Goodwill: entenda o conceito e qual sua importância

goodwill

Você já ouviu falar sobre Goodwill e sua ligação com os negócios? Goodwill é um conceito sobre ativos intangíveis, ou seja, ativos não materiais que fazem parte do patrimônio total de uma empresa.

Fatores de goodwill podem fornecer uma boa vantagem competitiva para uma empresa, elevando seu valor de mercado para investidores.


O que é Goodwill?

Quando um investidor tem interesse em adquirir um negócio, é comum que ele pague um valor além daquele estipulado pelo mercado. Essa quantia ”extra” é o goodwill, ou patrimônio da marca.

Isso ocorre porque o patrimônio da empresa pode ir muito além do contabilizado. Para definir o valor patrimonial de uma companhia, muitos fatores são considerados, como market share, lucro anual, receita anual, dívidas, despesas, ebitda, etc. Mas o goodwill vai além desses fatores.

Esses ativos intangíveis demonstram a capacidade de uma organização de gerar receita. As diferenças, características e detalhes específicos de um negócio que pode gerar lucro são fundamentais para o seu crescimento e consolidação em um mercado cada vez mais competitivo.

Você pode se perguntar: por que muitas startups que ainda não geram lucro são compradas por investidores? Pois elas entregam um valor a sua base de clientes que não pode ser mensurado em termos financeiros.


Tipos de Goodwill

Afinal, quais são os ativos intangíveis que fazem parte do Goodwill?

Do ponto de vista contábil, existem alguns pontos a serem considerados ao medir esse valor.

Isso significa que o valor em questão não contempla apenas o que pode ser captado em caso de eventual alienação de um imóvel por exemplo, mas sim o valor da própria marca e a credibilidade dessa organização no mercado.

Conheça abaixo os principais tipos de goodwill que são um verdadeiro diferencial na compra ou venda de uma empresa.


Branding

Quanto vale a reputação de uma marca? O branding ou construção de marca, é um fator relevante na hora de mensurar o valor de uma empresa.

Com a transformação digital, abrir um negócio hoje é muito mais fácil do que há poucos anos, e com a digitalização dos processos, houve uma expansão acentuada de novas empresas no mercado.

O que faz um consumidor optar pela marca X ao invés da Y? Além do preço, muitos outros fatores são considerados, como: indicação de um amigo ou familiar, atendimento na loja física, experiência de navegação pelo e-commerce, pós venda, rapidez na entrega, qualidade do produto, entre outros.

Todas essas condições são responsáveis pela imagem da marca, e o que faz de fato, ela ser ou não escolhida pelos consumidores.

O branding pode levar anos para ser desenvolver, e é o alicerce de uma empresa em momentos de crise, sendo assim, indispensável ao definir o preço de venda de uma organização.


Capital intelectual

Uma empresa recém criada precisa de um tipo de profissional. Já empresas consolidadas que trabalham com tecnologias de pontas e atendem milhares de clientes, precisam de outro tipo de profissional.

Conforme um negócio cresce, seus processos precisam ser aprimorados. Um belo exemplo são as startups. Em sua fase inicial, quando ainda estão desenvolvendo um MVP, não são necessários muitos softwares, tecnologias ou pessoas especializadas.

Porém, conforme seu produto é lançado no mercado e os clientes começam a demandar novas funcionalidades, a startup precisa contratar um time mais técnico, com habilidades específicas em programação e UX design que antes não precisava.

Uma empresa com profissionais especializados, com certificações específicas, capazes de dominar plenamente uma área, valem mais.

Portanto, o capital intelectual são as habilidades e competências dos colaboradores da empresa, que quanto mais especializados forem, mais valor tem para o mercado.


Reputação

Assim como o brading é construído com o tempo, a reputação da marca também. Você não gostaria de adquirir uma empresa em que todos os colaboradores demonstram insatisfação nas redes sociais, certo?

Aqui o employer branding é essencial. O que os clientes falam de uma empresa é relevante para formar opiniões, mas o que os próprios funcionários falam, é ainda mais importante para reputação da empresa.

A credibilidade de qualquer empresa pode ir à ruína facilmente, seja por um vazamento de dados, um posicionamento ou a falta dele sobre uma questão social, ou política. Empresas com boa reputação são menos propícias a enfrentarem crises de imagem, e caso aconteça, saem menos prejudicadas do que outras. Por essa razão, a reputação faz parte do patrimônio da marca.


Gestão

A gestão de uma empresa engloba vários setores que devem estar bem alinhados com os valores e visão: gestão de pessoas, financeira, processos, inovação, vendas, marketing, etc.

Independente do modelo de gestão da empresa, seja ele horizontal, enxuto ou à vista, todos os departamentos devem ter um bom gerenciamento para elevar o goodwill de uma companhia.

Uma empresa conhecida por sua boa gestão, ganha um valor de mercado muito maior, pois os investidores sabem que não terão problemas como reformulação de hierarquia e cargos, ou até mesmo reestruturação de processos.


Exemplo de Goodwill

Uma das marcas mais encantadoras do mundo, a Disney, ao adquirir a então concorrente, Marvel, não a fez por sua estrutura física.

A aquisição foi impulsionada pelo valor dos direitos da Marvel sobre certos personagens e histórias, ativos intangíveis, porém, que geraram e ainda geram lucros grandiosos com seus filmes, quadrinhos e produtos.

Quando a marca de roupas Hering foi comparada pelo grupo Soma, que também tem em seu portfólio marcas como Farm e Animale, o valor superior a R$5 bilhões não foi referente ao lucro que a empresa dá anualmente, até porque a Hering não tem esse lucro.

O valor foi estipulado por diversos fatores, e um deles foi o goodwill. A Hering é uma empresa centenária, criada em 1880 e que sobreviveu ao longo de todos esses anos, um marco histórico para uma companhia de roupas.

Embora não seja uma marca tão popular por ter um preço acima de outras do mesmo segmento, a Hering tem uma história, branding e reputação que fizeram seu patrimônio, e consequentemente seu valor de aquisição crescerem.


Como mensurar o goodwill?

Uma peculiaridade do uso do goodwill na contabilidade é que ele não aparece no balanço da empresa. Portanto, não pode ser depreciado, distinguindo sua avaliação de outros ativos.

No entanto, o goodwill como ativo intangível tem valor, utilidade, propriedades e vida útil próprios – independentemente de determinar ou ser indeterminado.

Para determinar o valor exato desse ativo, é necessária uma análise chamada redução do goodwill. Este é um teste de recuperabilidade anual que funciona como uma pesquisa descritiva.

Esta análise é obrigatória do ponto de vista contábil e mostra o valor desse ativo. Mas lembre-se: há uma série de indicadores externos e internos que podem levar a uma redução do goodwill.

Essas discrepâncias geralmente ocorrem imediatamente após a aquisição da empresa. Por isso, cautela deve ser exercida pela administração da empresa compradora.


Como calcular o Goodwill?

Agora que você entende melhor o conceito, é hora de saber como defini-lo. O cálculo do goodwill pode ser representado por uma fórmula que torna mais fácil medir:

Goodwill = P – (A + L)

Na fórmula, P representa o valor pago pela empresa compradora, enquanto A é o valor justo do ativo e L é o valor justo do passivo. Desta forma, o goodwill é a diferença entre o justo valor menos os preços dos ativos e passivos da empresa.

Suponha que uma empresa tenha um valor justo de R$ 100.000,00 com os valores já combinados de ativos e passivos.

Vale lembrar que o cálculo pode ser diferente em determinadas situações, por se tratarem de avaliações diferentes e, principalmente, por se tratarem de ativos intangíveis. com uma fórmula adaptada a cada negócio.


Conclusão

O patrimônio de uma empresa pode geralmente é avaliado sob a ótica financeira, mas vimos a importância do goodwill nesse processo.

Um bom branding, reputação, capital intelectual e gestão são essenciais para uma empresa se tornar valiosa. E para isso, o AEVO Innovate pode te ajudar. Nosso Software de gestão da Inovação é ideal para gerir portfólios e projetos inovadores. Conheça o AEVO Innovate e veja o que podemos fazer pela sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *