O que é ESG nas empresas? Como funciona e quais as práticas 

O ESG nas empresas transcende a incorporação de práticas sustentáveis. Esse conceito representa a adesão a um compromisso mais amplo de integridade, responsabilidade e impacto positivo. É uma abordagem que implica não apenas em fazer o que é certo, mas também em fazer do jeito certo.

Apesar de ter se tornado um termo muito comum nos últimos anos, você realmente sabe o que é ESG nas empresas? Essa abordagem impulsiona o seu negócio a ter um papel ativo na construção de um futuro mais promissor para todos, sem perder o foco nas questões mais estratégicas do negócio.

Em um cenário global onde a conscientização sobre os desafios ambientais, sociais e de governança está em ascensão, adotar uma postura mais responsável não é mais uma opção para os negócios, mas uma necessidade.  

As empresas precisam trilhar um caminho que possibilite beneficiar o mundo ao seu redor enquanto elas próprias também colhem benefícios concretos.

Conheça mais sobre o ESG, um conceito que veio para levar o mundo corporativo nessa direção. 

O que é ESG? 

A definição de ESG em imagem

O ESG é a sigla para Environmental, Social & Governance, que, traduzido para o português, significa Ambiental, Social e Governança. 

No entanto, esse é um termo que vai além de uma simples abreviação. Essas três letras definem uma tendência para os negócios, propondo uma mudança na nossa forma de pensar sobre o papel de uma organização: ela pode querer mais do que apenas gerar lucros. 

Em suma, o ESG busca equilibrar os interesses financeiros com a responsabilidade ambiental, o engajamento social e a eficácia da governança corporativa. Com essa abordagem, as empresas mensuram o quão sustentáveis, ou viáveis, elas de fato são.

Os stakeholders estão valorizando cada vez mais os empreendimentos que sustentam essa abordagem, ou seja, que priorizam aspectos éticos, o meio ambiente, a sociedade, bem como a integridade na gestão.

Incorporar a tríade ESG em suas operações e estratégias significa buscar a criação de valor a longo prazo, com foco no Desenvolvimento Sustentável, deixando um rastro positivo no seu progresso. 

Quais são os três pilares do ESG? 

Os três pilares do ESG – Ambiental, Social e Governança – constituem uma estrutura fundamental para avaliar o impacto das empresas. 

Cada um destes pilares desempenha um papel na construção de uma imagem corporativa sólida, bem como na capacidade de uma organização de promover mudanças positivas tanto no ambiente em que opera quanto na sociedade em geral. 

Ambiental (Environmental) 

O pilar ambiental foca nas práticas e políticas de uma empresa relacionadas ao meio ambiente, como: 

  • A gestão responsável dos recursos naturais; 
  • A redução da pegada de carbono; 
  • A preservação da biodiversidade; 
  • A mitigação dos impactos negativos no ecossistema. 

Instituições que incorporam este pilar podem implementar uma série de ações, como a adoção de energias renováveis, a otimização da eficiência energética, a gestão adequada de resíduos e o desenvolvimento de estratégias para combater as mudanças climáticas. 

A partir do momento em que um negócio se compromete, por exemplo, a reduzir o uso de plástico em suas embalagens e investir em tecnologias que minimizem a emissão de poluentes, ele está comprometido com este princípio em particular. 

Social 

O pilar social se refere ao impacto que o negócio exerce sobre as pessoas e comunidades afetadas por suas operações. Ou seja, aqui, a atenção se volta para as relações humanas.  

Como uma empresa trata seus funcionários, clientes, fornecedores e as comunidades nas quais opera é um indicativo de seu envolvimento com esse critério. Questões de diversidade, equidade e responsabilidade social também estão sob este guarda-chuva. 

Na implementação do pilar social no ambiente corporativo podemos ver posturas como: 

  • Preocupação com a saúde e bem estar dos colaboradores; 
  • Remuneração justa; 
  • Igualdade de oportunidades no ambiente de trabalho; 
  • Políticas de não discriminação; 
  • Programas de responsabilidade social corporativa. 

Governança 

O pilar de governança diz respeito à estrutura de gestão e à integridade corporativa. Esse aspecto envolve práticas como: 

  • A transparência nas operações; 
  • A independência do conselho de administração; 
  • A prevenção de conflitos de interesse;  
  • A responsabilidade dos líderes corporativos.  

Organizações que priorizam este pilar costumam adotar políticas para garantir que suas decisões sejam tomadas de forma ética, legal e da maneira mais transparente possível. 

Os pilares do ESG são um conjunto 

Embora alguns negócios escolham focar em um pilar, para entender o que é ESG nas empresas é preciso ter em mente que os três pilares não operam isoladamente – muito pelo contrário, estão profundamente interligados.  

Para ser realmente eficaz, a adoção do ESG exige uma abordagem holística, onde os aspectos ambientais, sociais e de governança são tratados com igual importância.  

Empresas que conseguem equilibrar esses pilares têm mais probabilidade de construir uma reputação sólida, atrair investidores responsáveis e contribuir para um impacto socioambiental positivo. 

O que é ESG nas empresas? 

Para entender o que é ESG nas empresas, é necessário pensar no papel das corporações para cuidar do mundo

Conforme vimos até aqui, o ESG nas empresas transcende a incorporação de práticas sustentáveis. Esse conceito representa a adesão a um compromisso mais amplo de integridade, responsabilidade e impacto positivo.  

É uma abordagem que implica não apenas em fazer o que é certo, mas também em fazer do jeito certo, levando em conta as consequências das ações corporativas em todos os níveis da sociedade e do meio ambiente. 

Ao adotar o ESG, as organizações são estimuladas a se questionar como se colocam diante de questões mais importantes para o mundo atual. 

Mais do que simplesmente cumprir regulamentos, elas pensam em como podem contribuir para a resolução desses desafios globais. 

Quem implementa o ESG entende que o sucesso a longo prazo está intrinsecamente ligado à sua postura diante de tais problemáticas. Mas a incorporação eficaz dessa abordagem também transcende a obrigação moral, trazendo repercussões econômicas. 

Empresas que demonstram comprometimento genuíno com os três pilares desfrutam de: 

  • Maior confiança dos consumidores; 
  • Maior engajamento dos funcionários; 
  • Maior atratividade para investidores;  
  • Menor exposição a riscos com a reputação.  

Além disso, considerando que investidores estão cada vez mais atentos a aspectos ESG, as organizações que negligenciam essa abordagem podem ficar para trás em um mercado cada vez mais consciente. 

O ESG nas empresas: 

  • É um chamado para a ação consciente; 
  • É um convite à autoavaliação e à mudança; 
  • É o alinhamento dos propósitos da organização com os interesses da sociedade.  

Ao adotar o ESG, as empresas se posicionam não apenas como participantes da economia, mas como agentes de transformação, buscando catalisar um impacto positivo duradouro.  

Leia mais:
Projetos de Inovação e Sustentabilidade: saiba a importância
Empresas sustentáveis: confira 8 exemplos inspiradores

Quais são as práticas de ESG? 

As práticas de ESG são a manifestação do compromisso em relação à sustentabilidade, responsabilidade social e transparência na governança.  

Práticas ambientais

Imagem ilustra práticas de ESG ambiental como o uso de energias renováveis

As práticas ambientais do ESG englobam todas as ações de uma empresa para minimizar seu impacto no meio ambiente.  

Aqui estão incluídas ações como: 

  • Adoção de estratégias de conservação de recursos naturais; 
  • A redução de emissões de carbono; 
  • A gestão adequada de resíduos; 
  • O desenvolvimento de produtos ecologicamente responsáveis. 

Geralmente, negócios comprometidos com o aspecto ambiental do ESG podem buscar certificações de sustentabilidade, investir em energias renováveis e estabelecer metas claras para reduzir seu consumo de recursos naturais. 

Práticas sociais 

As práticas sociais do ESG englobam a diversidade e inclusão, por exemplo

Como vimos, a dimensão social do ESG diz respeito às relações de uma empresa com seus colaboradores, clientes, fornecedores e comunidades onde atua.  

Dessa forma, algumas práticas possíveis são: 

  • A promoção da diversidade e inclusão; 
  • A criação de ambientes de trabalho saudáveis e seguros; 
  • A proteção dos direitos humanos; 
  • O apoio à causas sociais relevantes. 

Práticas sociais sólidas são ainda mais evidenciadas através de programas de responsabilidade social corporativa, políticas de equidade de gênero, garantias de remuneração justa e iniciativas de envolvimento comunitário. 

Práticas de governança 

as práticas de governança estão inseridas dentre os pilares que geram mais confiança do mercado às empresas

As ações de governança no ESG dizem respeito à maneira como a empresa é administrada, regulamentada e monitorada: 

  • Transparência nas operações; 
  • Independência dos conselhos de administração; 
  • Prestação de contas aos acionistas; 
  • Adoção de princípios éticos sólidos.  

Adotar práticas de governança eficazes implica em conduzir a organização de maneira ética, evitando conflitos de interesse, práticas fraudulentas ou desvios de conduta. 

Como estimular o ESG nas empresas? 

Para incorporar essas práticas de forma eficaz no cotidiano de uma organização, é preciso compromisso, uma mudança de cultura e a adoção de estratégias bem definidas.

Veja algumas formas de estimular o ESG nas empresas: 

Defina uma Estratégia de ESG 

O ponto de partida é definir uma estratégia robusta e alinhada com os objetivos da organização. Semelhante a qualquer plano de gestão estratégica, a abordagem ESG exige um planejamento cuidadoso e a incorporação de processos de melhoria contínua.  

Ferramentas como PDCA, 5W2H e Análise SWOT são muito úteis na elaboração e implementação dessa estratégia. As organizações devem traçar metas claras e mensuráveis para cada pilar do ESG e garantir que essas metas estejam alinhadas com sua missão e valores. 

Tenha uma liderança engajada 

O engajamento da liderança é fundamental para impulsionar o ESG no ambiente corporativo. Quando os líderes incorporam a visão de sustentabilidade em suas decisões estratégicas e operacionais, essa mentalidade passa a permear a cultura organizacional.  

Evite o Greenwashing 

Enquanto sua empresa estabelece práticas de ESG, é importante ficar atento para evitar o greenwashing, ou seja, afirmar que adota políticas sustentáveis sem aplicá-las efetivamente. A integridade e a transparência são fundamentais no ESG, e as empresas devem demonstrar ações concretas que respaldem seus compromissos. 

Estruturação de Dados e Análise Contínua 

Na hora de estruturar os dados relacionados ao ESG, é preciso adequá-los às necessidades da companhia, considerando a variedade de padrões e diretrizes disponíveis. 

Além disso, a análise e o aprimoramento contínuo devem se tornar parte do DNA da organização, garantindo que as práticas de ESG não sejam eventos isolados, mas uma jornada constante de melhoria. 

Crie um conselho de ESG 

A criação de um conselho especializado, para guiar, planejar e executar os processos de ESG, é uma prática altamente recomendada. Esse conselho pode fornecer orientação, impulsionar a implementação e assegurar que as práticas de ESG permaneçam em evolução constante. 

Vantagens do ESG nas empresas 

Quando as organizações buscam entender o que é ESG nas empresas, elas estão comprometidas com uma abordagem que vai trazer uma série de vantagens e benefícios. São mudanças que afetam seus stakeholders e o ambiente em que a organização opera, mas também favorecem o próprio negócio. 

1. Resiliência nos mercados voláteis 

Organizações que implementam o ESG tendem a ser mais resilientes em face de desafios econômicos e eventos voláteis. Ou seja, considerar os fatores ambientais, sociais e de governança contribui para uma base sustentável que torna o negócio resistente em meio a crises. 

2. Reputação e confiança 

O ESG ajuda a construir uma reputação sólida e confiável, algo que tem muito valor no cenário corporativo. Os stakeholders, incluindo investidores, clientes e parceiros, tendem a apoiar organizações que demonstram um compromisso genuíno com o bem-estar social e ambiental. 

3. Atração de talentos 

Os empreendimentos que operam com o ESG chamam a atenção de profissionais talentosos e comprometidos. A geração mais jovem, em especial, está mais exposta a essas ideias e valoriza o propósito e o impacto social. 

4. Acesso a capital 

Para decidir onde investir, pessoas e instituições financeiras estão cada vez mais tomando os critérios de ESG como pontos a favor. A estimativa é que o valor no segmento chegue a US$ 53 trilhões em 2025, com crescimento acima dos 15% ao ano, e empresas que adotam práticas de ESG têm boas chances de obter acesso a este capital. 

5. Eficiência operacional 

A implementação de práticas de ESG muitas vezes resulta em operações mais eficientes. Vão se destacar melhorias como economia de recursos, a redução de resíduos e a otimização de processos, que geram redução de custos e maior competitividade. 

6. Inovação e criatividade 

A busca por soluções para desafios ambientais e sociais muitas vezes leva a um ambiente de inovação e criatividade. As empresas são incentivadas a pensar fora da caixa e encontrar maneiras inovadoras de abordar problemas complexos. 

Leia mais:
Inovação sustentável: como implementar, exemplos e benefícios

7. Contribuição para um mundo melhor 

Além de todos os benefícios comerciais, a vantagem que encabeça o ESG é a contribuição para um mundo mais sustentável e equitativo. As empresas têm aqui a oportunidade de fazer parte da mudança positiva e de deixar um legado positivo no mundo. 

Conclusão 

Entender o que é ESG nas empresas, e quais são as práticas que devem ser adotadas, não é uma tarefa simples ou imediata, mas os resultados com certeza são promissores.

As organizações dispostas a assumir um compromisso sério com os princípios de responsabilidade, fortalecem sua posição de mercado enquanto também contribuem para a construção de um mundo sustentável para as gerações futuras. 

A inovação tem um papel central nessa mudança, e com soluções que impulsionam a gestão de ideias e a busca por soluções inovadoras, a AEVO, sua One-Stop Shop de Inovação, se coloca como uma parceira nesse caminho rumo à sustentabilidade. 

Saiba como a AEVO pode fazer parte da sua jornada para construir um futuro ESG. 

Livia Nonato

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), atua na área de marketing, content e SEO há quatro anos, tendo como principal foco a otimização para mecanismos de busca, gestão e crescimento dos canais de aquisição orgânico, performance e growth. Experiência e conhecimento em SEO para empresas B2B e produtos complexos. Atualmente, é analista de SEO na AEVO e aborda temáticas de inovação e tecnologia como redatora do blog AEVO.

Livia Nonato

Livia Nonato

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), atua na área de marketing, content e SEO há quatro anos, tendo como principal foco a otimização para mecanismos de busca, gestão e crescimento dos canais de aquisição orgânico, performance e growth. Experiência e conhecimento em SEO para empresas B2B e produtos complexos. Atualmente, é analista de SEO na AEVO e aborda temáticas de inovação e tecnologia como redatora do blog AEVO.

Compartilhe o post

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sidebar versão 2 para o copy AEVO One-Stop Shop de Inovação

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.