O que é inovação radical: conceito, quanto e quando investir

inovação-radical-conceito-quanto-quando-investir

A Inovação radical é o desenvolvimento de um produto ou serviço completamente novo. Esse não é um termo recente, surgiu em 1939, quando o economista Joseph Schumpeter, no seu livro Business Cycles, o classificou como um dos tipos de inovação.

A inovação radical explora novos horizontes de mercado, o que impacta não somente as empresas internamente, mas todo o segmento da organização.

 

O que é Inovação Radical?

Empresas inovadoras estão sempre buscando investir em inovação de baixos risco e custo, melhorando incrementalmente seu core business.

No entanto, a inovação radical se concentra no desenvolvimento de produtos e serviços de alto impacto, geralmente algo que nunca foi feito pela organização. Dessa forma, passa-se a explorar um novo mercado, encontrando um segmento completamente diferente para ser explorado.

Há duas formas de inovar radicalmente, a primeira delas é desenvolver uma nova solução, um produto ou serviço que ainda não existam, e a segunda forma é explorando um novo mercado, diferente do seu core business.

Leia também: Inovação radical vs inovação disruptiva: qual a diferença?

 

As características da inovação radical

Diferentemente de outros tipos de inovação, a radical se caracteriza pelo alto risco e grande potencial. É uma inovação de crescimento, que busca explorar novas alternativas.

Listamos aqui algumas das características mais importantes da inovação radical:

  • Alto investimento;
  • Alto impacto no mercado;
  • Tempo para implementação extenso;
  • Desenvolve alta capacidade de renovação e reinvenção da organização;
  • Possibilita a expansão dos nichos de atuação da empresa.

Portanto, é preciso ter clareza nos objetivos da sua organização quando se pensa em inovar radicalmente. Além disso, é muito importante saber gerenciar o portfólio de projetos de inovação da sua empresa.

É fundamental para sua organização reconhecer o momento certo de investir em um projeto de inovação e o momento de cortar todos os investimentos, encerrando o programa e realocando os recursos restantes para hipóteses com maiores resultados.

Aqui nesse vídeo você vai aprender como gerenciar todos os projetos de inovação da sua empresa.

 

Se o risco é alto, devo investir?

Com certeza! A inovação radical é um investimento no futuro da sua empresa. Se você tem uma hipótese com possibilidade de ser validada por um mercado, você estará trabalhando com a oportunidade de crescer além da projeção do seu segmento atual.

Não se deve esquecer que, toda inovação tem o seu risco e, quando há o investimento em inovação radical, ele é distribuído em múltiplas possibilidades. Dessa forma, no futuro, uma dessas apostas é integrada ao seu negócio principal.

Também é sempre bom pensar que, se você não está pensando na transformação do seu negócio, alguém vai fazer isso.

 

Quando começar a investir em inovação radical?

Para iniciar os investimentos em inovação, é preciso entender em qual momento sua empresa está.

inovação-radical-matriz-bcg

Quando você se encontra nas fases de planejamento e início do desenvolvimento de um novo produto ou serviço, o levantamento de hipóteses faz parte do processo. Nesse estágio, seu produto é chamado de Aposta, isso significa que ele está inserido em um mercado de alto market share e baixo crescimento.

Isso é o que torna a inovação radical um investimento tão favorável: ele tem a possibilidade se ser validado pelo mercado ou não.

A partir daí, ele pode se tornar uma Estrela, um produto com alto crescimento e alto market share, ou pode se tornar um Abacaxi, produto com baixo crescimento e baixo market share.

Por isso a importância de ter clareza em todo o processo de gestão dos portfólios de inovação. Quando sua aposta se torna uma estrela, em algum momento ela deverá ser incorporada ao seu Core Business. No entanto, se sua aposta se tornar um abacaxi, não hesite em matar o projeto.

Leia também: Ambidestria Organizacional: como equilibrar o portfólio de inovações

 

Quanto eu devo investir na inovação radical?

A Mckinsey & Company desenvolveu, com base em pesquisas de mercado, a estrutura dos 3 Horizontes de Inovação, para organizar e dar uma visão estratégica dos investimentos em inovação da empresas.

Eles são:

  • 1º Horizonte: Core Business, ou seja, otimizar aquilo que sua empresa já domina.
  • 2º Horizonte: Novos negócios emergentes, explorar mercados adjacentes ao core business da sua empresa.
  • 3º Horizonte: Experimentação, hipóteses que devem ser validadas.

Você já deve ter percebido que a inovação radical é centrada na experimentação, buscando o crescimento a longo prazo da organização, no terceiro horizonte.

E como já falamos aqui, é fundamental gerenciar bem o seu portfólio de projetos de inovação. Equilibrando-o, para que os esforços e investimentos da sua empresa estejam distribuídos em várias apostas, o que vai diminuir o risco da inovação.

Para essa divisão, podemos considerar o modelo utilizado pela Google:

O que é inovação radical

Esse modelo indica que se deve destinar 10% do orçamento de inovação em experimentação. Afinal, estamos falando de variáveis imprevisíveis e uma fala conhecida do Eric Schmidt, presidente da Google por anos, era: “Quanto mais você investe em algo, mais difícil é você admitir o fracasso nele”.

 

Conclusão

A inovação radical é um investimento a longo prazo, que busca o crescimento futuro da empresa. Dessa forma, inovar radicalmente aumenta a capacidade de adaptabilidade da sua organização.

Através da inovação radical, você poderá transformar o mercado no qual está inserido, desenvolver novos segmentos e sempre terá uma vantagem competitiva.

Quer conhecer alguns exemplos de inovação radical? Leia este artigo: 5 Exemplos de inovação radical – De Leguae of Legends à Dog Hero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *