Unicórnios brasileiros: o que são, o que eles têm em comum e dicas

unicornios-brasileiros

O que existe em comum entre grandes empresas, como Pinterest, Airbnb e Uber, além de apostarem em grandes inovações? Elas são conhecidas como startups unicórnios. 

No mundo dos negócios, o termo é usado para designar empresas que atingiram uma grande conquista: valer mais de US$ 1 bilhão, considerado algo tão difícil e raro quanto visualizar essa figura mitológica.  

Continue a leitura para saber quem são os unicórnios brasileiros, quais são suas características comuns e confira algumas dicas para alcançar esse grande feito.  


O que são empresas unicórnios 

Em 2013, Aillen Lee cunhou o termo startup unicórnio para descrever empresas valorizadas em mais de US$ 1 bilhão, mesmo sem terem capital na bolsa de valores, ou seja, antes de se tornarem uma IPO (Initial Public Offering), que em português chamamos de Oferta Pública Inicial (OPI).  

Lee é fundadora da Cowboy Ventures, investidora-anjo americana que ajuda o crescimento de empresas em estágio inicial. As empresas unicórnio são consideradas raras e apresentam dificuldade de alcançar essa valorização em negócios emergentes no mercado.  

Diante disso, definem-se os unicórnios como startups que enfrentaram muitos desafios, ultrapassaram obstáculos, sobreviveram a eles e alcançaram o desejado décimo dígito.  

Um dado interessante: as empresas unicórnio já dividem atenção com as Super Unicórnios, chamadas Decacorn. Trata-se de startups cuja valorização de mercado ultrapassa US$ 10 bilhões. Como exemplo, estão a Uber, o Airbnb e a WeWork. 


O que são startups 

Ainda que o conceito de startup não seja unânime, podemos defini-las como empresas jovens que buscam a inovação em qualquer área ou segmento. Nesse sentido, as startups procuram desenvolver um modelo de negócio escalável e que seja repetível.  

Em geral, elas não se limitam a negócios digitais, embora necessitem de inovação para não serem vistas como empresas tradicionais. Ainda, as startups precisam conquistar um grande número de clientes para gerar lucro, porém sem acumular custos elevados com o crescimento e consequente expansão.  

Outra característica das startups é entregar produtos iguais aos clientes, e não personalizados um a um. Dessa maneira, todas as variáveis do produto estão prontas para entregas repetidas. 


Quem são os unicórnios brasileiros 

No Brasil, o primeiro unicórnio do país surgiu em janeiro de 2018, quando a 99 Taxi atingiu valor de mercado de US$ 1 bilhão, após ser comprada pela empresa chinesa Didi Chuxing. Desde então, as startups brasileiras deram lugar a novos unicórnios, cujos investimentos somaram mais de R$ 9 bilhões, sendo a maior parte desse capital vinda do exterior.  

Em 2020, os unicórnios brasileiros alcançaram US$ 334 milhões, o equivalente a R$ 1,45 bilhão, apenas no mês de novembro. A seguir, confira quais são os unicórnios brasileiros em 2021: 

  • 99 (janeiro de 2018): a empresa apostou na união de motoristas e taxistas, oferecendo boa usabilidade de um aplicativo; 
  • Nubank (março de 2018): o banco digital superou a marca de 15 milhões de clientes; 
  • Arco Educação (setembro de 2018): seu modelo inicial não era de uma startup, mas adotou a tecnologia a seu favor e tornou o negócio escalável; 
  • Movile/Ifood (novembro de 2018): primeira grande plataforma a popularizar o delivery. Mudou o comportamento de consumo e cresceu muito rápido; 
  • Stone (dezembro de 2018): especializada em pagamento, está quase deixando de ser unicórnio, já que fez uma oferta pública inicial e alcançou valor de mercado de US$ 6,7 bilhões; 
  • Gympass (janeiro de 2019): serviço de bem-estar com distribuição B2B2C, já está internacionalizada e com plano de expansão para atender médias empresas; 
  • Loggi (junho de 2019): serviço de motofrete por aplicativo, tem boa usabilidade e rapidamente conquistou pessoas físicas e jurídicas; 
  • QuintoAndar (setembro de 2019): rompeu barreiras no mercado imobiliário nacional e trouxe muitas facilidades ao segmento, considerado extremamente burocrático; 
  • Ebanx (novembro de 2019): plataforma que processa pagamentos de outras plataformas, como Spotify, Airbnb e Netflix. Atualmente, já oferece também outros serviços; 
  • Wildlife (dezembro de 2019): estúdio de games que recebeu aporte de US$ 60 milhões e alcançou valor de mercado de US$ 1,3 bilhão; 
  • Loft (janeiro de 2020): plataforma digital que simplifica negócios por meio da tecnologia, conectando compradores e vendedores de imóveis; 
  • Vtex (setembro de 2020): a plataforma de e-commerce SaaS cuida da estrutura que lojistas utilizam para cadastrar produtos, integrar formas de pagamento, frete, ERP, entre outros; 
  • C6 Bank (dezembro de 2020): banco sem agência física que oferece conta corrente, de pagamento e internacional em dólar, produtos de investimento, serviços a pessoas jurídicas e tag de pedágio gratuita; 
  • Creditas (dezembro de 2020): oferece empréstimo com garantia de imóvel, veículo, consignado privado e financiamento de automóveis; 
  • MadeiraMadeira (janeiro de 2021): empresa que comercializa móveis por varejo online e offline, conquistou um aporte de US$ 190 milhões. 

Dicas para se tornar um unicórnio 

Empreendedores esperam crescer e alcançar a valorização de suas empresas. Para isso, é necessário pensar de forma global e gerenciar os negócios corretamente. Assim, é fundamental ter proatividade e certa dose de ambição, pois conquistar o título de startup unicórnio é um grande desafio.  

Não há um único método eficaz para atingir o primeiro bilhão de dólares, mas algumas características das unicórnios podem servir para quem almeja tornar sua empresa bilionária:  

  • Têm propósito, por isso defina onde quer chegar e como;  
  • Conhecem a importância do seu negócio para o público. Então, saiba qual foi a motivação para abrir a empresa, quanto seu produto é importante para o cliente e qual a dor que você deseja sanar; 
  • Sabem no que o negócio se difere da concorrência e usam isso para potencializar os benefícios que oferecem aos usuários e clientes; 
  • Pensam nas pessoas: esforços e benefícios focados nas pessoas possibilita o crescimento e a satisfação de todos (clientes, usuários e colaboradores); 
  • Pensam grande: ter propósitos inspiradores é o que move as empresas do ponto em que elas estão para o ponto onde querem chegar; 
  • Têm especialistas: ter alguém qualificado, com conhecimento e experiência em áreas específicas contribui para otimizar o desenvolvimento da empresa; 
  • Investem no crescimento das equipes: muitas vezes, as empresas já contam com profissionais de alta performance, assim, o investimento no potencial deles não deve ser limitado; 
  • Focam na gestão de pessoas: saber gerenciar as equipes e os resultados alcançados, além de passar por liderar adequadamente, oferecendo espaço para questionamentos e proposição de mudanças; 
  • Contam com equipes motivadas e cientes da missão que desenvolvem, por isso são engajadas e acreditam no sucesso do empreendimento; 
  • Têm uma cultura organizacional bem definida. 

E então, preparado para transformar sua empresa e fazê-la crescer? Fique atento às dicas que demos aqui e comece a implementar no seu negócio essa nova mentalidade e, quem sabe, você poderá no futuro estar na lista dos unicórnios brasileiros? Para começar, confira esse e-book gratuito e seja protagonista em uma gestão empresarial de sucesso. 

 

Este conteúdo foi escrito pela Sólides, empresa que oferece plataforma completa de gestão de talentos com people analytics e gestão comportamental. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *