Gestão estratégica de negócios: o que é e como implementar

A gestão estratégica de negócios é a definição de objetivos para a empresa e o direcionamento adequado dos seus recursos para atingir o cenário desejado. Ela produz um modelo de atuação que integra os diversos setores da organização, alinhando pessoas, ferramentas e capital.

Cada empresa tem suas próprias metas, mas deve sustentar essa visão frente aos desafios que a realidade apresenta. Ir dos objetivos aos resultados é um grande desafio. Nesse sentido, a gestão estratégica de negócios será uma ponte para trilhar esse caminho rumo ao sucesso.

Entenda o conceito de gestão estratégica de negócios, como ela impacta positivamente nas empresas e como implementar. Siga a leitura.

O que é gestão estratégica de negócios?

A gestão estratégica de negócios é a definição de objetivos para a empresa e o direcionamento adequado dos seus recursos para atingir o cenário desejado. Ela produz um modelo de atuação que integra os diversos setores da organização, alinhando pessoas, ferramentas e capital.

Suas principais funções são:

  • A análise, para entender o que está acontecendo dentro e fora da empresa;
  • O planejamento de uma resposta para esse cenário e o acompanhamento das ações implementadas, conferindo seus resultados para traçar os próximos passos.

Uma organização que atua de modo eficiente e conquista seus resultados tem a gestão estratégica de negócios como centro gravitacional. Todos os processos, recursos e tarefas giram ao seu redor, com direção e ritmo ditados pela gestão.

Isso não significa que a empresa irá se tornar rígida ou burocrática.

A gestão estratégica de negócios permite que os níveis seguintes – tático e operacional – possam se adaptar às mudanças de cenário, como uma nova tecnologia ou um movimento importante dos competidores. Dessa forma, o destino se mantém, mesmo que os caminhos sejam alterados.

Do mesmo modo, a gestão estratégica é uma tarefa que cabe às lideranças do negócio, mas não precisa ocorrer a portas fechadas.

É possível, e até mesmo valioso, escutar profissionais em todas as camadas da organização, colhendo informações sobre o que está acontecendo e sugestões de mudanças pontuais para guiar um processo de melhoria contínua.

Gestão e planejamento estratégico

Existe uma ligação muito forte entre os dois conceitos, e se você já tem familiaridade com o planejamento estratégico, sabe como funcionam as primeiras etapas da gestão.

O planejamento começa por uma leitura do cenário atual, e se encerra com a construção de objetivos e metas que a empresa irá buscar ao longo dos próximos meses ou anos.

Quando isso é feito, a gestão estratégica de negócios já está em andamento. A diferença é que, enquanto o planejamento está pronto, a gestão continua, atuando para transformar essas propostas em mudanças concretas nos resultados da empresa.

Como surgiu o conceito de gestão estratégica de negócios

A gestão estratégica de negócios é um conceito amplo, e em constante desenvolvimento.

Embora as práticas tenham mudado ao longo do tempo, podemos dizer que se houve uma análise do mercado, definição de objetivos e implementação de ações para alcançá-los, a gestão estratégica estava presente.

Ela ganhou força ao longo dos anos 80 e 90, com a popularização de modelos como o Toyotismo e o trabalho de Michael Porter em diversos livros sobre estratégia e competitividade. Eles deram impulso a uma abordagem de gestão que resultou em ferramentas e sistemas como o Balanced Scorecard, os Objectives and Key Results e o Ciclo PDCA.

Como implementar a gestão estratégica de negócios

A gestão estratégica de negócios é um processo, e embora cada empresa vá encontrar na prática a sua “fórmula perfeita”, existem algumas etapas que não podem ser descartadas:

Análise

Existem diversas forças, que podem ajudar o negócio a crescer, ou atuar como barreiras para o seu desenvolvimento.

Não importa qual é a empresa ou o setor, temos de lidar com profissionais, ferramentas, finanças internas, consumidores, fornecedores, competidores, novas tecnologias, situação econômica e política, e assim por diante.

A etapa de análise procura entender os pontos fortes e fracos da organização em cada uma dessas áreas, bem como seus riscos e oportunidades – não foi à toa que a Matriz SWOT se tornou referência durante esse momento da gestão.

Pense na análise como um mapeamento para entender todo o terreno, desde nossa posição atual até os objetivos que temos no longo prazo.

Planejamento

O planejamento estratégico vai trabalhar com todas as informações colhidas e analisadas anteriormente, encontrando os melhores caminhos para a empresa.

Algumas decisões tomadas aqui serão simples, pois haverá uma opção claramente superior. No entanto, diversos momentos vão exigir a escolha entre riscos ou oportunidades diferentes.

Quando isso ocorre, é importante estender o planejamento para considerar as formas de proteger a empresa e permitir que ela possa enfrentar as adversidades presentes e futuras.

Também é no planejamento que iremos definir as prioridades.

A empresa pode ter dezenas de objetivos para o futuro, mas deve encontrar as ações mais importantes para os próximos 90 ou 180 dias, por exemplo, alocando recursos de acordo com essa decisão.

Quanto mais atenção for dada a essa etapa, melhor será o desempenho na implementação.

Tenha em mente que questões como o engajamento dos profissionais, prazos incorretos e erros durante os processos deixam de ser imprevistos quando o planejamento leva elas em consideração.

Implementação

Com um planejamento em mãos, é hora de criar mudanças na realidade do negócio. A implementação trará seus próprios desafios, e o gestor deverá atuar para garantir um alinhamento entre os planos e a prática.

A etapa de implementação deve criar pontes da estratégia às operações, mantendo uma comunicação limpa entre a liderança e os gestores de cada equipe, bem como entre estes e os profissionais sob sua responsabilidade.

O objetivo central, aqui, é encontrar as ações concretas que atendam aos objetivos traçados.

Acompanhamento e análise

Cada movimento vai produzir um resultado, que devemos acompanhar e medir para entender de forma clara as relações de causa e efeito.

A última etapa do processo também é a primeira, já que teremos novas informações para fazer uma análise mais detalhada e iniciar um novo ciclo de ação.

Não se esqueça de avaliar tanto o desempenho geral da empresa, quanto as equipes e profissionais. Dessa forma será possível identificar onde estão os problemas, e traçar um planejamento considerando tais obstáculos para aprimorar os resultados no próximo ciclo.

Conclusão

A gestão estratégica de negócios é a base para qualquer empresa que deseja aproveitar seus recursos ao máximo e buscar objetivos cada vez maiores.

O seu desempenho pode ser aprimorado com ferramentas como o AEVO, que conta com um módulo completo para a gestão de estratégia a partir da metodologia OKRs, aproximando todos os colaboradores da empresa dos objetivos estratégicos.

Fale com um dos nossos especialistas em gestão e descubra como a AEVO pode contribuir para a estratégia da sua empresa.

Livia Nonato

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), atua na área de marketing, content e SEO há quatro anos, tendo como principal foco a otimização para mecanismos de busca, gestão e crescimento dos canais de aquisição orgânico, performance e growth. Experiência e conhecimento em SEO para empresas B2B e produtos complexos. Atualmente, é analista de SEO na AEVO e aborda temáticas de inovação e tecnologia como redatora do blog AEVO.

Compartilhe o post

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sidebar versão 2 para o copy AEVO One-Stop Shop de Inovação

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.