Pipeline de inovação: como construir de forma estratégica

O pipeline de inovação é um caminho percorrido pelas ideias de um negócio, até se tornarem iniciativas concretas. Ele possui etapas nas quais o projeto pode ser descartado ou reformulado.

Ter um grande número de ideias circulando na organização é excelente, mas manter o controle sobre todas elas pode ser um processo desafiador. Muitas empresas perdem seu potencial inovador pela falta desse acompanhamento, e bons projetos são esquecidos, ou não avançam por motivos simples, como a falta de atribuição de um profissional responsável.

O pipeline de inovação é uma maneira de reverter essa imagem, e dar as condições necessárias para que boas ideias se tornem bons resultados, tornando a empresa mais competitiva e apta a lidar com as mudanças ao seu redor!

O que é pipeline de inovação?

O pipeline de inovação é um caminho percorrido pelas ideias de um negócio, até se tornarem iniciativas concretas. Ele possui etapas nas quais o projeto pode ser descartado ou reformulado senão demonstrar a viabilidade esperada.

Adotar um pipeline de inovação é ganhar controle sobre as mudanças que ocorrem numa empresa. Ele organiza as ideias, e faz com que a criatividade deixe de ser algo abstrato, quase místico, transformando-a num processo gerenciável.

Nessa abordagem sistemática, a organização não fica dependente de uma ideia genial, ou de um alinhamento perfeito entre todas as condições necessárias para o sucesso, pois estará constantemente lançando projetos que podem explorar as vantagens de qualquer situação disponível.

O pipeline de inovação também garante suporte para que as ideias possam se desenvolver, oferecendo tipos e quantidades diferentes de recursos em cada etapa, de acordo com os objetivos esperados e as necessidades que a iniciativa possui em dado momento.

Etapas de um pipeline de inovação

Cada negócio pode investir algum tempo para construir o pipeline ideal, de acordo com os seus objetivos e recursos, mas existem algumas etapas comuns que podem ser replicadas em qualquer organização para dar o fôlego inicial a esta iniciativa.

Uma vantagem da divisão por etapas é que marcações claras podem ser determinadas em cada uma, e o projeto só avança quando alcançá-las. É uma abordagem que permite decisões mais informadas, com base em dados, reduzindo o papel das opiniões e do acaso na hora de escolher as ideias que avançam ou são interrompidas.

Mapeamento

Nessa primeira etapa, são levantados os obstáculos que estão limitando o crescimento da empresa, e para os quais será preciso construir uma solução inovadora. Com um problema bem definido, os profissionais terão mais clareza para criar e testar suas ideias.

Levantamento

Um conjunto de propostas será construído, podendo usar métodos como uma reunião de brainstorming para ganhar mais volume.

Este processo não deve terminar quando houver uma sugestão que pareça viável, e pode ter como base uma quantidade mínima de ideias ou um período determinado para que elas sejam lançadas.

Criação e validação de projetos

As ideias serão brevemente aprofundadas em projetos considerando objetivos, prazos e recursos necessários. A validação atuará como uma série de peneiras para selecionar ou descartar os projetos.

É importante usar requisitos bem definidos, garantindo que as propostas sejam avaliadas a partir de dados e evitando a influência de opiniões ou afinidades.

Priorização

Nem sempre a empresa terá recursos para desenvolver todos os projetos viáveis ao mesmo tempo, e será preciso decidir por onde começar. Mais uma vez, requisitos bem definidos são de grande valor.

Também é válido pontuar, desde o início, quais os critérios para que uma ideia continue recebendo atenção e quando ela deve abrir espaço para a próxima tentativa.

Testagem

O projeto deve enfrentar as pressões da realidade, e mostrar que pode mesmo trazer uma solução.

Nesse momento, é preciso considerar mercados consumidores, questões legais, escala, compatibilidade com outras iniciativas e assim por diante. Essa etapa é quase sempre marcada por um MVP, que receberá mais recursos caso a sua viabilidade seja confirmada.

Integração

As ideias aprovadas terão de se integrar ao funcionamento do negócio. Até aqui elas estavam sob responsabilidade de uma pequena equipe, e agora precisam ser discutidas com profissionais que não participaram do projeto.

É a hora de considerar maquinário, insumos, mão de obra e outros recursos que a empresa deverá alocar à iniciativa, avaliando de onde eles irão sair.

Avaliação

A última etapa no pipeline de inovação vai considerar as vantagens concretas geradas pela iniciativa, bem como os aprendizados resultantes do projeto e como eles podem impactar os próximos ciclos de ideação.

4 elementos para aperfeiçoar seu pipeline de inovação

Alguns fatores contribuem para aumentar as chances de sucesso num ciclo de inovações, e podemos apontar:

1. Equipes dedicadas

Organizar um conjunto de profissionais focado no desenvolvimento das inovações trará resultados mais rápidos e consistentes. A equipe ideal deve ser capaz de analisar dados, lidar com recursos limitados e desenvolver as soluções com o máximo de qualidade.

2. Investimento incremental

Os recursos para a inovação tem limites em qualquer negócio, por isso nas primeiras etapas os projetos terão pouco tempo e dinheiro para mostrar algum resultado.

Conforme eles atendem aos requisitos, no entanto, é importante aumentar o investimento para que o time responsável possa lidar com as complexidades, que também tendem a crescer.

3. Cultura organizacional

Projetos de inovação costumam ter marcos e objetivos diferentes da gestão tradicional, e a empresa terá de respeitar essas características se pretende alcançar de fato os seus benefícios.

Nesse sentido, é fundamental estimular o intraempreendedorismo e dar autonomia às equipes que estão desenvolvendo novas soluções.

4. Parcerias estratégicas

A inovação aberta tem um papel cada vez mais importante, e trazer as soluções de fontes externas pode garantir um pipeline de inovação mais dinâmico, enquanto reduz a quantia de recursos que a própria organização terá de investir nos projetos.

Esse não é um elemento obrigatório, mas pode fazer toda a diferença!

Conclusão

Acompanhar e otimizar as várias etapas e agentes envolvidos em um pipeline de inovação pode se tornar uma tarefa complexa. As grandes empresas sabem disso, mas até organizações de menor porte acabam sendo surpreendidas pelo desafio.

É possível facilitar esse processo adotando uma ferramenta que realize a gestão da inovação, como o AEVO Innovate.

Essa é uma plataforma que combina as melhores práticas e os conceitos mais atuais para o gerenciamento estratégico dos seus projetos. Solicite uma demonstração para saber mais sobre como ele pode ser usado para construir e potencializar um pipeline de inovação dentro do seu negócio!

Um comentário

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.