Exemplos de Ambidestria Organizacional – Conheça 8 cases de sucesso

exemplos-de-ambidestria-organizacional

Como você faz a gestão do seu tempo durante o dia? Usa um caderno, um aplicativo ou um calendário? E como você faria para gerir os projetos de inovação da sua empresa?

Decidir onde investir os lucros é uma tarefa difícil, mas uma coisa que deve ser considerada nessa etapa é: como e onde inovar.

Existem dois pilares principais de inovação que abordam esse conceito, e hoje vamos explicar um pouco mais deles e te mostrar exemplos de ambidestria organizacional de grandes empresas.

A ambidestria organizacional nada mais é do que o balanceamento do seu portfólio de inovação divido em dois pilares: sustentação e crescimento.


INOVAÇÃO DE SUSTENTAÇÃO (EXPLOITATION)

Incrementação e aprimoramento em cima do que você já domina é o que define a inovação de sustentação. Trabalhando com base na melhoria contínua, em busca de um crescimento a longo prazo, a exploitation possui baixo risco, execução linear, planejamento previsível e menor propabilidade de falência.


INOVAÇÃO DE CRESCIMENTO (EXPLORATION)

Revolucionar mercados e investir em apostas está mais ligado a inovação de crescimento. Focado na descoberta de novos mercados, produtos ou serviços, a exploration tem um alto risco de incerteza e custo, além de ser mais sucetível a falhas, porém busca a adaptação rápida e evolução do processo.

ambidestria-organizacional-quadro
Fonte: The Invicible Company

Leia mais sobre o assunto aqui: Ambidestria Organizacional: Como balancear inovações do presente e futuro


Exemplos de ambidestria organizacional

Vamos mostrar de forma prática a diferença entre os dois pilares de inovação com exemplos de ambidestria organizacional.

Explotation – Sustentação

TED

ted

Você provavelmente já ouviu ou viu uma palestra do TEDx Talks, ou conhece alguém que te indicou uma apresentação muito interessante.

O TEDx Talks é organizado pela fundação Sapling, dos Estados Unidos, uma organização sem fins lucrativos que busca promover ideias ao redor do mundo.

Com assuntos extremamente variados, de ‘’A filosofia da felicidade’’ até ‘’Como parece inteligente em uma palestra’’, o TEDx Talks tem atingido cada vez mais pessoas.

Mas, qual foi a grande inovação? Criado em 1984 as conferências eram somente presenciais, e a partir de 2006 a primeira foi ao ar de forma online, ‘’Averting the climate crisis’’, em tradução livre, ‘’Evitando a crise climática’’.

Com a internet e os avanços tecnológicos fazer uma live hoje é muito simples. Seja no Instagram, TikTok, Youtube ou Zoom, é só apertar um botão. Mas, imagine em 2006 a diferença que isso fez.

Com as palestras online, o TED não tinha mais o fator limitante da presença das pessoas, eles podiam ir muito mais além, atingindo mais pessoas e alcançando seu objetivo de espalhar ideias que valham a pena, como diz em seu slogan.


INTEL

intel-exemplos-de-ambidestria-organizaciona

Talvez o seu computador ou notebook tenha um selo prateado dizendo Intel, core i7 10th GEN ou algo similar. Você sabia que isso foi uma inovação de sustentação?

intel-corel

Nascida em 1968, a empresa de tecnologia Intel não era muito conhecida no início, uma vez que seus produtos, processadores para computadores, ficavam literalmente escondidos dentro das dos aparelhos.

Em 1990, ela teve uma ideia – co-branded. Uma forma muito inteligente de começar a divulgar mais a sua marca. Assim, criou-se o selo Intel que hoje já vem em todos os computadores e notebooks que contém processador da Intel.

Aparentemente a estratégia deu resultado, afinal, hoje a empresa vale mais de 70 bilhões de dólares.


ADOBE

ADOBE-exemplo-de-ambidestria-organizacional

Photoshop, Premier, Illustrator, você conhece algum desses softwares?

Líder de mercado quando se trata de programas para edição de fotos e vídeos, a Adobe antigamente disponibilizava o uso de seus softwares através de um preço único.

O usuário comprava a licença por um determinado valor, instalava o Photoshop em seu computador e podia usar para o resto da vida.

A dificuldade da empresa era: como convencer o cliente de que a cada ano que passa, ele deveria atualizar sua licença para uma versão mais nova do programa?

Todos os anos a Adobe lança uma versão atualizada de seus softwares, e em geral, de um ano para outro, não há nada muito inovador que convencesse o cliente a dar um upgrade na sua licença.

Foi então que ela teve uma ideia – receita recorrente. Quem não gosta de ter um dinheiro fixo todo mês caindo na conta?

Atualmente o usuário que quer adquirir os programadas da Adobe, cria uma conta na Creative Cloud e então faz uma assinatura mensal para usar os programas selecionados. Existem vários planos, corporativos, universitários, de um único software ou de um combo.

Por que isso é uma inovação de sustentação? A Adobe criou uma segurança maior para empresa e uma estabilidade que antes não tinham, pois agora aqueles que querem usar algum dos programas, precisa pagar um valor fixo todos os meses. Em contrapartida, o usuário tem todas as ferramentas e recursos sempre atualizadas.


Exploration – Crescimento

TUPPERWARE

tupperware

A famosa marca de utensílios domésticos de plástico, Tupperware foi criada na década de 40 pelo engenheiro Earl Tupper. A composição do plástico utilizado para fabricar as peças por si só já era inovador – um material caro, porém leve e inquebrável.

Mas, a grande inovação da marca, vista por Brownie Wise, foi a forma de vender os produtos. Na década de 50 criou-se o conceito de venda por demonstração.

Os vendedores levavam os produtos até o domicílio dos clientes ou em uma reunião familiar, e mostravam diversas opções. Dessa forma, os eles poderiam ver de perto a qualidade e versatilidade da Tupperware.

Algum tempo depois começaram as vendas por revista, assim como temos com outras grandes marcas como Avon e Natura. Isso foi uma forma inovadora de venda direta, sem precisar pagar aluguel de uma ponto físico, ou gastos com funcionários e logística, além de ser uma forma das mulheres da época gerarem sua própria renda.


DOLLAR SHAVE CLUB

dollar-shave

Em 2011, dois amigos, Mark Levine e Michael Dubin discutiam sobre os altos preços das lâminas de barbear nos Estados Unidos.

Pensando em uma dor que os atingia diretamente, eles buscavam formas de como resolver esse problema. Então, surgiu a ideia– vender lâminas de barbear mais baratas de forma direta, eliminando a distribuição, através de um clube de assinaturas.

Divulgando o serviço através de um vídeo no Youtube que se tornou viral, gerando mais de 12 mil pedidos em apenas 48 horas, a Dollar Shave Club fornece planos mensais onde o cliente escolhe o tipo de lâmina, produtos adicionais e frequência mensal/anual de entrega. É uma caixa de assinaturas assim como o clube do livro ou clube de maquiagem, mas de produtos para barba.

A ideia deu tão certo que apenas um ano depois a empresa foi adquirida pela Unillever por 1 bilhão de dólares.


FORD

ford-exemplo-de-ambidestria-organizacional

Com certeza você conhece a gigante do setor automobilístico. Responsável por uma das grandes mudanças do setor, em 1908 a Ford lançou o Ford Model T, um veículo simples e barato, porém robusto e seguro. Esse modelo foi feito para que qualquer motorista conseguisse consertar, sem precisar de ir a um mecânico, tornando-o muito popular.

Porém, em 1913, o empresário Henry Ford pensando em agilizar a produção do Model T, implantou a consagrada linha de produção, fazendo com que a montagem dos carros fosse muito mais veloz.

O que antes era produzido praticamente de forma artesanal, passou a ganhar escala, o que barateou o custo, gerou mais empregos – uma vez que na linha de montagem eram necessários vários operários, cada um responsável por uma parte do veículo – além de um aumento significativo na produtividade e eficiência.

A partir daí os carros Ford foram ganhando cada vez mais notoriedade e preferência do público e começaram a ser fabricado em outros países.


MAS, E EXEMPLOS DE AMBIDESTRIA ORGANIZACIONAL COM OS DOIS PILARES DE INOVAÇÃO?

A ambidestria organizacional requer um equilíbrio no portfólio de inovação (sustentação e crescimento) , e é exatamente o que a Microsoft fez.

Uma das maiores fábricas de softwares do mundo, não começou com o seu produto de mais destaque, Windows. Inicialmente a empresa foi fundada para desenvolver interpretadores BASIC para o Altair 8800, um computador pessoal de 1975.

Mas com os anos, ao invés de desenvolver softwares para outras empresas, a Microsoft criou algo que ela pudesse vender e licenciar, tendo total propriedade intelectual. Então em 1985 foi lançado a primeira versão do Windows.

A Microsoft se viu em um cenário onde o mercado não valorizava tanto os softwares quanto os hardwares. Então, para tornar o mercado de softwares rentáveis, eles precisavam gerar valor desenvolvendo o produto e mostrando ao mercado do que ele era capaz.

Hoje vemos que as coisas são bem diferentes. A Microsoft fez parcerias com diversos fabricantes, implementando o Windows nos computadores direto na fábrica.

Dessa forma, assim que a pessoa adquirisse um aparelho, ele já viria com o sistema operacional Windows. Isso popularizou muito a empresa e embora hoje ela não seja mais líder de mercado, perdendo para o sistema operacional Android, visto que a compra de smartphones aumentou drasticamente com o passar dos anos, ela ainda é uma referência na tecnologia e uma empresa que vale bilhões de dólares.

Analisando agora a questão da inovação de sustentação, nós podemos citar dois exemplos dentro da Microsoft.

Se antes ela desenvolvia softwares para computadores, hoje ela tem diversos outros produtos como o Outlook (antigo Hotmail), Microsoft Teams, One Drive, Pacote Office, Internet Explorer, Xbox, Smartphones Lumia (antigo Nokia), entre outros.

Ao longo dos anos ela foi aprimorando seus produtos, lançando outras versões do Windows e aumentado seu portfólio para alcançar mais market share e valor de mercado.

Além disso, em 2014 o CEO Satya Nadella, disruptou o modelo de organização da Microsoft, partindo de uma empresa fechada para a inovação aberta.

Nadella implementou um ecossistema de inovação para atender seus consumidores e facilitou a entrada da comunidade de programadores para trabalhar com seus apps. Suas ferramentas hoje conversam e se integram com plataformas de outras empresas, não são mais ‘’Microsoft only’’.


CONCLUSÃO

Inovar é necessário e as maiores empresas do mundo já perceberam isso. O setor de tecnologia é um dos mais ascendentes do mercado e as organizações mais valiosas estão ligadas a ele.

Entretanto, sua empresa não precisa estar no setor de tecnologia para inovar. Pelo contrário, a inovação deve estar presente independente do segmento de atuação de uma companhia.

Investir em inovações de sustentação para manter a competitividade ou arriscar em algo mais radical e disruptivo para ganhar mercado? A resposta depende do momento atual que sua empresa está e quais são os objetivos a curto, médio e longo prazo.

Inovar de forma radical com algo revolucionário nos dias de hoje é mais difícil, visto que as inovações de crescimento que citamos de grandes empresas, hoje, parecem simples e óbvias.

Mas pense como elas foram necessárias e impactaram positivamente na tecnologia, hábitos de consumo e comportamento que temos hoje.

Para te ajudar nessa jornada em busca da inovação, nosso software AEVO Innovate é o ideal. Fale com um especialista e solicite sua demonstração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *