Conheça 4 grandes hubs de inovação no Brasil

Hubs de Inovação no Brasil

Uma excelente alternativa para reunir startups e empresas é a criação dos hubs de inovação. Nesses ambientes, torna-se mais fácil encontrar oportunidades de parceria bem-sucedidas para o desenvolvimento de soluções inovadoras. Por esse motivo, a criação de hubs de inovação no Brasil está se tornando cada vez mais comum.

Neste artigo, você conhecerá uma seleção dos quatro principais hubs de inovação no Brasil e descobrirá um pouco sobre a história e as particularidades de cada um.


O que é um hub de inovação?

A melhor forma de explicar o conceito de hubs de inovação é por meio da metáfora do shopping center: o hub é um shopping, em que as startups são os lojistas e as empresas (assim como investidores, universidades e até o Governo) são os clientes.

Desta forma, o hub é um espaço onde as startups podem ter uma vitrine, isto é, ganhar exposição frente a potenciais parceiros. As empresas também se beneficiam, têm um canal mais fácil para descobrir startups e identificar oportunidades de colaboração no desenvolvimento de soluções relevantes para seus negócios.

O conceito de hub de inovação não se limita a um espaço físico. Atualmente, os hubs podem ser plataformas digitais, conectando startups e empresas independentemente de sua localização.


4 hubs de inovação no Brasil


InovaBra Habitat

O InovaBra Habitat é um hub de inovação desenvolvido pelo Bradesco. Ele oferece acesso ao ecossistema e apoio para fomentar soluções inovadoras para os desafios de mercado. O modo de operação envolve a participação e engajamento com o ecossistema por meio do ambiente físico e digital.

No InovaBra Habitat, as startups participantes dividem-se em três categorias. As residentes contam com posições fixas ou salas privadas. As conectadas contam com 4 day pass por mês, ou seja, podem ocupar o espaço físico em quatro dias do mês. As orbitantes não ocupam o espaço físico, mas têm acesso a eventos presenciais e virtuais.


Cubo

O Cubo é uma iniciativa criada pelo Itaú em 2015, com o objetivo de conectar as melhores soluções para construir grandes cases de inovação para o mercado. Ele conquistou o selo de mais relevante hub de fomento ao empreendedorismo tecnológico da América Latina.

Para que uma startup seja residente ou membro do Cubo, ela precisa oferecer uma solução com potencial de escala que já tenha sido testada por clientes.

As startups residentes são aquelas selecionadas para ocupar o espaço físico do Cubo, que têm a oportunidade de conexão mais direta com grandes empresas, investidores e universidades. Enquanto isso, os membros são startups que não ocupam o espaço físico, mas usufruem de alguns benefícios por meio da plataforma digital.


Wayra

A Wayra é um hub de inovação que tem o propósito de conectar a Telefônica a disruptores digitais em todo o mundo. As startups que entram nesse hub são consideradas parceiros estratégicos para o desenvolvimento dos negócios da empresa. As melhores startups do portfólio têm acesso a sua rede de 350 milhões de fornecedores e clientes, em 10 países.

As áreas prioritárias de investimento são entretenimento (jogos e vídeos), inteligência artificial, IoT, Big Data, eHealth, Edtech e Fintech. As startups participantes recebem investimento de até R$ 1 milhão e oportunidades de desenvolvimento de negócios com a Telefónica/Vivo. Além disso, ficam expostas a uma comunidade de investidores e especialistas e podem participar de expansão internacional entre hubs.


Acate

A Acate – Associação Catarinense de Tecnologia é considerada a principal representante do empreendedorismo inovador em Santa Catarina. Tem o objetivo de apoiar o ecossistema de inovação local de ponta a ponta, das startups às empresas de grande porte, gerando conexões que fortalecem o setor de tecnologia no estado.

Ela conta com mais de 1.200 associados e tem 13 polos de inovação e tecnologia no estado, além de escritórios em São Paulo e até nos EUA para prestar suporte a empresas catarinenses.

A Acate criou a incubadora MIDITEC, há 20 anos, escolhida como uma das 5 melhores do mundo. Outra iniciativa é a formação de Verticais de Negócios, que conectam empreendedores em seus respectivos segmentos para fomentar novos projetos e iniciativas. Além disso, também inaugurou o LinkLab, primeiro laboratório aberto de inovação de Santa Catarina.


Conclusão

Os hubs de inovação no Brasil oferecem às empresas uma forma mais eficiente de se inserir no ecossistema de inovação e se cercar de startups. Assim, abrem-se novas portas para trabalhar colaborativamente no desenvolvimento de soluções para seus principais desafios. Associar-se a um hub, ou até mesmo formar um, pode abrir portas para parcerias estratégicas valiosas.

Quer saber mais sobre hubs de inovação no Brasil? Acompanhe os conteúdos do blog da AEVO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *