Gestão de mudanças: o que é e como fazer

Imagine o número transformações que ocorreram nas últimas décadas. Sem dúvida, foram muitas. É possível destacar o surgimento de novas tecnologias, processos produtivos e normas que regem as organizações. Nesse contexto, é crucial ter uma exímio gestão de mudanças.

Essa gestão demanda um esforço contínuo da empresa, seus líderes e operários. É preciso estar preparado para realizar diversas transformações, que vão desde aspectos estruturais da empresa até psicológicos de cada um dos seus colaboradores.

Quando isso é feito, é possível arquitetar um empreendimento mais resistente à longo prazo, capaz de se adaptar às diversas transições do ambiente externo e se destacar continuamente da concorrência — tudo isso gera um imenso diferencial competitivo!

Pensando nisso, criamos um conteúdo especialmente para você. Explicaremos com clareza o que é essa gestão, quais seus principais níveis e como aplicá-la em sua companhia. Continue lendo e fique por dentro do assunto.

Afinal, o que é gestão de mudanças?

Para ficar claro, a gestão de mudanças é uma das principais áreas de estudo da administração. Seu foco está na necessidade contínua de adaptação das companhias. Atualmente, sabe-se que empresas que não se adaptam pegam um breve caminho para o insucesso.

Não é à toa que é cada vez maior o número de companhias que fecham suas portas. De acordo com pesquisa do escritor norte-americano Robert Cooper, 70% das companhias da Fortune 500 de 1955 já fecharam as portas. Das que faziam parte da mesma lista em 1979, 40% não existem mais. Das que faziam parte da lista em 2000, 30% deixaram de existir.

Com a gestão de mudanças é possível quebrar paradigmas internos, proporcionando transformações mesmo nos níveis mais profundos da empresa. Essas transformações podem estar relacionadas a diversas coisas, como as tecnologias, pessoas e a estratégia de atuação.

Mas é importante destacar que nunca é fácil implementar transformações. Há diversas resistências que devem ser consideradas, tais como: medo do desconhecido, falta de capacitação, interesses pessoais dos indivíduos e alguns valores sociais.

Os diferentes níveis de mudança da empresa

O processo de mudança pode existir em diferentes níveis e de diferentes formas. Algumas são planejadas, outras não. Algumas são pequenas, outras grandes. Quando maior e mais urgente, mais complexa será sua transição.

Conheça agora os principais tipos:

1. Mudança incremental

São mais superficiais e constantes na empresa. Podem ser implementadas por meio de pequenos ajustes no dia a dia. Como, por exemplo, é possível destacar a utilização de novas tecnologias ou a venda de uma nova linha de produtos.

2. Mudança planejada

Geralmente acontece em meio a um período de bonança, onde o gestor possui tempo para calcular o que será feito. Seu objetivo é tornar a empresa ainda mais eficiente. Como exemplo, é possível destacar a estratégia reposicionamento de uma marca no mercado.

3. Mudança emergente

Nesse caso, o negócio necessita dela para sobreviver no mercado. Geralmente não é algo bem planejado, acontece por motivos de ameaças externas. Como exemplo, é possível destacar uma empresa que precisa se reformular financeiramente para superar uma crise.

4. Mudança radical

É o tipo mais profunda, geralmente aplicada quando há a necessidade de acabar com o que existe para dar lugar a algo totalmente novo. Como exemplo, é possível destacar a possibilidade de redirecionamento organizacional (mudança de área de atuação), venda ou aquisição de determinadas unidades de negócio.

As principais etapas de gestão de mudanças

Para que esse processo seja mais eficaz e eficiente, é importante atuar de forma planejada e utilizar as diversas variáveis a seu favor. Para o professor de Harvard John Kotter, essa gestão deve acontecer em 8 principais passos. Conheça:

1. Crie um senso de urgência

Esse senso refere-se a forma como as pessoas avaliam a necessidade da mudança e a importância de agir de forma imediata. Todos na empresa, dos executivos aos operários, devem entender que há uma necessidade real — isso despertará a motivação.

2. Estabeleça time para liderar

Todos os objetivos de uma empresa só podem ser conquistados por meio do trabalho conjunto de diversos profissionais. Por isso, é importante criar uma equipe polivalente, capaz de influenciar as pessoas no processo de transformação e eliminar os problemas existentes.

3. Desenvolva uma nova visão e estratégia

É preciso criar uma visão de futuro para a empresa, onde deve-se chegar e como isso é diferente do status quo. Também é necessário estabelecer a estratégia para tornar isso realidade, falando sobre os diversos recursos que serão aplicados.

4. Aprimore o processo interno de comunicação

O diálogo dentro da empresa tem um importante papel. Quando há eficiência, é possível mitigar os erros, conflitos interpessoais e tornar todo o time mais alinhado. Com uma boa comunicação, todos os profissionais entenderão com clareza o processo de transição.

5. Remova possíveis barreiras e capacite as pessoas

É preciso eliminar qualquer coisa que possa atrapalhar a mudança, tais como: o excesso de burocracia e a centralização do poder. Sobretudo, é importante capacitar os colaboradores para lidar com as transições que acontecerão na empresa.

6. Crie vitórias no curto prazo

Uma mudança pode levar bastante tempo, especialmente as mais complexas. Então é importante desmembrá-la em pequenas metas, as quais possam ser alcançadas (com esforço) ao longo do caminho. Isso dará uma sensação de conquista.

7. Não diminua o ritmo

Após as primeiras conquistas, é possível que a equipe diminua o ritmo ou perca o foco do objetivo maior – um grande equívoco. É preciso manter a alta performance dos colaboradores, somente assim os objetivos realmente desejados serão conquistados.

8. Faça a mudança permanecer

Por uma questão cultural, grande parte das transições de um negócio deixam de existir com o passar do tempo. Para que isso não aconteça, é importante incorporar as novas mudanças ao DNA da empresa, fazendo com que todos os profissionais tenham-na como parte do dia a dia.

Ao aplicar esses passos, conseguirá realizar uma excelente gestão da mudança e garantir que a companhia se adapte mesmas as situações mais complexas. Com isso, terá em mãos um grande diferencial competitivo e consolidará seu negócio no mercado.

Gostou no nosso conteúdo? Está pronto para implementar uma gestão de mudanças? Aproveite para assinar nossa newsletter e ficar sempre por dentro das nossas novidades!

Posts Relacionados
Todos insistem em dizer que sabem o que estão fazendo, por amar a própria ideia.
Não é novidade para ninguém que a gestão de projetos se tornou essencial para a
Com o cenário empresarial cada vez mais competitivo, é necessário inovar para se destacar. Buscar

Um comentário em “Gestão de mudanças: o que é e como fazer

Deixe uma resposta