10 Tendências de RH que seu RH precisa acompanhar

tendencias-de-rh

Recursos Humanos é um departamento de extrema importância para uma empresa. Já que é o responsável por fazer a gestão de pessoas, reter e recrutar talentos, além de tomar decisões estratégicas para potencializar a produtividade da equipe. Por conta disso, é fundamental que o time esteja sempre atualizado e por dentro das principais inovações e tendências de RH. 

E você, sabe tudo o que está rolando de novidade na área? Continue a leitura deste post e confira as 10 principais tendências para acompanhar.


1. Foco na experiência

Nos últimos anos, muito tem se falado sobre o termo Employee Experience, que traduzido significa “experiência do colaborador”. Esse tipo de política, que visa valorizar e potencializar a experiência dos talentos, é uma das principais estratégias para a retenção de colaboradores e minimização de turnover.

Aliado ao conceito, outra tendência forte é o Employer Branding, um conjunto de ações que buscam melhorar a imagem da marca como empregadora no mercado. Para isso, a estratégia procura proporcionar excelentes experiências, tanto para colaboradores quanto para candidatos em processos seletivos, fazendo com que outros profissionais almejem uma oportunidade na empresa.

Algumas ações que podem ser utilizadas para fortalecer essa imagem no mercado são programas de treinamento e desenvolvimento, oferta de benefícios exclusivos, oportunidades de plano de carreira e ações de onboarding para novos colaboradores.


2. Levantamento e uso de dados

A análise de dados é outra tendência cada vez mais forte em diversas áreas do mercado corporativo. Quando associada à gestão de pessoas, esse processo é chamado de People Analytics.

O People Analytics é um método de coleta e análise de informações que utiliza estatística, tecnologia de ponta e expertise para ajudar o departamento a entender o comportamento individual e direcionar ações futuras.

Com esse tipo de estudo, o RH consegue embasar melhor a tomada de decisões e garantir ações mais direcionadas e efetivas, melhorando diversos aspectos da gestão de pessoas. Assim, é possível mensurar dados como engajamento, produtividade e satisfação dos colaboradores no ambiente de trabalho.

Além disso, a análise de dados pode ser utilizada em diferentes processos do setor, como recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, retenção de talentos, clima organizacional, desligamentos e performance do time.


3. Treinamentos online

Após o início da pandemia do coronavírus, quando foi necessário mudar cenários para se adaptar ao distanciamento social, outra realidade que acabou sendo incorporada nas tendências de RH foram os treinamentos online.

Apesar de ter se fortalecido durante o período de quarentena, esse tipo de programa de capacitação veio para ficar, isso porque, trata-se de uma opção mais prática para aplicação.

Com treinamentos remotos, o RH consegue capacitar pessoas com mais flexibilidade e economia, sem precisar reuni-las em um mesmo espaço físico e horário. Dessa forma, é possível treinar e desenvolver igualmente equipes de diferentes regiões, mantendo todos os colaboradores alinhados e aumentando a produtividade e o desempenho dos times.

Por fim, é válido destacar que ações de desenvolvimento fazem com que os colaboradores se sintam mais valorizados e motivados, o que melhora os resultados do negócio como um todo.


4. Automação de processos

Outra tendência que já é realidade em grandes empresas é a automação de processos. Nesse sentido, a inteligência artificial tem se mostrado uma grande aliada, principalmente em tarefas burocráticas e demoradas.

Assim, com o uso de ferramentas e plataformas digitais, os profissionais de RH conseguem automatizar e otimizar atividades, além de acessar dados e informações importantes à distância, o que permite uma gestão de pessoas mais eficiente, mesmo no caso de trabalhadores remotos.

Além disso, o uso de chatbots e inteligências artificiais também está em alta, possibilitando respostas mais rápidas aos colaboradores e candidatos e agilizando o atendimento de solicitações simples. Esse tipo de inovação é fundamental para que o RH deixe de ser um setor meramente operacional e possa atuar de forma mais estratégica, alcançando maior protagonismo dentro da organização.


5. Trabalho remoto

Ainda no contexto da pandemia, muitas empresas precisaram fechar as portas e migrar para um modelo de trabalho home office. Contudo, apesar de parecer novidade, essa tendência já vinha ganhando força antes mesmo do coronavírus.

De acordo com uma pesquisa realizada pela fintech Husky, que entrevistou 700 profissionais, 30,5% dos entrevistados já trabalhavam remotamente há mais de três anos. Esse dado mostra que a ideia de que trabalho remoto é menos produtivo já caiu por terra e que, ao redor do mundo, grandes empresas já apostam no modelo.

Vale destacar que, além de oferecer mais comodidade e conforto para o colaborador, o trabalho remoto também ajuda a quebrar barreiras físicas, possibilitando a contratação de profissionais qualificados, mesmo que eles não residam na mesma região em que a empresa está situada.


6. Contratação de freelancers

O home office não é a única tendência de mudança nos modelos de trabalho. Outra alteração que vem sendo notada no último ano é uma maior contratação de profissionais freelancers.

Com a diminuição das vagas de trabalho CLT, muitas pessoas passaram a oferecer seus serviços como freela, nas mais variadas funções. A tendência, no entanto, é que essa realidade só aumente com o passar dos anos.

Dessa forma, é importante que os profissionais de RH conheçam as especificidades na contratação de colaborador sem vínculo empregatício e que analisem se esse tipo de adesão é ou não vantajoso para a empresa.

Mas além das contratações, os times de RH também precisam adaptar o gerenciamento desses trabalhadores, entendendo a fundo quais são os seus direitos e deveres.


7. Benefícios exclusivos

A oferta de benefícios é um dos fatores decisivos para a escolha de uma oportunidade. Por isso, oferecer vantagens exclusivas pode fazer com que você consiga aquele talento que está almejando.

Além dos benefícios tradicionais, os profissionais também valorizam outras vantagens, como mensalidades de academia, horários flexíveis, ausência de dress code e programas focados em saúde mental.

Outra particularidade dos colaboradores mais jovens é a valorização de organizações que acrescentem e tragam algo de bom para o mundo. Assim, esse tipo de público valoriza empresas com responsabilidade social e ambiental que oferecem programas de desenvolvimento pessoal para o time.

É válido destacar que, apesar de valorizarem os benefícios, os profissionais também buscam organizações que ofereçam um ambiente de trabalho saudável e harmonioso. Por isso, de nada adianta colocar videogames no escritório se você faz os colaboradores trabalharem exaustivamente e sem um período de descanso adequado.


8. Foco em saúde mental

Outra tendência que só cresce é o foco na saúde mental e inteligência emocional dos colaboradores. Nesse sentido, organizações que colocam o capital humano em primeiro lugar têm se destacado como marcas empregadoras e conquistado muito mais engajamento e produtividade.

Assim, vale a pena buscar estratégias para melhorar o clima organizacional e tornar o ambiente corporativo mais saudável. Entre as ações que podem ser tomadas estão a implantação de horários flexíveis, programas de atividade laboral, palestras e workshops sobre inteligência emocional e apoio psicológico gratuito.

Além disso, é fundamental realizar pesquisas de clima regulares, para coletar feedbacks e entender a percepção da equipe sobre o ambiente e as lideranças.


9. Gestão comportamental

Outra tendência do RH é a gestão comportamental. Trata-se do modelo de gestão de pessoas que utiliza como foco os perfis comportamentais e a forma como os indivíduos reagem a diferentes situações cotidianas.

Dessa forma, o RH pode utilizar uma ferramenta para mapear os perfis comportamentais de colaboradores e candidatos, entendendo quais os pontos fortes e de melhoria de cada profissional e como cada um deles interfere na equipe.

Com essas informações, o departamento pode construir times de alta performance, realizar processos seletivos mais direcionados e assertivos, além de gerenciar as equipes para garantir um melhor clima organizacional.

Realizando um mapeamento de perfil, o RH consegue dividir seus colaboradores entre executores, comunicadores, analistas e planejadores, identificando as particularidades e competências de cada perfil. Além disso, é possível compreender melhor cada equipe e identificar quais tipos de profissionais estão gerando mais resultados.

Um exemplo de como o mapeamento comportamental pode ajudar na gestão de resultados são os dados apurados pelo Sólides Report 2020, que levantou informações sobre 2.335 empresas. De acordo com o levantamento, ao longo do ano, o perfil que mais se destacou e recebeu promoções nas organizações levantadas foram os executores.


10. Busca por inovação

Destacar-se no mercado como empregador é uma tarefa e tanto, e as inovações tecnológicas vêm se mostrando grandes aliadas para o departamento de Recursos Humanos. Dessa forma, empresas que apostam em ferramentas inteligentes e estratégias modernas estão largando na frente.

Além do People Analytics e das plataformas de treinamento, outras ferramentas e ações podem ser utilizadas para deixar o seu RH mais moderno, como a gamificação, os softwares de controle de ponto e as plataformas de recrutamento e seleção.

Independentemente das ferramentas escolhidas, é essencial que o RH esteja sempre por dentro das tendências, acompanhando as novidades do setor e conhecendo diferentes soluções para facilitar o trabalho dos analistas para potencializar a experiência de colaboradores e candidatos.

Além disso, para acompanhar as principais tendências de RH, é importante que o time faça uma boa gestão da inovação, esteja sempre atualizado e busque informações sobre os principais eventos e relatórios gerados na área.

Este artigo foi escrito pela Sólides, plataforma completa de gestão de talentos com people analytics e gestão comportamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *