Objetivos organizacionais: o que são, importância e exemplos

Entenda mais sobre o conceito e a importância dos objetivos organizacionais. Além disso, conheça exemplos práticos para estruturar e validar suas metas alinhadas aos objetivos. Confira!

Os objetivos organizacionais apontam para onde a empresa quer chegar, é a sua visão de futuro. A partir deles, a companhia planeja e define as ações estratégicas que serão executadas para alcançar o propósito – em diferentes esferas: estratégico, tático e operacional.

Quanto mais claros forem os objetivos, mais fácil será concentrar esforços para atingi-los. Acontece dessa forma no âmbito individual e no corporativo.

Qualquer empresa tem propósitos centrais, certo?

Podemos então afirmar que esses propósitos são seus principais objetivos organizacionais, os quais, geralmente, são mais amplos e de longo prazo. Por esse motivo, existe um grande caminho a percorrer, com metas e indicadores a serem conquistados.

Nessa perspectiva, os objetivos corporativos são divididos em vários outros menores – as metas, que ajudarão a medir seu progresso.

Entenda mais sobre o conceito e a importância dos objetivos organizacionais neste texto. Siga a leitura.

O que são objetivos organizacionais?

Os objetivos organizacionais são as finalidades de uma empresa, a sua visão de futuro. Estes objetivos irão guiar as ações e o comportamento da companhia para alcançar o seu propósito.

Em outras palavras: são o motivo pelo qual todo um planejamento é definido, que os colaboradores se movimentam, que a empresa investe recursos e que estratégias são construídas.

O alinhamento da equipe com os objetivos faz com que a organização siga em uma mesma direção.

Sem os objetivos organizacionais não há uma projeção concreta de futuro para a empresa.

Portanto, é importante que, além de claros e assertivos, os objetivos organizacionais sejam mensuráveis, de forma que se possa quantificar o seu resultado e, se for o caso, saber o que precisa ser aprimorado.

Objetivos organizacionais gerais e específicos

Os objetivos organizacionais podem ser de curto, médio e longo prazo.

Quando se trata de objetivos gerais (mais amplos e de longo prazo) há uma fragmentação em metas menores e específicas, que podem indicar o nível de performance da empresa em direção a esse propósito e que serão monitoradas continuamente pelos times.

Quebrar objetivos grandes em direcionamentos menores ajuda em um aspecto muito importante, que é justamente mensurar o sucesso das ações tomadas, além de facilitar a sintonia do trabalho em equipe.

Em outras palavras: promover ações sincronizadas, que demonstrem resultados ao longo do percurso, também é imprescindível para o alcance de objetivos organizacionais.

Assim, os esforços não ficam difusos em atividades da companhia que não se conectam ou agregam ao negócio – e, assim, acabam se perdendo num fluxo descontínuo.

Formar objetivos assegura que os colaboradores se concentrem em prol de uma finalidade comum a toda a empresa e que vai gerar frutos.

Ao estabelecer objetivos realistas, claros e mensuráveis, a empresa tem um caminho concreto para a estratégia geral, concretizando sua visão.

Conseguir atingir objetivos se traduz, muitas vezes, no aumento de produtividade, eficiência e lucratividade.

Importância de definir objetivos e metas

Para sua empresa evoluir de forma consistente, é necessário um norte, um caminho exato a seguir.

A bússola que vai apontar para a direção na qual a organização deve caminhar é formada pelos seus objetivos e metas.

Não defini-los é como vendar os olhos das equipes, que não saberão ao certo para onde estão indo. Também não saberão se os resultados estão sendo alcançados ou não, e nem mesmo vão saber quais resultados precisam ser alcançados.

Da mesma forma que não é possível ser bem-sucedido sem estratégia e planejamento, não há como formar estratégia e planejamento sem estabelecer objetivos antes de tudo.

Projeção para o futuro

Os objetivos organizacionais convertem aspirações em alvos mais definidos, que ajudam a gestão a fazer movimentos estratégicos quando for “lançar os dardos”.

Estabelecer objetivos é fazer projeções. Por isso que, inclusive, eles têm um papel importante na hora de saber onde alocar recursos futuros.

Melhor aproveitamento

Com seus objetivos já determinados, fica mais fácil identificar e eliminar atividades que são irrelevantes ao negócio e, em contrapartida, construir metas corporativas valiosas e tomar decisões mais assertivas.

Colaboradores engajados

Claros e realistas, os objetivos organizacionais vão direcionar as ações e os esforços dos times para tarefas que são realmente válidas, promovendo desafios saudáveis e engajamento no ambiente de trabalho.

Avaliando objetivos e metas com OKRs

Objetivos organizacionais gerais e específicos

Para manter o foco nos objetivos organizacionais é preciso ter um acompanhamento contínuo para que a empresa tenha ciência do seu progresso e dos gargalos que podem existir, seja no ambiente interno ou pelos impactos externos.

Por serem mensuráveis, é possível monitorar os seus resultados para entender o que tem dado certo e o que ainda precisa ser ajustado.

Tanto para monitorar como para avaliar objetivos e metas, as equipes podem contar com o suporte de metodologias inovadoras, que, sem dúvidas, tornam esse trabalho mais prático e preciso.

Uma dessas metodologias, que é utilizada em empresas de todos os portes, são os OKRs, uma sigla para “Objetivos e Resultados-Chave”

Ao estabelecer os objetivos organizacionais, o time precisa, além de comprender a importância do propósito e seu papel para a obtenção de resultado, ter meios simples para mensurar os avanços. Nesse sentido, se insere a metodologia OKRs.

Além de ser uma forma de medir os resultados, um método claro para avaliação das metas irá engajar os colaboradores.

É essencial ter times alinhados e comprometidos em torno das metas da empresa para obter os resultados esperados, por isso os OKRs também podem promover o comprometimento e um maior engajamento dos times, de forma com que eles se inspirem e se envolvam em suas iniciativas estratégicas.

Em resumo, o OKR é um método simples e flexível para acompanhar o desempenho da empresa.

Com essa ferramenta, as equipes podem definir seus objetivos e resultados-chave anual, trimestral e mensal, seguindo uma “fórmula” que cabe numa frase:

Eu vou [objetivo] medido por [resultados-chave]

A metodologia OKR se centra em torno da praticidade e objetividade. Assim, a liderança vai conseguir apresentar os objetivos com clareza e direcionar o time, logo, todos sabem o que precisa ser feito e porquê.

Como você viu na frase acima, o OKR se organiza em dois elementos: Objetivos (O) e Resultados-Chaves (KR).

Objetivos (O)

Eles devem ser sucintos e indicarem a direção que a empresa quer tomar. Embora tenham que ser descritos de forma resumida, os objetivos devem conseguir transmitir uma ideia que inspire os colaboradores.

É preciso ainda que motive e desafie a equipe. Os objetivos do que são OKRs devem ser qualitativos.

Resultados-Chaves (KR)

Os resultados-chave (ou key results) são um conjunto de métricas, que servem para medir o progresso em direção ao objetivo definido.

Em geral, são listados de dois a cinco resultados e consistem naquilo que se quer alcançar, de maneira quantitativa.

Ou seja, os resultados são números que devem ser obtidos por meio de ações, as quais são definidas posteriormente.

Pode-se dizer, ainda, que os resultados funcionam como uma forma de medir se a organização está seguindo e progredindo – principalmente – em direção ao objetivo, com projeção para saber se ele será alcançado ou não.

Além disso, as empresas podem usar OKRs táticos a cada três meses e OKRs estratégicos anualmente.

Objetivos organizacionais relacionados a Metas SMART

As metas estabelecidas precisam ser relevantes, bem estruturadas e, claro, fazer sentido para a realidade da empresa e do mercado – perder tempo e recursos com objetivos irrelevantes está fora de cogitação.

Objetivos bem definidos irão trazer benefícios reais e fazer valer o investimento – de esforços do capital humano e dos recursos financeiros.

Pode até parecer uma tarefa simples como juntar A+B numa fórmula básica, mas definir objetivos é mais complexo que isso e precisa ser feito da forma adequada.

Hoje, existem métodos que podem ser implementados nesse sentido.

Como o método SMART, desenvolvido por Peter Drucker, considerado o pai da administração moderna.

A metodologia SMART valida os objetivos valorizando a clareza, objetividade e relevância na definição dos mesmos. Além disso, ela considera o fator “motivação dos colaboradores” na busca por esses objetivos.

“SMART” é um acrônimo para Specific, Measurable, Achievable, Relevant e Time Bound, características que se traduzem como:

  • Específico;
  • Mensurável;
  • Alcançável;
  • Relevante;
  • Temporal.

Cada um desses componentes oferece elementos que contribuem para a definição de metas realmente favoráveis para a organização:

S (específico): Um objetivo precisa ser específico, claro e objetivo, definindo exatamente o que a empresa deseja atingir.
M (mensurável): É preciso mensurar o objetivo, portanto ele precisa trazer um resultado quantificável que permita analisar o seu sucesso.
A (alcançável):Os objetivos devem estar dentro da realidade, possíveis de serem alcançados através dos recursos disponíveis para a organização.
R (relevante):Os resultados dos objetivos devem acrescentar valor para a empresa, trazendo algum impacto de relevância.
T (temporal):Deve existir um prazo definido para que os objetivos sejam atingidos, ou seja, um começo e um fim determinados.

A metodologia SMART passa por cada uma dessas avaliações, a meta será validada ou aperfeiçoada para favorecer o engajamento dos colaboradores e o crescimento da empresa.

Conexão e alinhamento entre os objetivos

Outra condição para os objetivos organizacionais funcionarem como se espera é o alinhamento, ou seja, a coerência entre eles e as estratégias da empresa ou de um setor.

Esse fator é determinante para uma iniciativa bem-sucedida.

O alinhamento deve existir também entre as pessoas, ferramentas e processos que formam a iniciativa – a execução de um objetivo que corresponda às expectativas depende dessa conexão.

Não esqueça que as tarefas necessárias para chegar aos objetivos são realizadas conjuntamente, e que cada parte envolvida tem um papel importante, agindo de maneira interdependente.

Ações e tarefas estratégicas requerem direcionamento e compartilhamento de informações com total clareza, para que todos sejam capazes de atuar como uma equipe bem conectada àquele propósito geral da companhia.

O gerenciamento de projetos é fundamental para organizar e orientar pessoas, ferramentas e processos para realização de tarefas a fim de conquistar um objetivo.

Tudo deve ser feito de forma clara e direcionada para o sucesso das atividades.

No gerenciamento, cabe ao líder apontar as direções à equipe para que se desenvolvam tarefas alinhadas à estratégia da empresa.

Mas comunicar e gerenciar as metas com clareza e praticidade pode se tornar mais desafiador do que parece.

Por isso, hoje, existem no mercado ferramentas para facilitar a gestão de metas e estratégias, como o AEVO, que conta com um módulo dedicado à estruturação e gerenciamento da estratégia corporativa.

A Central de Estratégias do AEVO permite que todos os colaboradores, onde quer que estejam, saibam como está a progressão das metas, a partir da aplicação da metodologia OKRs.

Em um sistema que integra aos principais processos da empresa, a central de estratégias conecta e alinha pessoas em torno do mesmo propósito, unindo a transparência e objetividade necessárias para executar as iniciativas e chegar aos resultados desejados.

Exemplos de objetivos corporativos

Conheça 5 exemplos práticos de objetivos organizacionais utilizando as metodologias OKRs e SMART, nos quais você pode se basear para construir os direcionamentos da sua empresa.

3 exemplos de validação de objetivos organizacionais com SMART

Primeiro, observe estes 3 objetivos corporativos com o método SMART:

Objetivo 1: Dentro de 2 anos, automatizar 50% dos processos da companhia com tecnologia externa.

S (Específico): substituir processos operacionais por versões automatizadas;

M (Mensurável): alcançar 50% de automatização;

A (Atingível): existe o orçamento para se fazer parcerias e adquirir ferramentas;

R (Relevante): impacto direto na produtividade;

T (Temporal): prazo determinado de 2 anos.

Objetivo 2: Elevar para 90% o índice de satisfação do cliente (nos tickets de suporte) durante o primeiro trimestre.

S (Específico): melhorar o serviço de suporte ao cliente;

M (Mensurável): atingir 90% de avaliações positivas;

A (Atingível): é possível com tecnologias já existentes, como a atualização de plataformas e o uso de chatbots no atendimento, por exemplo;

R (Relevante): a atenção ao cliente e resolução de problemas colabora na retenção

T (Temporal): no primeiro trimestre de 2023

Objetivo 3: Aumentar a geração semanal de ideias no programa de inovação

S (Específico): implementar um Programa de Ideias

M (Mensurável): duplicar o número de ideias fornecidas pelos colaboradores a cada semana

A (Atingível): não é preciso fazer um grande investimento, basta encontrar maneiras de estimular os profissionais

R (Relevante): mais ideias inovadoras proporcionam soluções e desenvolvimento para o negócio

T (Temporal): atingir a meta em 4 semanas

2 exemplos de OKRs

Agora, veja dois objetivos corporativos detalhados por meio do sistema OKR.

Objetivo: Aumentar a satisfação dos nossos clientes

Resultados-chave (KR)

KR1: entrevistar e obter feedback de 25 clientes mensalmente;

KR2: aumentar a retenção de clientes para 90%;

KR3: manter o NPS (Net Promoter Score) em 9 (numa escala de 0 a 10).

Objetivo: Obter ideias inovadoras para o negócio

Resultados-chave (KR)

KR1: criar um comitê de inovação;

KR2: implementar uma plataforma de inovação no primeiro trimestre do ano;

KR3: incentivar os colaboradores a dedicar até 25% do tempo de trabalho ao intraempreendedorismo.

Perceba que há espaço para intercalar os dois modelos – SMART e OKR, permitindo a criação de objetivos organizacionais que criam um fluxo de avanços para a empresa e estão protegidos contra as adversidades enfrentadas por ela.

Conclusão

Os objetivos organizacionais fornecem a direção que guia as ações estratégicas da empresa e não deixa que você se perca no caminho para alcançar resultados e alavancar o negócio.

Os times devem ter sintonia em torno do mesmo propósito para executar as tarefas que marcam a evolução da sua iniciativa.

Cabe aos líderes orientar os passos dos demais envolvidos com bastante clareza e objetividade para conseguir esse alinhamento, e contando com ferramentas como o AEVO isso pode ser muito mais prático e fácil.

A central de estratégias é uma ferramenta digital que une os colaboradores, as estratégias e as indicadores para completar seus objetivos – tudo organizado, claro e em um só lugar!

Converse com um de nossos especialistas para ter mais informações e saber como integrar a central de estratégias ao seu negócio.

Livia Nonato

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), atua na área de marketing, content e SEO há quatro anos, tendo como principal foco a otimização para mecanismos de busca, gestão e crescimento dos canais de aquisição orgânico, performance e growth. Experiência e conhecimento em SEO para empresas B2B e produtos complexos. Atualmente, é analista de SEO na AEVO e aborda temáticas de inovação e tecnologia como redatora do blog AEVO.

Compartilhe o post

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sidebar versão 2 para o copy AEVO One-Stop Shop de Inovação

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.