Logtech: um novo cenário para o setor de logística

logtech

Logística é no mercado mundial um fator de competitividade entre países. Por esse motivo que a cultura de inovação também alcançou esse setor – e qual foi o resultado? O surgimento do termo logtech.

Acontece que os líderes do ranking Logistics Performance Index (LPI) são também as principais economias do planeta. Quanto maior o número de melhorias no processo logístico, maior a força econômica do país.

E a tecnologia na logística tem permitido isso, sendo fruto das soluções proporcionadas pelas startups de logística. Mas o que é logtech de fato? O que ela oferece ao processo logístico? Descubra todas as respostas agora!


Afinal, o que é uma logtech?

Logtechs são startups que utilizam de tecnologia aplicada ao transporte de cargas. Dessa maneira, funciona da mesma forma que uma insurtech ou construtech , mas aplicado no processo logístico.

Basicamente, elas agem como facilitadoras através de melhorias no processo logístico – melhorias que surgem pela aplicação de novas tecnologias. Com isso, seu objetivo é otimizar o transporte de cargas e a entrega de produtos.


Qual é a diferença entre uma logtech e uma empresa de logística tradicional?

A principal diferença entre startups de logística e uma empresa tradicional reside na atuação de ambas. Uma empresa de logística trabalha com uma frota de caminhões e uma equipe especializada em rotas, cálculo de frete e outros serviços relacionados.

Nisso, seu principal produto é oferecer o melhor caminho de transporte do ponto A ao B. Enquanto isso, o foco das logtechs é conectar todas as pontas do setor logístico através de novas tecnologias.

Ou seja, uma logtech não é concorrente da empresa tradicional, mas sim uma facilitadora. Seu papel é otimizar o processo logístico que ocorre entre transportadora e cliente final.


Como uma logtech beneficia o mercado?

Pelo LPI, a logística brasileira é apenas a 56ª melhor no mundo, ou seja, apresenta uma infraestrutura logística precária. Mesmo com 75% da distribuição de produção nacional ocorrendo pelo sistema rodoviário, há problemas como:

  • Fretes altos;
  • Falta de segurança das cargas;
  • Má infraestrutura das estradas;
  • Motoristas que ganham mal;

Mesmo que o governo começasse a investir mais para resolver esses problemas, ainda se levariam de 15 a 20 anos para uma estrutura logística razoável. Por isso, é essencial que empresas invistam em tecnologia na logística.

A cultura de inovação das logtechs, que aplicam tecnologias como Big Data e Machine Learning, otimiza o transporte de cargas e entrega de produtos. Com isso, contribuem para o avanço logístico do país.


Como é o mercado de logtechs no Brasil?

Já se somam no Brasil mais de 280 startups de logística, com 50% delas tendo nascido entre 2015 e 2020. Trata-se de um mercado em expansão, tendo tido nos primeiros 9 meses de 2020 um aporte geral de US$ 187,6 milhões.

Em um mapeamento feito pela GMC Solutions, 50% de todas as startups brasileiras de logística se concentram em São Paulo. Aliás, 67% delas se encontram no Sudeste (Sul conta com 24,4%, Nordeste com 4,8%, Centro-Oeste com 2,6% e Norte com 1%).


E quais são suas vantagens?


Eficiência

A inovação tecnológica das logtechs atua num dos maiores problemas logísticos: viagens sem carga. Em 40% do tempo de viagem, o transportador viaja sem carga e, como consequência, a transportadora acaba pagando fretes altos.

As logtechs trazem então uma conexão mais inteligente entre transporte e cargas, evitando a ociosidade.


Rastreabilidade

O foco das logtechs é um serviço mais rápido e eficiente nas entregas. Por isso que elas apostam no rastreamento de entrega, de forma a obter dados relevantes como:

  • Velocidade média de cada percurso;
  • Tempo médio para cada etapa do processo logístico;

Com esses dados, é possível promover melhorias no processo logístico!


As logtechs são seguras?

Um dos principais tópicos no processo logístico é a segurança da carga durante o transporte. Apesar de melhoras na incidência, ainda é muito comum o roubo de cargas no Brasil.

Contudo, segurança é uma vantagem de logtechs que costumam investir muito em IoT e outras tecnologias para proteção de cargas, como terminais de alta segurança e depósitos inteligentes.

Além disso, a inovação também existe durante o transporte, com o uso de dados para definir rotas mais seguras, melhores pontos de descarga, etc.


Algumas funcionalidades oferecidas pelas logtechs

No mercado das startups de logística, muitas empresas oferecem mais do que uma funcionalidade. Essas funcionalidades são utilizadas em diversas etapas do processo logístico, sendo elas:

  • Rastreamento de entrega;
  • Geolocalização;
  • Registro de dados;
  • Logística reversa;
  • Roteirização;
  • Cotação de frete;
  • IoT (Internet das Coisas);
  • Gestão de estoque, de frota e de jornada;
  • IA (Inteligência Artificial);
  • Gestão de ocorrências.

7 logtechs brasileiras

Para entender melhor a atuação das logtechs no Brasil, é importante conhecer startups brasileiras de logística. Aqui vão 7 exemplos populares no Brasil:


Comprovei

A COMPROVEI é uma empresa SaaS (Software as a Service) que oferece uma plataforma para conexão entre clientes e usuários. Com isso, já realizou mais de 120 milhões de entregas e monitorou mais de 2,5 milhões de viagens.


Everlog

A Everlog é uma logtech para indústria que oferece auditoria e cotação de frete, gestão de entregas, entre outras coisas. Já monitorou 181 mil entregas, atendeu 60 transportadoras e gerou 9,5 milhões em saving.


Aiko

Com atuação no agro, mercado florestal, mineração e setor sucroenergético, a Aiko atua na gestão de frota e no controle de abastecimento. O seu sistema TrackIT é utilizado hoje por grandes empresas multinacionais.


Cargo Sapiens

Cargo Sapiens é uma logtech que atua no mercado internacional, lidando com o processo de compra com frete do exterior. Ela atua com logística aérea, marítima e multimodal.


Evoy

A Evoy é uma startup para gestão inteligente de ativos e bens produtivos, com soluções como embalagens inteligentes e SaaS IoT.


Loginfo

A Loginfo é uma plataforma que atende todo o processo operacional ou apenas um setor dele, fornecendo o controle da operação dos armazéns e a Gestão Aduaneira.


Frete Rápido

Considerado um dos sistemas de gestão de frete mais completo, a Frete Rápido é um hub de transporte 100% cloud. Com essa tecnologia, proporciona uma logística mais automatizada.


Conclusão

As logtechs no Brasil são frutos de uma cultura de inovação que surgiu nos principais centros de startups do Brasil. Também são resultados do maior investimento em novas tecnologias e são o novo cenário no setor de logística.

Se você, assim como uma logtech, deseja inovar, é o momento de falar com um de nossos especialistas e conhecer o AEVO Innovate, o maior software de Gestão da Inovação da América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *