. Saber que cada um tem uma forma de ser, com pensamentos e realidades diferentes da sua, gera uma mentalidade mais aberta e possibilita o respeito às singularidades de cada um.

Importância da diversidade e inclusão nas empresas

Além de valorizar e atender diferentes pessoas, as empresas também podem começar a ver diversidade e a inclusão como um ponto forte para o crescimento do negócio.

Com diferentes visões de mundo interagindo, estamos construindo um espaço mais favorável à criatividade e inovação, o que pode resultar em processos mais eficientes ou produtos realmente adequados aos diversos grupos da sociedade.

A importância do assunto também faz governos e grandes organizações buscarem parceiros com um conhecimento real sobre o que é diversidade e inclusão.

Um exemplo disso é a Johnson & Johnson, que adotou uma política na qual todos os parceiros e fornecedores precisam demonstrar investimentos na área.

Mas, para que as empresas realmente tenham a diversidade e inclusão como valor, é preciso ter ações. Falaremos sobre isso na sequência, siga a leitura.

Ações de diversidade e inclusão nas empresas

Quais as ações de diversidade e inclusão nas empresas? Conheça as principais no texto

Ações de diversidade e inclusão nas empresas são as práticas promovidas por organizações para conduzir uma estratégia que acolha um capital humano mais diversificado, em que se incluam perfis heterogêneos no ambiente de trabalho.

Isso significa que, independente da origem, raça, experiências, personalidade, credo, orientação sexual, etc., qualquer pessoa que compartilhe da visão da empresa pode se encaixar e ser acolhida profissionalmente.

A estratégia de diversidade e inclusão, portanto, consiste em inserir todas as pessoas que demonstram habilidades capazes de fazer a diferença para a empresa.

Isso é  uma atitude muito diferente – e mais eficiente – do que simplesmente forçar as pessoas a se adequarem a um padrão pré estabelecido de comportamento e forma de pensar.

As ações de diversidade e inclusão devem ser planejadas, mas antes disso é preciso haver um propósito a ser seguido. O sucesso das iniciativas promovidas pela gestão de pessoas depende dessa assertividade.

Além disso, não dá para decidir por criar um ambiente de trabalho diverso do dia para noite. Em uma empresa tradicional, por exemplo, isso seria um impacto muito grande, a estratégia enfrentaria resistência e todos os movimentos empenhados seriam em vão.

Para agir de maneira correta, deve haver uma mudança gradativa na postura interna. Tais mudanças são feitas de forma transparente para que todos saibam para onde estão caminhando e por que seguir esse caminho é importante.

A cultura da organização é responsável por impulsionar e sustentar o resultado das ações, por isso, tornar a cultura mais alinhada com esse propósito é fundamental.

Veja a seguir algumas iniciativas e ações necessárias para incentivar a diversidade e inclusão nas empresas.

1 – Mudança da mentalidade dos gestores e líderes

A diversidade e inclusão não são assuntos apenas para o departamento de Recursos Humanos (RH) lidar isoladamente. Líderes e gestores de toda a empresa são peças chaves para que as diferenças convivam e produzam de forma eficiente.

Para isso, o mindset deve estar a favor nos cargos de liderança também, de forma que eles compreendam a importância que cada profissional tem e possam agir para estimulá-los.

Se a postura ainda não é aberta às diferenças, é essencial promover essa mentalidade através da comunicação, demonstração com exemplos, prospecção e treinamento para desenvolver uma gestão empática e acolhedora.

2 – Tenha a diversidade e inclusão como valor

Diversidade e inclusão não podem ser tratados como um discurso vazio, apenas visando obter ganhos.

Para que essa estratégia tenha sucesso, tais preceitos devem fazer parte do coração da empresa. Só assim é possível cultivar uma postura empática que promova o respeito e a valorização de perfis diversos alinhados ao da organização.

3 – Proporcione treinamentos e capacitações

É importante investir para que os colaboradores se tornem aptos a contribuírem na estratégia de diversidade e inclusão.

Treinar e capacitar os membros da empresa é uma forma de definir a diversidade como propósito e garantir o desenvolvimento de habilidades necessárias para que ela aconteça de fato.

4 – Promova integração da equipe

Estabelecer o senso de pertencimento na equipe é um objetivo que não pode ser esquecido.

Promover práticas de integração através de ferramentas de comunicação, confraternizações, execução conjunta de projetos e etc, ajudará a fortalecer o contato entre as equipes e a desenvolver um clima positivo para todos na organização.

5 – Dê espaço para a fala de todos

A partir da expressão das ideias e das opiniões de cada um, ações transformadoras podem ser levadas aos processos organizacionais. É assim, em um terreno propício, que novas soluções, produtos e serviços florescem.

A inovação será a força motriz para alavancar os resultados da empresa e isso começa na comunicação e nas ideias que surgem na própria empresa.

6 – Tenha um departamento responsável pelas ações

Promover ações de diversidade e inclusão nas empresas requer comprometimento, e o trabalho de uma equipe com esse foco é muito importante.

Recomenda-se, inclusive, que a gestão estruture comitês de diversidade cuja composição seja feita por pessoas também diversas. Isso será, além de um exemplo, uma boa forma de guiar a organização a tomar as melhores decisões.

7 – Estimule a diversidade cognitiva

A diversidade cognitiva em uma organização é a presença de diferentes habilidades, personalidades, capacidades e formas de operar compartilhando o mesmo ambiente de trabalho.

Essa variedade de perfis implica em um maior dinamismo nas relações e na forma como o negócio encontra soluções. Com isso, fica fácil entender o quanto a empresa pode se beneficiar do fator multipotencialidade reunido em um só lugar.

Um time multipotencial demonstra uma verdadeira simbiose nas qualidades que os colaboradores possuem. Ou seja, as qualidades podem ser super diversas, mas são também complementares, formando um combo de recursos necessários para uma produção mais eficiente.

Profissionais com perfis heterogêneos irão possibilitar muitas camadas de ideias e soluções para a empresa, eles irão balancear as lacunas uns dos outros com seus atributos mais fortes e, claro, trazer resultados mais satisfatórios como saldo final.

Principais benefícios

Redução do turnover

Uma empresa que estimula diversidade e a inclusão no seu dia a dia sentirá o impacto positivo nos índices de turnover. Ou seja, o turnover será reduzido, significando também que a retenção de talentos estará em condições favoráveis.

O bom profissional deseja usar suas habilidades e continuar crescendo, então quando ele percebe que suas competências são requeridas, suas ideias são ouvidas e estão fazendo a diferença, ele sente que seu trabalho está tendo o devido valor na organização.

O colaborador nota também que esse é um ambiente favorável ao seu crescimento e, com isso, sentirá mais vontade de permanecer se desenvolvendo e contribuindo junto ao negócio.

Aumento do engajamento

O ponto de partida para a adoção da diversidade e inclusão no ambiente de trabalho é a valorização das ideias que vêm das mais variadas fontes. Isso inclui liberdade, reconhecimento e incentivo para que os colaboradores mostrem o que têm a oferecer.

Com isso, os membros da empresa se sentirão mais confortáveis e motivados a expor suas ideias e opiniões, tornando-se figuras mais ativas em suas equipes.

Com colaboradores mais estimulados a contribuir com suas próprias visões dentro do negócio, a diversidade cognitiva também tornará o leque de ideias para soluções, serviços e produtos muito mais amplo.

Isso terá reflexo na produtividade da organização, que se torna mais dinâmica.

Assim, em vez de ficar presa a ciclos de ideias que deixavam o processo mais lento e limitado, a organização pode apostar em projetos com verdadeiro potencial de movimentar as atividades para o avanço.

Equipes mais funcionais e produtivas

Apostar em um capital humano mais diversificado significa também uma maior eficiência dos processos organizacionais, pois as equipes utilizam seu potencial para produzir mais e melhor.

Embora possa haver discordâncias, um time de funcionários diverso e bem liderado irá trabalhar em conjunto de forma fluída, complementando as contribuições uns dos outros para encontrar soluções mais ágeis para chegar aos objetivos.

Dessa forma, os problemas são resolvidos mais rapidamente e a equipe pode se adaptar mais facilmente às mudanças e interrupções.

Soluções inovadoras

Outra grande vantagem que uma empresa aproveita ao ter uma força de trabalho cognitivamente diversa são soluções mais inovadoras.

É natural que, à medida que pensamentos diferentes são estimulados, mais caminhos vão se abrindo, pois cada um irá oferecer sua perspectiva e possibilidades, e isso levará a uma tomada de decisão mais inovadora.

E não dá para negar o quanto isso é importante, pois quanto melhor o seu negócio estiver inovando, mais preparado estará para o crescimento.

Dito isso, você pode estar se perguntando como desenvolver e gerir esses times diversos em uma companhia, certo? Listamos, abaixo, as principais iniciativas de gestão de diversidade nas empresas, acompanhe.

Como desenvolver a gestão de diversidade na empresa?

Existem diversas formas de desenvolver a gestão de diversidade, e buscar mais informações já é o primeiro passo.

Outra iniciativa importante é olhar para seu ambiente organizacional e perceber se ele está tão diversificado como poderia.

Reconhecer o desafio, no entanto, é só o começo. A partir daí, é necessário construir pilares para desenvolver a gestão de diversidade na empresa, como se ater a cultura organizacional e ter em mente a diversidade nos processos de treinamento, e assim por diante. 

Reveja a cultura organizacional 

O Brasil ainda vive problemas básicos, como a desigualdade salarial entre homens e mulheres, ou pessoas brancas e negras que exercem a mesma função.

O desequilíbrio também se reflete nas posições de liderança – uma pesquisa realizada pela Page Executive estima que 90% dos CEO’s no país sejam homens brancos, por volta dos 50 anos.

Rever a cultura organizacional é olhar para questões como essa no interior da organização, avaliando como as políticas de seleção, treinamento, bonificações e promoções oferecem ou tiram o espaço de determinados grupos.

Considere também a segurança que as pessoas terão para atuar, evitando que algumas sofram com assédio, provocações ou represálias de colegas, por exemplo.

Assegure a diversidade nos processos de recrutamento

Além de rever a cultura organizacional, também é preciso se atentar nos processos de recrutamento, avaliando qual o padrão predominante entre as pessoas contratadas, além da forma como esses processos são estruturados e quais atitudes podem ser tomadas para abranger mais pessoas.

Ao anunciar as vagas, veja quais são os critérios que estão sendo enfatizados na busca de novos profissionais.

Após essa verificação, destaque como a empresa está aberta para diversos tipos de pessoas, de amplas realidades sociais, dessa forma é mais provável que os candidatos compreendam o propósito da sua empresa e o seu alinhamento com a diversidade e inclusão.

Outra forma de enfatizar a diversidade é colocando recrutamentos em foco de um grupo social.

Num exemplo recente, tivemos a Magazine Luíza lançando programas direcionados a pessoas negras como um esforço para bater as metas que a própria organização traçou para sua gestão de diversidade.

Tenha uma comunicação interna aliada

A imagem externa é de enorme importância, mas também é preciso lembrar do que ocorre no interior da empresa, buscando conversar e debater ideias e soluções para aumentar a diversidade.

A comunicação interna deve ser usada para entender o ponto de vista e as opiniões de diversas pessoas, principalmente daquelas que não costumam receber tanto espaço.

Um exemplo simples é perguntar como a empresa pode evitar ser capacitista para um funcionário com deficiência.

Caso a empresa ainda não tenha aplicado a diversidade na organização e não possua grupos minoritários, converse com todos e saiba como eles lidam ou o quanto cada um conhece sobre essas pautas.

Outra possibilidade é convidar pessoas e instituições focadas nesse tema para realizar palestras e treinamentos, capacitando a sua equipe.

Crie um ambiente receptivo à diversidade

Abraçar a gestão de diversidade não significa apenas trazer pessoas diferentes para o negócio – é preciso avaliar como elas podem, de fato, se integrar ao dia a dia da empresa.

Reconhecer as necessidades da organização e dessas pessoas é o caminho para integrar a diversidade, com o preparo de um ambiente que seja confortável para todos ali inseridos.

Para isso vai ser preciso reconhecer os problemas da empresa, o que falta e o que pode melhorar, tudo de acordo com as pessoas que vão ser colocadas ali, pois cada uma terá demandas diferentes, e é aí que a equidade entra em cena.

Repare em pontos como:

  • A empresa possui rampa?
  • Seus documentos são acessíveis para pessoas com deficiência visual ou auditiva?
  • A linguagem usada no dia a dia permite termos que podem ser considerados racistas, machistas, transfóbicos, capacitistas…?

Perceba como é preciso fazer uma adaptação, física ou psicológica, para receber grupos diversos, e prestar atenção nos detalhes faz toda a diferença.

Monitore KPIs de RH para a diversidade

Como estamos falando sobre gestão, é preciso ficar atento aos indicadores da empresa.

É fundamental que se tracem e acompanhem as métricas de diversidade, que podem começar pelo número de pessoas e passar por salários, oportunidades para avançar na carreira e inclusão em posições de liderança.

Essas métricas devem ser acompanhadas para comparar os dados da organização e de como ela trabalha, antes de adotar a gestão de diversidade e depois, o que pode melhorar, o que não deve mais acontecer e quais as ações devem ter continuidade.

É importante ir além das cotas e legislações que visam números altos de diversidade como uma ferramenta.

O ideal é que a diversidade seja um valor, e não apenas uma obrigação que a empresa deve cumprir.

Conclusão

Estimular a diversidade e inclusão na sua organização é uma tarefa importante, mas complexa, visto que há tantas vozes para serem escutadas, e é preciso dar espaço para cada uma se expressar sem perder de vista os objetivos da organização.

Uma forma interessante para equilibrar as múltiplas forças de uma empresa diversa é implementar um programa de inovação, apoiado por uma ferramenta como o AEVO Innovate.

Com essa plataforma de inovação colaborativa, os profissionais podem transformar suas ideias em projetos para estimular ainda mais a inclusão, atender novos mercados e impulsionar os resultados do negócio.

Solicite uma demonstração gratuita e saiba o que mais a AEVO pode fazer pela sua organização!

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.