Pirâmide de aprendizagem: como treinar sua equipe

Pirâmide-de-aprendizagem

Manter o aprendizado constante, com a leitura de conteúdos relacionados à profissão ou a interesse pessoais, é essencial para capacitar colaboradores dentro da empresa. No entanto, nem sempre é fácil manter a equipe motivada.

Isso ocorre porque a simples leitura de um texto pode não ser o suficiente para fixar na mente as informações presentes no material. Mas existem maneiras de otimizar os estudos e uma delas é com a chamada pirâmide de aprendizagem.

Se você deseja descobrir mais a respeito desse conceito e como treinar sua equipe com os seus preceitos, continue com a leitura deste artigo e confira as informações presentes nos tópicos a seguir.


O que é pirâmide de aprendizagem?

A pirâmide de aprendizagem é um conceito que trata da importância de utilizar diferentes formas de aprender um conteúdo, indo além da sua leitura.

Isso porque de acordo com a teoria quando uma pessoa só lê um texto ela permanece um agente passivo do conhecimento. O melhor é que aprenda de maneira mais ativa, o que pode ser feito ao explicar o que leu para alguém.

Debater um tema com um grupo também é uma forma mais eficiente de aprender sobre um determinado assunto.

De acordo com a pirâmide de aprendizagem, ouvir alguém falando a respeito do tema é um pouco mais estimulante e assistir um vídeo ou observar algo é ainda melhor. Já escutar e observar ao mesmo tempo permite uma absorção otimizada do conteúdo.

No entanto, conversar sobre o tema, escrever ou praticar o que foi lido e ensinar alguém são maneiras realmente assertivas de obter conhecimento de forma ativa e aprender de verdade.

Ao ter isso em mente, é possível tornar o aprendizado mais eficiente, até mesmo quando os alunos são os colaboradores de uma empresa em que os gestores investem na capacitação da equipe.

Fala-se muito na importância do aprendizado contínuo dos profissionais, mas é preciso promover uma aprendizagem ativa, que permita a eles realmente entender os conteúdos que recebem.

É possível dizer ainda que ao compreender como funciona a pirâmide de aprendizagem consegue-se fazer com que os alunos participem mais do seu próprio processo de aprendizagem.

Com as maneiras de absorver melhor o que se estuda, a assimilação do conteúdo ocorre com maior assertividade e, por consequência, contribui com o aperfeiçoamento profissional dos colaboradores.

Veja a seguir como a pirâmide de aprendizagem entende a eficiência de cada maneira de estudar:

  • 10% do conteúdo é entendido ao ser lido;
  • 20% é compreendido ao ser escutado;
  • 30% é aprendido ao ser visualizado;
  • 50% é absorvido ao combinar observação e escuta;
  • 70% é assimilado ao ser dito em voz alta ou debatido;
  • 95% do conteúdo é fixado ao ser explicado ou resumido.
Pirâmide-de-aprendizagem

A pirâmide de aprendizagem mostra que quanto mais uma pessoa interage com o conhecimento de maneira ativa, mais informações ela consegue assimilar e, por consequência, fixá-las na mente, tornando a aprendizagem mais efetiva.


Como surgiu o conceito de pirâmide de aprendizagem?

O conceito de pirâmide de aprendizagem foi desenvolvido pelo psiquiatra estadunidense William Glasser, que dedicou os seus estudos ao entendimento da saúde mental, bem como o comportamento humano e a educação.

A partir das suas pesquisas, ocorreu uma mudança significativa na maneira como se aplicava o ensino. Ou seja, passou a permitir mais autonomia para o estudante.

Um dos seus estudos mais relevantes é a chamada teoria da escolha, que é praticada no instituto que possui o seu nome, sendo que a mesma conta com inúmeros seguidores em todo o mundo.

Além disso, a teoria da pirâmide de aprendizagem já possui décadas de existência e, embora hoje em dia seja aplicada em diversos locais de ensino, na época em que surgiu foi bastante revolucionária.

Isso porque o estilo expositivo, no qual o aluno não passa de um agente passivo no processo de aprendizagem, uma vez que somente recebe os conteúdos, era o modelo mais comum na época.

Assim, a participação ativa do aluno com a finalidade de contribuir com a construção do seu próprio conhecimento serviu como uma quebra de paradigma.

Um fato curioso é que existem controvérsias sobre a criação da teoria da pirâmide de aprendizagem. Há textos que apontam para o educador estadunidense Edgar Dale como o seu criador, nesse caso, o conceito recebe o nome de cone da aprendizagem.


Aliando a pirâmide de aprendizagem à educação corporativa

Apesar de inicialmente o conceito de pirâmide de aprendizagem se direcionar para o ensino regular, ele pode ser facilmente aplicado no ambiente corporativo. Para tanto, existem inúmeras maneiras.

Alguns exemplos consistem em fazer com que os colaboradores que passam por uma capacitação expliquem os conteúdos que aprenderam para os seus colegas, o que funciona ainda como uma forma de compartilhar o conhecimento.

Quando uma equipe realiza um curso, treinamento ou outra forma de capacitação, os profissionais podem promover um debate e levantar os principais tópicos a respeito do que foi aprendido.

Os gestores também podem motivar os colaboradores para que eles busquem maneiras diferentes de interagir com o conhecimento obtido.

Além de ler um conteúdo, eles podem buscar informações complementares em vídeos, sendo que conforme o tema podem ser encontrados na internet.

Até mesmo fazer um resumo em voz alta para si mesmo é uma forma de se relacionar mais com o conhecimento, contribuindo com a fixação do material na sua mente.

E claro, se o colaborador puder colocar em prática o que está aprendendo, certamente, é mais um modo eficiente de otimizar os seus estudos.

Quanto à empresa, ela pode promover palestras, workshops e demais treinamentos mais interativos, uma vez que ouvir uma informação é mais eficiente do que apenas lê-la.

E independente da estratégia usada para treinar a sua equipe, é essencial buscar conteúdos de qualidade, que sejam dinâmicos, bem desenvolvidos e que realmente contribuam com a aprendizagem do aluno.

Desse modo, a empresa pode contar com uma equipe qualificada e mais bem preparada para desempenhar as suas funções.

Para negócios que desejam desenvolver a cultura de inovação, um grande aliado do ensino é o AEVO Boost, a nossa plataforma que disponibiliza cursos para profissionais de invadores, com foco no universo da inovação corporativa.

Com as suas capacitações, os colaboradores aprendem sobre Metodologias Ágeis, Cultura de Inovação, Gestão da Inovação, Programa de Ideias, Inovação Aberta, entre demais temas.

Além disso, os cursos oferecem certificado, que é emitido após o aluno ser aprovado no teste final. Outra vantagem é o fato da plataforma ser acessível até mesmo por meio de celulares e tablets.

A fim de contribuir com o conceito de pirâmide de aprendizagem, o AEVO Boost disponibiliza além de material escrito para leitura, videoaulas e um canal para discussões, onde é possível publicar dúvidas e conferir as perguntas dos colegas.

aevo-boost-inovacao-corporativa

Conclusão

Ao entender a teoria da pirâmide de aprendizagem, todas as pessoas podem obter conhecimento de maneira mais ativa e assim absorver melhor o conteúdo que desejam aprender. O mesmo ocorre no local de trabalho.

Gestores e colaboradores podem criar formas de interagir com o conhecimento e aproximá-lo do seu dia a dia. Um exemplo é o compartilhamento do que foi aprendido com os demais e para ajudar nesse processo existe o AEVO Innovate.

O nosso Software de Gestão da Inovação com inúmeras funcionalidades, inclusive, recursos que permitem aos colaboradores trocarem ideias e experiências, bem como criar projetos inovadores.

Essa ferramenta é perfeita para empresas que desejam promover a cultura da inovação no ambiente corporativo. Solicite uma demonstração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *