Entenda o que é inovação transformacional

A inovação transformacional bem sucedida proporciona uma vantagem competitiva sem igual dentro do mercado, enquanto seu produto é “quente” e não tem competição. A empresa que detém o pioneirismo de um modelo, seja tecnológico ou de serviços. Saiba mais.

Se compararmos o mundo de hoje com o de 10 ou 20 anos atrás, é impossível não conseguir apontar mudanças rapidamente. Quando a pauta é inovação, podemos mencionar vários tipos, entre eles a inovação transformacional. Saiba mais.

Muitas dessas mudanças acontecem devagar. De grão em grão, cada inovação vai sendo implementada, ampliada até se tornar algo comum dentro dos modelos de produção, sem que as pessoas e as empresas sintam um impacto tão forte ao longo do processo; mas esse nem sempre é o caso.

Há inovações que vêm com tudo, trazendo um conceito e um modelo de concepção inteiramente diferentes, muitas vezes precisando que a empresa crie novos mercados para concebê-las.

Os carros elétricos, por exemplo, dependem de outra base tecnológica para se tornar realidade. Esses veículos, portanto, podem ser considerados uma inovação transformacional, pois foram uma inovação que rompeu com o mercado tradicional, provocando uma grande mudança na indústria de automóveis.

Continue a leitura e entenda o conceito de inovação transformacional e quais seus exemplos na atualidade.

O que é inovação transformacional?

A inovação transformacional pode ser associada ao que a maioria das pessoas pensa quando se fala em inovar: transformação. Em nossa mente, investir em inovação é a mesma coisa que sair do lugar comum, trazer mudanças em algum aspecto. Por esse motivo, inovar soa quase como sinônimo de transformar.

Mas se tratando do conceito de inovação transformacional em si, tal ideia de mudança é elevada a um patamar muito mais alto.

Esse tipo de inovação quase sempre se refere à introdução de novas tecnologias por uma empresa que, por sua vez, acaba embarcando em uma indústria completamente nova.

Já dá para imaginar que não se trata de algo tão comum assim, não é? Isso se deve ao fato de que as chances de uma ideia de inovação transformacional ter sucesso é pequena e os riscos são altos; porém, quando elas obtêm sucesso, trazem consigo um grande impacto para o mercado.

Diferenças de modelos

Em uma de suas classificações, a inovação é dividida em três modelos: transformacional, radical e incremental.

Inovação Transformacional

Como vimos, a inovação transformacional se trata de uma inovação disruptiva, que irá causar mudanças na atuação de determinada empresa, muitas vezes introduzindo sistemas inéditos.

Por esse motivo, ela pode ser confundida com a inovação radical, mas essa última inclui também mudanças na interação e consumo de um produto.

Inovação Radical

Como o próprio nome já diz, ela é mais radical que a transformacional. Esse modelo de inovação tende a ditar uma nova forma de fazer algo, substituindo de vez o sistema preexistente.

A Netflix, por exemplo, revolucionou a forma com que as pessoas pagam para ver filmes em casa. Ninguém precisa mais ir à locadoras para ver o filme que querem.

Outro bom exemplo de inovação radical foi o trazido por Steve Jobs com o Ipod. Nos anos seguintes, ouvir álbuns inteiros armazenados nesses pequenos aparelhos foi se tornando o padrão, tomando o espaço dos CDs físicos, que hoje são dispensáveis.

Inovação Incremental

Já a inovação incremental é a que mais acontece nas rotinas da empresa que vive uma cultura de inovação. O objetivo desse modelo é atender às necessidades do público, que são analisadas através de pesquisas e implementadas como partes de serviços e produtos.

Neste caso, não são mudanças abruptas, mas adotadas aos poucos através de estudo de mercado, de custos, de benefícios, etc.

Cada um desses tipos tem seu desempenho e propósito. A soma deles, em diferentes graus, proporciona resultados para a organização.

Se a empresa investe apenas em inovação transformacional ou radical, pode atrair o público com uma novidade, mas será difícil fidelizá-lo quando as concorrentes lançarem algo parecido, e se investe apenas em incrementos, pode ter um público fiel, mas não costuma atrair novos consumidores.

Vantagens da inovação transformacional

A inovação transformacional, quando recebe investimento ao lado dos outros modelos de inovação de uma empresa, oferece benefícios vitais.

Uma de suas vantagens é que ela não depende de nenhum modelo tradicional, ou seja, não tem a obrigação de perseguir uma maneira certa de fazer as coisas para criar algo novo a partir daí.

É por esse motivo que é possível ter casos de inovação transformacional em novas empresas, gerando startups de rápido crescimento.

A inovação transformacional bem sucedida proporciona uma vantagem competitiva sem igual dentro do mercado, enquanto seu produto é “quente” e não tem competição.

A empresa que detém o pioneirismo de um modelo, seja tecnológico ou de serviços, está, no mínimo, um passo à frente de seus concorrentes.

Riscos da inovação transformacional

A inovação transformacional é disruptiva e pode trazer inúmeras vantagens que causam impacto muito abrangente. Entretanto, isso não vem isento de risco.

Justamente por se tratar de um tipo de inovação que faz a empresa se dedicar a algo totalmente novo, envolvendo mercados nos quais nem sempre tem experiência, os riscos para a inovação transformacional são bastante elevados.

Na verdade, esse é o tipo mais arriscado de inovação e, por esse motivo, não se deve apostar todas as fichas nela.

É importante que a organização aloque diferentes percentuais de investimento em cada uma dos diferentes tipos de inovação.

O percentual de investimento em inovação transformacional pode ser maior ou menor, dependendo se a margem do mercado é mais alta, se aquele nicho é carente de tecnologia e se nele há uma grande chance de disrupção – terreno fértil para uma inovação transformacional obter sucesso.

Conclusão

Em uma realidade onde se fala tanto em transformar através da inovação, é preciso também lembrar que existem vários caminhos que a empresa pode seguir para consegui-la: inovação transformacional, incremental e radical são os principais exemplos.

Para que a organização comece a inovar de fato e, quem sabe, até mesmo romper com a lógica vigente de produção, é necessário adotar uma cultura de inovação e desenvolver uma boa gestão nessa área.

Para isso, os gestores podem contar com o suporte da tecnologia, implementando um software de gestão da inovação como o da AEVO Innovate, capaz de conduzir desde pequenos ajustes para incrementar uma área, até grandes projetos para revolucionar o mercado.

Fale com um de nossos especialistas para saber mais sobre os benefícios da plataforma para o seu negócio!

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.