Comprovado! Inovação gera retorno financeiro e valor para as empresas

Valorização de ativos pela inovação

Você pode ficar surpreso com essa notícia: nem todas as empresas estão interessadas em investir em inovação. De fato, em algumas organizações, persiste a mentalidade de que, se as coisas vão bem do jeito que estão, não existe motivo para “gastar” tempo e dinheiro tentando fazer algo novo. Porém, como você deve imaginar, essa não é uma boa atitude diante de um mercado que está cada vez mais competitivo.

A questão é que até mesmo as empresas que investem em inovação, possuem dificuldades em mensurar os retornos financeiros envolvidos. Isso acontece pois em alto nível a inovação passa a envolver fatores quantitativos e qualitativos, e o retorno financeiro passa a ser estimado.

Por isso, trouxemos neste artigo um estudo que comprovou o retorno financeiro sobre a inovação de uma forma bem astuta. Você entenderá porque a inovação supera as expectativas do mercado e verá exemplos de empresas que criaram valor a partir da inovação.

Por que a inovação supera as expectativas do mercado?

No mercado financeiro, os resultados das empresas de capital aberto são analisados minunciosamente. Investidores fazem suas previsões em cima de análises dos resultados financeiros e sua experiência profissional. E contam com o auxílio de complexos modelos matemáticos. Mas um fator é capaz de superar as expectativas do mais experiente investidor: a inovação!

O que isso significa? Colocando em termos muito simples, quando uma empresa investe em inovações, ela cria valor não previsto nas estimativas do mercado. Com isso, aumenta a demanda por ações da empresa, já que ela está entregando mais do que o resultado esperado. Quando a busca pelas ações sobe, o preço delas também sobe, levando à valorização da empresa.

Um exemplo é a Apple. Antes do retorno de Steve Jobs, em 1997, a empresa estava próxima a falência e ninguém esperava que esse cenário fosse mudar. Entretanto, a empresa focou seus investimentos em inovação e superou repetidamente as expectativas do mercado financeiro, alcançando uma valorização histórica de US$ 1 Trilhão em 2018. Nas previsões de crescimento realizadas por investidores, não são consideradas inovações futuras, por isso, quando a Apple ousou no mercado musical (iPod e iTunes) e de telecomunicações (iPhone), suas ações cresceram escandalosamente.

A NVIDIA, fabricante de placas de vídeo, é outro exemplo de organização que se valorizou exponencialmente por conta de suas inovações. A empresa sempre teve nos gamers, o público-alvo perfeito para os seus produtos. Contudo, agiu rápido ao perceber como suas placas de vídeo podiam atender a necessidade do mercado por processamento de dados na área de inteligência artificial. Essa nova finalidade encontrada em seus produtos foi inesperada para os investidores, e suas ações decolaram.

Crescimento exponencial das ações da NVIDIA depois de 2016

A Amazon (e-commerce de… tudo??) não para de inovar e surpreender o mercado financeiro. A empresa que um dia foi um e-commerce de livros, se diferenciou dos concorrentes com o Kindle, tomou gosto pela inovação e não para de inovar desde então. Após pouco mais de 20 anos de história, suas inovações de modelo de negócio, canais, produtos e serviços geraram uma valorização excepcional das ações da empresa.

Criação de valor a partir da inovação

Para que você entenda melhor a relação entre retorno sobre inovação e criação de valor, vamos comentar o estudo desenvolvido pelo Dr. Tim Jones, da organização Innovation Leaders.

Dr. Jones criou uma carta de investimento composta por ações das empresas mais inovadoras em diferentes segmentos e comparou o desempenho dessas ações em relação a outros fundos de investimento. Suas observações apontaram que as empresas inovadoras atingiram níveis de valorização superiores, gerando mais retorno para o acionista.

O que esse estudo demonstrou foi que o retorno sobre inovação vai muito além de questões abstratas, como “ganhar competitividade”. Existem benefícios financeiros concretos, porque a inovação leva a um aumento no valor de mercado da empresa.

Neste estudo, o fundo de investimento composto por empresas inovadoras superou a performance financeira do S&P 500 (um tradicional índice de valor de mercado, composto por quinhentas ações das bolsas NYSE ou NASDAQ). E esse resultado não foi em um único período, mas consistente ao longo de dez anos.

Em branco, desempenho das empresa líderes em inovação, em laranja, desempenho da S&P 500.

E o mais importante é que, embora o estudo tenha sido realizado monitorando o preço de ações, não são apenas empresas de capital aberto — aquelas que têm ações à venda na bolsa de valores — que podem se beneficiar com o investimento em inovação. Na verdade, a mesma lógica se aplica a empresas de capital fechado.

Quando uma empresa inova, ela gera interesse no mercado. Com isso, pode atrair novos investidores ou sócios, clientes, fornecedores, parceiros. Cada novo relacionamento que a empresa estabelece vai ajudá-la, direta ou indiretamente, a alavancar a valorização de ativos.

Porém, aqui vai um ponto do estudo do Dr. Jones que não pode ser ignorado. Ele levou em consideração que existe um intervalo entre o momento em que a inovação é realizada e o momento em que ela gera impacto. Ele chama esse intervalo de Time To Market (TTM) e, embora seja claro que o TTM varia conforme o segmento, é possível adotar uma média segura de dois anos como referência.

Assim, você deve estar preparado para ver o retorno sobre inovação cerca de dois anos após o investimento. Apostar em uma inovação com a intenção de ver resultados imediatos é uma receita para a frustração.

A priorização da inovação como estratégia

Está claro que existe um retorno sobre inovação, um resultado que sua empresa pode esperar por seu investimento. Entretanto, esse resultado depende da adoção de boas práticas. Entre elas, destacamos a importância de olhar para dentro em busca de fontes de inovação, ou seja, de contar com os insights dos seus colaboradores para identificar oportunidades de disrupção.

A Apple, Amazon e NVIDIA, por exemplo, inovam sistematicamente pois contam com um time de profissionais competentes que possuem voz e liberdade de criação dentro da empresa.

Para produzir inovações com a ajuda da sua equipe, é importante contar com uma ferramenta que facilite a comunicação interna e a gestão de inovação. Os gestores devem informar quais são os desafios que precisam de soluções, organizar o envio e recebimento de sugestões, executar as melhores ideias e acompanhar os resultados sobre a inovação.

Essa é a função da plataforma AEVO Innovate. Saiba mais sobre as funcionalidades e os benefícios que ela traz para sua organização, e agende uma demonstração, visitando nosso site agora!

Posts Relacionados
Como criar um comitê de Inovação? As melhores ideias são construídas em equipe e o
A gestão da inovação para grandes empresas é composta de uma série de fases. Conheça-as
A inovação não é simplesmente algo que acontece; você precisa contar com maneiras de fomentá-la

Deixe uma resposta