Saiba como manter os arquivos da nuvem seguros

A comodidade trazida por arquivos da nuvem é tentadora. Contudo, a segurança de dados nesse tipo de armazenamento costuma ser posta em dúvida.

Nesse contexto, não podemos ignorar os fatores que ganham a confiabilidade no armazenamento em nuvem, como a facilidade no acesso dos arquivos em qualquer lugar, bastando ter uma conexão com a internet, e os custos mais baixos para manter o serviço.

De fato, esse serviço traz vantagens, além de poder ser, sim, muito seguro. Porém, algumas medidas para isso são necessárias. Neste artigo, vamos apresentar as possíveis ameaças ao cloud computing e como contorná-las para usufruir do serviço com tranquilidade. Confira a seguir!

As ameaças aos arquivos da nuvem

Cada dia mais empresas consideram a migração de seus aplicativos e dados para a nuvem, mas a segurança continua sendo uma séria preocupação. Para que isso deixe de ser um problema, o primeiro passo para minimizar o risco na nuvem é identificar as principais ameaças de segurança.

A natureza on-demand compartilhada da computação em nuvem introduz a possibilidade de novas brechas de segurança, que podem apagar todos os ganhos obtidos com a mudança para a tecnologia de nuvem. 

Os serviços em nuvem, por natureza, permitem que os usuários ignorem as políticas de segurança de toda a organização e criem suas próprias contas ao serviço de projetos paralelos de TI. Assim, novos controles devem ser implementados. Veja algumas das possíveis ameaças aos seus arquivos em nuvem.

1. Violações de dados

Os ambientes de nuvem enfrentam muitas das mesmas ameaças que as redes corporativas tradicionais, mas, devido à grande quantidade de dados armazenados em servidores de nuvem, os provedores tornam-se um alvo atraente.

A gravidade dos danos potenciais tende a depender da sensibilidade dos dados expostos. Informações financeiras tendem a obter maior atenção, mas violações envolvendo segredos comerciais e propriedade intelectual podem ser até mais devastadoras.

Quando uma violação de dados ocorre, as empresas podem incorrer em multas ou podem enfrentar ações judiciais ou acusações criminais. As investigações de violação e as notificações de clientes podem gerar custos significativos. Efeitos indiretos, como danos à marca e perda de negócios, podem afetar as organizações por anos.

2. Credenciais comprometidas e autenticação quebrada 

Violações de dados e outros ataques frequentemente resultam de autenticação fraca, senhas fracas e gerenciamento de chaves ou certificados deficiente.

Muitas vezes, as organizações lutam com o gerenciamento de identidades quando tentam alocar permissões adequadas à função do usuário. Mais importante, acontece de esquecerem de remover o acesso do usuário quando uma função de trabalho muda ou um usuário sai da organização.

Muitos desenvolvedores cometem o erro de incorporar credenciais e chaves criptográficas no código-fonte e deixá-los em repositórios voltados para o público, como o GitHub.

3. Interfaces hackeadas e APIs

Praticamente todos os serviços em nuvem e aplicativos agora oferecem APIs. As equipes de TI usam interfaces e APIs para gerenciar e interagir com serviços em nuvem, incluindo aqueles que oferecem provisionamento, gerenciamento, orquestração e monitoramento em nuvem.

A segurança e a disponibilidade dos serviços em nuvem  de autenticação e controle de acesso à criptografia e monitoramento de atividades  dependem da segurança da API. Interfaces fracas expõem as organizações a questões de segurança relacionadas a confidencialidade, integridade, disponibilidade e responsabilidade.

Os meios de garantir a segurança na nuvem

Com um pouco de esforço, é possível proteger seus dados em nuvem por meio de algumas medidas de segurança, políticas estabelecidas na organização e procedimentos realizados por seus colaboradores. Confira, a seguir, os passos para proteger os seus arquivos da nuvem.

1. Tenha um arquivo de backup local

Quando se trata de gerenciar dados, é sempre necessário manter um backup para uma possível recuperação. De um modo geral, é uma boa prática criar cópias eletrônicas para qualquer um dos seus dados, para que você ainda seja capaz de acessá-los mesmo quando o backup original é perdido ou foi corrompido.

Uma boa prática de backup é manter a imagem de recuperação armazenada em um local diferente dos arquivos originais. Tratando-se de arquivos em nuvem, manter uma cópia local pode ser uma alternativa para evitar ameaças externas.

Isso também permite que você acesse as informações quando você tem má ou nenhuma conexão com a Internet.

2. Controle os acessos

Há limites dentro da nuvem. Os administradores de segurança devem colocar limites em cada usuário e implantar várias ferramentas para rastrear o comportamento do usuário. 

Autenticação de dois fatores, Single Sign On e Serviços Gerenciados de chaves, permitem que agentes de segurança garantam que as pessoas que tentam acessar os dados são realmente quem dizem ser e, em segundo lugar, que eles são as pessoas que devem ter esse acesso.

Deve-se estudar o comportamento do usuário para estabelecer o que é normal. Softwares de segurança equipados com bandeiras de informação e comportamento suspeito ou arriscado respondem de acordo — antes que o comportamento malicioso tenha tempo para se espalhar em toda a rede.

3. Criptografe seus dados

A criptografia na nuvem emprega técnicas para proteger dados e permite que os usuários acessem de forma conveniente e segura os serviços em nuvem. A criptografia na nuvem protege dados sensíveis sem atrasar a troca de informações.

A segurança da criptografia em nuvem permite proteger dados críticos para além do ambiente corporativo de TI, em que esses dados não estão mais sob seu controle. Informações em movimento e informações em repouso são melhor protegidas por medidas de segurança criptográfica.

Na nuvem, não há o luxo de ter controle físico real sobre o armazenamento de informações, de modo que a única maneira de garantir que a informação é protegida é que ela seja armazenada criptograficamente, mantendo o controle de uma chave para tal criptografia.

4. Realize backup contínuo

É necessário realizar um backup rotineiro dos dados, para garantir que, em caso de incidentes, você terá sempre a versão mais atual dos arquivos perdidos ou danificados.

Para garantir a efetividade do backup, auditorias devem ser realizadas, analisando se todos os backups estão sendo feitos corretamente, se nenhum dado está sendo perdido e se a imagem está, de fato, funcionando e poderá ser usada para restaurar arquivos da nuvem em uma situação critica.

Gostou do artigo? Então, compartilhe com seus amigos e colegas da área em suas redes sociais!

Posts Relacionados
Todos insistem em dizer que sabem o que estão fazendo, por amar a própria ideia.
Não é novidade para ninguém que a gestão de projetos se tornou essencial para a
Com o cenário empresarial cada vez mais competitivo, é necessário inovar para se destacar. Buscar

Deixe uma resposta