Modelo Canvas: o que é, qual a proposta e exemplo pronto

Modelo Canvas é uma ferramenta de gestão aplicada no planejamento estratégico de empresas, que permite a criação e o desenvolvimento do modelo de negócio. Através de 9 elementos visuais, os gestores conseguem avaliar com eficácia o desempenho da organização.

Ter um plano de negócios efetivo, que gerencie e dê atenção a todas as áreas do negócio, pode ser um desafio. Nesse sentido, contar com ferramentas e métodos é uma boa solução para se construir empresas inovadoras e sustentáveis.

Modelo Canvas (Business Model Canvas) é uma ferramenta administrativa, utilizada em planejamento estratégico para visualizar os principais elementos do modelo de negócio, que auxilia na criação de planos de ação e estratégias que levam a empresa a alcançar seus objetivos organizacionais.

Entenda em detalhes a importância do Modelo Canvas, como ele deve ser feito, seus elementos básicos e o exemplo de um canvas completo. Siga a leitura.

O que é Modelo Canvas?

Pessoa analisando documentos com gráficos e indicadores de uma empresa

Modelo Canvas é uma ferramenta de gestão aplicada no planejamento estratégico de empresas, que permite a criação e o desenvolvimento do modelo de negócio. Através de 9 elementos visuais, os gestores conseguem avaliar com eficácia o desempenho da organização, são eles:

  • Segmento de clientes;
  • Proposta de valor;
  • Canais;
  • Relacionamento com clientes;
  • Fonte de receitas;
  • Recursos principais;
  • Atividades-chave;
  • Parcerias;
  • Estrutura de custos.

Criado pelo pesquisador suíço Alexander Osterwalder, o Business Model Canvas, ou simplesmente Canvas, surgiu com a promessa de acabar com a complicação e  burocracia das estratégias de gestão de projetos tradicionais.

Ele é feito por intermédio de um mapa visual fácil de ser administrado, substituindo páginas, documentos ou planilhas sem funcionalidade prática, que representam uma perda de tempo na criação de estratégias no dia a dia de uma empresa.

Grandes organizações como Globo, Ericsson e Votorantim já utilizam esse método, mas é em empresas de médio porte e startups em que ele realmente faz sucesso, por se concentrar em pontos essenciais para o crescimento de quem está começando do zero ou conta com recursos limitados.

A popularidade do modelo canvas é o resultado da sua praticidade.

Em vez de só ser escrito em forma de documento, o plano de negócio é visualizado de maneira gráfica. Para tanto, pode-se usar um quadro ou mural e contar com a ajuda de post-it.

Cabe ao grupo responsável por criar o plano de negócios definir o que deve constar na descrição dos nove elementos. Com essa dinâmica é possível ter uma visão mais ampla do empreendimento, bem como identificar o que pode mudar ou melhorar em relação à ideia original.

Mesmo que seja importante uma empresa iniciar as suas atividades já tendo um plano de negócio, ele pode ser feito depois.

A recomendação é ser um dos primeiros passos da abertura do negócio porque ele contribui significantemente para o seu funcionamento.

Da mesma forma, contribui com o processo de modernização, inovação ou mudança na empresa. Isso porque quando as informações são visualizadas de modo que se comuniquem umas com as outras consegue-se perceber se as ideias estão alinhadas.

Leia mais:
Brainstorming: o que é, como desenvolver e as 3 etapas
BSC: o que é, quais as 4 perspectivas e como funciona

Quais as vantagens do método Canvas?

Uma das principais características do método Canvas é o seu formato visual. A palavra “canvas” em si pode ser traduzida livremente para o português como “tela” ou “quadro”.

Com ele, é possível visualizar todas as funções e atividades de um negócio de maneira simples, e não deixar informações relevantes para o sucesso de um projeto perdidas em pastas ou relatórios, por exemplo.

Na prática, ele não substitui um plano de negócios tradicional — que precisa de informações mais detalhadas — mas é uma ferramenta que traz agilidade e simplicidade para ilustrar todas as características do seu negócio e fazer mudanças quando necessário, sem burocracia e dificuldades.

Para as empresas que ainda não saíram do papel, esse método se apresenta como uma forma bem definida de mensurar custos e receitas, identificar as melhores parcerias, conhecer o público-alvo e criar estratégias para fidelizar essa clientela.

Já para os profissionais de TI, e empresas que já atuam no mercado, ele se mostra ainda mais funcional, pois facilita a implantação de mudanças na infraestrutura, ajuda na visualização de áreas críticas e que precisam de inovação, evita gaps de comunicação, reduz retrabalhos, entre outros percalços comuns na área operacional e de tecnologia.

Qual a estrutura do Modelo Canvas?

exemplos-Modelo-canvas-marketing

Após entender o que é modelo canvas, chega a hora de saber quais são as suas etapas ou divisões do mural, onde devem ser listadas as informações pertinentes de forma sucinta. Veja quais são elas:

Segmento de clientes

Consiste no público-alvo que a empresa vai atender ou já atende. É importante entender quem são os consumidores em potencial dos produtos ou serviços.

Assim, são reconhecidas as suas necessidades e definida a maneira de atendê-las adequadamente.

Ao identificar os clientes, consegue-se ainda escolher o tom de voz apropriado para se comunicar, bem como determinar outros aspectos.

Entre eles, os melhores lugares para oferecer o produto ou serviço e o jeito certo de abordá-los.

Proposta de valor

Refere-se ao motivo dos clientes escolherem a sua empresa. Ou seja, o que ela oferece além do produto ou serviço em si.  Para compreender melhor, é possível citar um exemplo.

Uma marca que vende um  software de gestão empresarial não só proporciona recursos para ajudar nas atividades do dia a dia. Ela também oferece qualidade, agilidade, eficiência, economia, etc. Esses são alguns dos valores propostos.

Canais

Aqui, é preciso decidir como a sua empresa vai se comunicar com os seus clientes e por onde vai oferecer e vender os seus produtos e serviços. Refere-se tanto aos locais onde o público pode encontrá-los quanto aos meios para divulgar a sua marca.

Relacionamento com o cliente

Mais uma etapa do que é modelo canvas consiste em optar pelas formas de se relacionar com os clientes.

De acordo com o segmento de mercado, o relacionamento pode ser online, offline ou haver as suas opções. É preciso conhecer as preferências do público.

Receitas

Trata-se de determinar como serão geradas as receitas da empresa. Assim como as demais etapas, depende da sua área de atuação.

A receita provém do pagamento pelo serviço ou produto, sendo que pode se dar por meio de mensalidade, empréstimos, aluguéis, licenciamentos, por item vendido, entre outras modalidades.

Recursos principais

Nessa etapa, deve-se levantar quais são os principais recursos para a empresa funcionar.  Eles podem ser humanos, como os colaboradores, e/ou materiais, a exemplo de máquinas, equipamentos e outros.

É importante ainda identificar os recursos financeiro necessários para obter os demais tipos de recursos.

Atividade-chave

Trata-se do que a sua empresa faz principalmente. Pode ser a produção de um ou mais produtos, a oferta de serviços ou a venda de mercadorias.

Mesmo parecendo óbvio é mais uma informação relevante para constar no que é modelo canvas.

Parcerias

Estipular parcerias é essencial para um plano de negócios completo.

Aqui, entram tanto os serviços que devem ser terceirizados quanto os fornecedores e demais empresas ou profissionais com os quais a empresa deve se relacionar para atuar no mercado.

Estrutura de custo

Embora todas as etapas sejam relevantes, definir a estrutura de custo é um passo de extrema importância, porque indica quais são os custos existentes.

Não raro, quem abre uma empresa não tem a noção de quantas despesas existe.

E com o modelo canvas, é possível deixar essa informação bastante clara, pois exige que se pense em todos os gastos envolvidos. Não desanime se ao chegar aqui perceber que as receitas não vão dar conta dos custos iniciais.

É possível fazer adaptações, para reduzir os custos, inclusive, no que diz respeito aos recursos principais.

É por isso que o modelo canvas é tão eficiente. Ele permite que problemas e falhas sejam verificadas antes mesmo de abrir as portas.

Assim, o plano de negócios pode ser ajustado para o melhor funcionamento da empresa.

Boas práticas

Recomenda-se que ao usar o que é modelo canvas haja um grupo de profissionais, tanto gestores quanto colaboradores da empresa. Inclusive, se o plano de negócios for feito depois dela estar em funcionamento.

Além disso, se o empreendimento passar por uma mudança é ainda mais importante que haja um grupo bastante misto desenvolvendo o novo plano de negócios, com colaboradores dos diversos setores.

Esse cuidado permite que nenhuma das áreas fique de fora do que é proposto. Mais uma dica é deixar o modelo canvas bem à vista de todo o quadro de pessoal da empresa, mesmo para quem não participou da criação.

Isso é importante para acompanhar as transformações que estão acontecendo. Visualizar o plano de negócios permite ainda compreender o trabalho que cada um executa, promovendo um melhor desempenho da equipe. 

Por que utilizar o modelo Canvas em sua empresa?

modelo-canvas-2

De startups às grandes corporações, a ferramenta foi incorporada em empresas disruptivas como o Nubank e gigantes como SAP, Intel, Nasa, Xerox, 3M e Deloitte.

Essas empresas aplicam o quadro Canvas, como uma oportunidade de análise de negócios e um instrumento inovador para identificação de ideias empreendedoras.

Isso porque o BMC permite uma visão holística de um negócio, sendo especialmente útil ao fazer com que os  vários integrantes de uma empresa ou de um projeto encontrem uma linguagem comum através da qual possam avaliar processos tradicionais e trazer a inovação para o modelo de negócio.

Pensando a organização de um negócio, com o Business Model Canvas, um gestor e sua equipe podem planejar, visualizar e compreender de forma clara a mecânica de funcionamento do mesmo. Ou seja, como ele irá criar valor, entregar ao cliente, estimar custos e gerar receita — tudo concebido de forma enxuta e flexível.

Além disso, o método funciona como um  ponto de referência e linguagem comum na hora de trabalhar cada nova hipótese. É um ótimo recurso para empresas pequenas, startups, ou situações em que uma mudança ágil deve ser realizada em uma organização.

É essencial, inclusive, para elaboração de um MVP (Minimum Viable Product).

Além disso, temos ainda mais benefícios:

  • Pensamento visual: a ferramenta permite uma representação visual simples para os tomadores de decisão ponderarem. Coloca em evidência as principais considerações que afetam o negócio e também deixando clara a direção que a organização está tomando em seu modelo de negócio;
  • Interação entre os 9 blocos: o Business Model Canvas permite ao time executivo entender como os 9 blocos de construção se relacionam e as diferentes maneiras pelas quais esses relacionamentos podem ser alterados para aumentar a eficiência ou eficácia. Uma oportunidade ou  inovação pode ser detectada através do uso desta ferramenta;
  • Informações sucintas: a ferramenta incentiva as equipes a manter suas sugestões curtas e simples o suficiente para se ajustarem aos blocos;
  • Fácil de circular: a ferramenta permite fácil acesso e compartilhamento. Imagens da tela concluída ou simplesmente passando fisicamente para que as pessoas possam entender sua essência.

Processo de criação do Modelo Canvas

Mas como desenvolver um plano de negócios usando um dos exemplos de modelo canvas? Confira a seguir como realizar o processo.

Mobilização

O processo para criar um plano de negócios começa reunindo um grupo de colaboradores para que juntos trabalhem.

Esse desenvolvimento exige a troca de ideias, assim, é importante que haja profissionais de diferentes áreas.

Compreensão

O próximo passo é pesquisar as informações necessárias para colocar em prática um dos exemplos de modelo canvas.

Recomenda-se que todos os envolvidos façam parte da pesquisa e se reúnam novamente para trocar as informações levantadas.  

Design

Nessa etapa, são avaliadas as informações reunidas, que devem ser transformadas em ideias e posteriormente em ações. Além disso, é importante que elas sejam testadas para avaliar a sua eficiência.

Aqui, é importante que todos opinem sobre as ações propostas, inclusive, colaboradores de outras áreas. Isso torna o processo mais rico e assertivo.

Implementação

Chega a hora de colocar em prática o que foi testado. Essa etapa exige que funções sejam delegadas e prazos estipulados.

O orçamento também deve ser definido, já que organização é essencial para implementar qualquer nova ação. 

Gerenciamento

Para verificar se as ações implementadas estão obtendo os resultados esperados, é importante acompanhar o processo e documentá-lo. Se houver falhas, devem ser sanadas.

Os ajustes devem ser feitos até que o plano de negócios se torne completamente assertivo. De todo o modo, essa etapa deve ser permanente, pois a medida que o mercado muda é preciso que a empresa se adapte.

Continue aprendendo:
Six Sigma: o que é, quais as etapas e como aplicar?
O que é inovação? Importância, tipos e motivos para inovar

Dicas para aplicar o Modelo Canvas

1 – Deixe o plano de negócios visível a todos

É importante que todos os envolvidos na criação do plano de negócios o visualizem.  Isso pode ser feito com o uso de um painel ou mural, sendo que os post-its também contribuem com o processo.

Além disso, recomenda-se que em cada post-it haja apenas uma ideia e que a mesma seja suscita para que o processo ganhe em dinamismo e eficiência.

Para ajudar na organização das informações, mais uma dica é que os post-its sejam coloridos.

2 – Assegure que o grupo esteja focado

Por mais que os exemplos de modelo canvas sejam simples, o processo de criação pode se tornar longo e ineficiente. Inclusive, se não houver foco dos colaboradores que integram o grupo.

Desse modo, é importante evitar discussões desnecessárias, para garantir que o trabalho flua e se torne produtivo.

Outra dica é escolher uma pessoa para coordenar as atividades do grupo.

3 – Avalie a coerência do plano

Depois que todos os campos do modelo canvas forem preenchidos, confira se há coerência entre as informações, se elas se comunicam entre si.

Essa harmonia é essencial para que o plano de negócios funcione e a sua empresa obtenha os resultados esperados.

Exemplos de Canvas prontos

1 – Software as Service de RH

  1. Segmentos de Clientes: médias e grandes empresas
  2. Relacionamento com Clientes: transparência, confiança
  3. Canais: marketing digital, redes sociais, email marketing
  4. Fontes de Receitas: assinatura do software, contratação de mentoria
  5. Propostas de Valor: processos automatizados, organização, economia de tempo
  6. Atividades-chave: desenvolvimento de software e prestação de serviço
  7. Recursos Principais: infraestrutura de ti, profissionais capacitados, grande base de usuários
  8. Parcerias principais: softwares complementares
  9. Estrutura de Custos: infraestrutura
exemplos-Modelo-canvas-rh

Para entender melhor como criar planos de negócios, a seguir estão dois tipos de modelo canvas exemplos.

O primeiro refere-se a uma empresa de software as service, que tem como propósito oferecer o serviço de gestão de pessoas com total eficiência.

Dessa forma, processos automatizados, organização e economia de tempo consistem na proposta de valor.

Quanto às demais informações, são definidas de acordo com o mercado no qual atua e com as estratégias para o trabalho se tornar mais eficiente.

2 – Agência de marketing

  1. Segmentos de Clientes: pequenas empresas
  2. Relacionamento com Clientes: personalizada, pessoal, humanizada
  3. Canais: marketing digital, redes sociais, anúncios
  4. Fontes de Receitas: vendas de serviços de marketing e comunicação
  5. Propostas de Valor: economia de tempo, profissionalização do serviço, proximidade com os clientes, construção de marca e autoridade
  6. Atividades-chave: venda de serviços de gestão de redes sociais, criação de identidade visual e tráfego pago
  7. Recursos Principais: infraestrutura de ti, profissionais capacitados, grande base de usuários
  8. Parcerias principais: gráficas e lojas de produtos personalizados
  9. Estrutura de Custos: infraestrutura, assinaturas de softwares e banco de imagens
exemplos-Modelo-canvas-marketing

Um exemplo de modelo canvas que agências de marketing podem utilizar é este.

Esse tipo de empresa tem o propósito de ajudar os seus clientes a ganharam maior visibilidade com ações de marketing e de maneira ágil.

Assim, faz sentido que tenham como proposta de valor a economia de tempo, profissionalização do serviço, proximidade com os clientes e construção de marca.

Assim como no exemplo anterior, os outros tópicos são preenchidos com as peculiaridades de cada negócio.

O mais importante é organizar as informações de maneira visual e depois verificar se elas fazem sentido e estão adequadas à realidade.

Esses são apenas alguns tipos de modelo canvas exemplos. Para fazer o mesmo na sua empresa é preciso adaptar cada tópico à realidade do seu negócio.

Como usar a ferramenta para inovar o seu modelo de negócio?

Na prática, o Modelo Canvas funciona da seguinte forma: o esquema da empresa é desenhado sobre os nove blocos que citamos, que cobrem as quatro áreas mais importantes de qualquer negócio: clientes, oferta, infraestrutura e viabilidade financeira.

O ideal é que esse esquema fique visível a todos o tempo inteiro, para que sócios e colaboradores da empresa possam ver e sugerir mudanças no dia a dia.

A  ferramenta pode ser utilizada desde o momento de concepção da organização ou de uma de suas linhas de negócio, sendo atualizado ao longo do tempo, à medida que as hipóteses listadas começam a ser testadas e validadas. Também é  um ótimo artifício para planejamentos estratégicos.

E como no Design Thinking, no uso do Canvas também é comum o uso de post-its: para alterar um tipo de cliente, por exemplo, basta amassar um papel amarelo e substituir por outro.

Conclusão

Resumindo, Modelo Canvas deve ser usado como um mapa visual que oferece vantagens como visão completa do negócio, gestão eficiente, linguagem clara para todos os envolvidos,  estratégias voltadas para o cliente e  estruturação das ideias.

Lembrando que o BMC é uma ferramenta para ajudar a inovar em seu modelo de negócio e é importante ter em mente que não substitui o Plano de Negócios. É interessante encará-lo como uma ferramenta anterior, mais ágil e dinâmica.

E  agora que você já conhece a ferramenta, que tal começar a testar e validar seu modelo de negócio de forma rápida e econômica? 

Outras ferramentas podem potencializar a gestão empresarial, através da inovação, as empresas se mantém relevantes em seus mercados e criam soluções que as colocam como líderes em seus segmentos.

Para isso, soluções como o AEVO são efetivas.

AEVO é uma One-Stop Shop de Inovação e Estratégia, que conta com tecnologia – através de sua plataforma de inovação – e expertise – por meio de uma consultoria de inovação especializada – para transformar ideias em resultados palpáveis para as empresas.

Fale com um dos nossos especialistas e saiba como a AEVO pode potencializar o processo de inovação na sua empresa.

Lillian Donato

Formada em Publicidade e Propaganda pela UFES e pós-graduada em BI, Marketing Digital e Data Driven pela PUCRS, Lillian trabalha com marketing há 8 anos, tendo passado por agências de marketing, veículos de comunicação, trabalhando com rádio e televisão, além do setor de tecnologia e software. Ao longo de sua experiência profissional, já trabalhou com design, redação, SEO, mídias pagas, CRO e diversas outras áreas no marketing, tendo como especialidade marketing b2b. Atualmente é coordenadora de marketing na AEVO.

Compartilhe o post

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sidebar versão 2 para o copy AEVO One-Stop Shop de Inovação

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.