Inovação interna: o que é, quais as características e benefícios

A inovação interna é uma ferramenta de estratégia que traz desenvolvimento para sua instituição, mas para obter esse resultado, é necessário saber aplicá-la na dinâmica do negócio. Saiba mais neste artigo.

A inovação é essencial para trazer longevidade e gerar oportunidades em qualquer negócio. Com as constantes mudanças é preciso se adaptar às novas práticas: garantir o seu lugar no mercado consumidor passa por investir na inovação como uma estratégia central da empresa.

Uma das formas para isso é a inovação interna, na qual é possível realizar todas as etapas da elaboração de uma solução utilizando apenas os recursos da organização.

O que é inovação interna?

Quando todos os processos referentes à pesquisa e desenvolvimento são realizados nas dependências da empresa, temos uma inovação interna.

Os participantes no desenvolvimento de um projeto, em todas as suas etapas, são os integrantes da instituição. Toda a condução para a preparação dos serviços ocorre internamente.

Leva-se em conta a análise, o estudo, os profissionais responsáveis por diversos setores, além dos apoiadores e dos processos realizados.

Todas as fontes de conhecimento utilizadas também fazem parte da organização.

Os projetos não são compartilhados nem com outras empresas e nem com o próprio mercado, até estarem completamente prontos para entrega.

Os encarregados pela formação do produto ou serviço até procuram referências de mercado, porém esses projetos inovadores só sairão da empresa depois de terminados.

Na inovação interna os responsáveis buscam capacitar e promover a inovação dentro da empresa.

Além de instruir os funcionários, a instituição busca pelos melhores talentos, para assim possuir o capital humano necessário ao trabalho de inovação.

Há também uma preocupação em inovar os processos de desenvolvimento dos produtos, serviços e negócios, gerando uma estrutura interna cada vez mais forte.

A empresa tem como propósito ser pioneira na inovação gerada; e por isso a realização dos processos de desenvolvimento de um projeto não conta com parcerias fora da instituição.

A organização procura manter sigilo das informações e faz uso apenas dos recursos internos para essa finalidade.

Diferença entre inovação interna e inovação externa

É importante saber que, além da inovação interna, existe também a inovação externa. Ambas possuem características bem singulares.

Então, conhecer suas diferenças é fundamental, para assim utilizar cada forma de inovação de maneira adequada, colhendo seus benefícios.

Para melhor compreensão, antes de tudo, é preciso entender que o conhecimento e ideias necessários para a inovação tem origem em diversas fontes, das mais variadas, que podem vir de ambientes internos e externos.

A diferença básica entre inovação interna e externa é bem aparente, até pelo nome é possível perceber que são polos opostos.

Características da inovação interna

Todas as informações são colhidas internamente, mas pode haver uma pequena abertura para pesquisas exteriores, sem que os parceiros ou consumidores envolvidos tenham ligação direta com o projeto.

Os funcionários da instituição são responsáveis por todas as etapas para a concretização do plano – desde a ideia à produção, do desenvolvimento ao marketing, todo este trabalho é interno, sem a participação de outras empresas, sejam elas concorrentes ou não, na produção do projeto.

A gestão da empresa possui maior controle sobre as várias fases do desenvolvimento do projeto: já que a ideia, a pesquisa e o desenvolvimento, e a produção são realizados por profissionais da instituição, toda a propriedade intelectual também é da empresa.

Essa inovação incentiva um comportamento de intraempreendedorismo, pois requer a participação de muitos colaboradores para manter um fluxo constante de novos projetos.

Características da inovação externa

Esse modelo busca fazer parcerias com outras companhias, para dessa forma trabalhar a inovação em conjunto.

Ele está aberto à participação de universidades, outras empresas, clientes, fornecedores e startups – movimento que chamamos de tríplice hélice da inovação.

Apresenta maior diversidade intelectual, pois há a participação de equipes de diversas empresas, e várias fontes de conhecimento dos mais diferentes espaços.

Com as várias fontes e fluxos de informação, pode haver uma velocidade maior no ritmo da inovação.

A propriedade intelectual tende a ser compartilhada, mas não existe uma regra de como isso deve ser feito, e as organizações participantes deverão estabelecer seus próprios acordos.

Benefícios da inovação interna

A aplicação correta da inovação interna na dinâmica da sua empresa pode trazer uma série de benefícios para o funcionamento do empreendimento, como, por exemplo:

Domínio sobre o processo inovador

A elaboração de um novo produto com exclusividade dá vantagem à empresa, por meio do controle total sobre o desenvolvimento e a posse da propriedade intelectual.

A inovação interna possibilita menor ou nenhuma necessidade de ajuda externa, pois as fontes de conhecimento e ideias utilizadas são exclusivamente advindas de seus profissionais.

Isso permite que a instituição tenha maior independência sobre como irá conduzir os projetos.

Sigilo de informações

Os riscos de vazamento de informação são bem menores, pois toda a informação está centrada em um grupo fechado, que são os integrantes da empresa.

Dessa maneira, a inovação interna possibilita que os novos projetos, produtos e serviços elaborados cheguem ao mercado com um impacto maior, pois as competidoras não terão como se preparar.

Menos falhas em projetos de rotina

Como todos os trabalhos são realizados e verificados na empresa, ocorre uma redução das falhas que podem ser causadas por problemas na comunicação com os parceiros, ou nos processos conduzidos por eles.

Dicas para implementar a inovação interna

A inovação na empresa proporciona equilíbrio e crescimento, além de garantir maior estabilidade econômica em momentos de crise.

Para alcançar os resultados desejados, a implementação deve ser realizada de forma responsável, sempre analisando as necessidades da instituição.

Utilizar a inovação interna requer cautela, pois abandonar completamente os modelos colaborativos podem causar algumas limitações.

É fundamental que haja um equilíbrio entre o uso da inovação interna e externa, para dessa forma usufruir dos benefícios que cada tipo de inovação pode oferecer.

É também necessário tomar algumas atitudes para que tudo funcione corretamente, como:

  • Investir no setor de pesquisa e desenvolvimento (P&D);
  • Capacitar colaboradores e descobrir novos talentos na organização;

Conclusão

A inovação interna é uma ferramenta de estratégia que traz desenvolvimento para sua instituição, mas para obter esse resultado, é necessário saber aplicá-la na dinâmica do negócio.

Você pode contar com uma plataforma de gestão da inovação como o AEVO Innovate para reunir as equipes dos mais diversos setores e estruturar projetos que possam aprimorar produtos, serviços e processos internos, agilizando seus resultados.

Fale com um de nossos especialistas e conheça as melhores formas de potencializar os resultados do seu negócio em parceria com a AEVO.

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.