Brainstorms Mais Eficientes: Dicas Eficientes Para Começar

Dicas Imperdíveis para Brainstorms Mais Eficientes

Como fazer brainstorms mais eficientes? Essa é uma pergunta constante que surge entre criativos. Na hora de promover a inovação em qualquer empresa, não existe um tutorial perfeito ou fórmula mágica para a criatividade. Quem trabalha diretamente com o criativo lida diariamente com o desafio de ter boas ideias. São profissionais que precisam gerar soluções, ter sacadas, cumprir os prazos dos projetos, colocar campanhas no ar, fazer publicações e disparar e-mails. São tantas atividades que fica mais difícil ser criativo com o acúmulo de tarefas, a falta de tempo e a correria do dia a dia. 

Normalmente, o processo criativo trava na primeira fase, gerando aquela frustração pessoal ou até mesmo com a equipe. E isso acontece justamente na fase da criação do conceito, a parte fundamental do processo e que dará o norte de todo o resto da campanha.  É neste momento que entra o brainstorm.

O brainstorm, que significa “tempestade de ideias”, é uma técnica poderosa para evitar o bloqueio criativo, otimizar reuniões e peneirar as melhores ideias. Tudo com muita organização, ok?

O termo é do publicitário Alex Osborn cuja tradução direta significa “tempestade de ideias”. A técnica do publicitário é sobre juntar pessoas que estão envolvidas em um projeto e expor a maior quantidade de ideias possível, sem foco na qualidade. Todos levantavam questões que achavam interessantes para resolver um problema, até mesmo as mais absurdas, sem julgamento. A proposta era que, logo após essa tempestade de ideias, fosse feito um “pente fino” para escolher as que mais se encaixavam com a resolução do problema. O professor Ralph Keeney, da Universidade Duke, nos Estados Unidos, aperfeiçoou a ideia e acrescentou um pouco de racionalidade ao formato. Para ele, as pessoas que iriam participar da reunião precisavam fazer um estudo prévio sobre o assunto.

Aplicar a técnica do brainstorm não garante o sucesso de uma ideia, mas ela estimula sua mente a pensar sob outras perspectivas de maneira criativa. Mesmo que a sua habilidade de inovação não seja tão alta, existem alguns hábitos que não são produtivos para a criatividade e podem atrapalhar o seu processo. 

É por isso que preparamos este guia que te ensina as melhores práticas para brainstorms mais eficientes e, de quebra, se tornar um criativo disruptivo e inovador. Vamos às dicas!

Boas práticas para brainstorms mais eficientes

Para tudo isso dar certo, a sua mente precisa ser estimulada! O seu lado criativo é movido a estímulos culturais, sendo eles audiovisuais ou escritos. Por isso, comece buscando informações sobre o cliente, mas não só isso… Trabalhe seu cérebro com filmes, livros, espetáculos, shows e isso funcionará quase como um combustível para você. Inclusive, para gerar uma empresa engajada e com boas ideias, seria de bom tom que a empresa fornecesse uma espécie de “vale-cultura” para que os funcionários sejam incentivados a frequentar locais que tragam benefícios tanto para o lado pessoal, quanto profissional. 

Não descarte as ideias!

Não descarte as ideias ruins, pois é muito importante que as pessoas se sintam à vontade para falar suas “besteiras”. Na prática, separe 10 minutos da reunião para debater ideias ruins. Tenha iniciativa para encorajar o resto da equipe. Desfaça e refaça ideias, tente quebrá-las em várias partes e detalhes para que outras ideias possam surgir. 

Os comentários positivos sobre uma ideia ajudam na motivação. Das piores coisas que podem acontecer em um brainstorm é um feedback negativo. Troque a crítica negativa por uma crítica construtiva, tente criar algo em cima dela ou moldá-la de outra maneira. 

Prepare o terreno

Certifique-se de que todos os integrantes da equipe estão na mesma página. Disponibilize para aos profissionais todas as informações necessárias para que a preparação do Brainstorming seja feita da forma mais didática e visual possível. Faça uma reflexão inicial sobre o que influenciou o problema, pensando sob diversas perspectivas que envolvem tanto a causa quanto a sua solução do problema.

Procure entender o problema, antes mesmo de colocar as ideias. Este é o momento de transição, sair de um problema para alcançar uma solução, por isso é tão importante fazer esse diagnóstico. 

Entender o público é um dos pilares para resolução de um problema, por isso você precisa saber o que fazer, como fazer e para quem vai fazer. 

Faça perguntas sobre o problema para entender a questão, as indagações estimulam o cérebro a procurar respostas. Um bom método é o do “5 porquês”. Basicamente, você e sua equipe precisam se perguntar “Por quê?” 5 vezes diante do problema apresentado, e assim chegar a raiz da questão com mais clareza. Obs: Se uma causa foi apontada por duas ou mais pessoas diferentes, é importante considerá-la como prioridade. 

As perguntas são uma maneira eficiente para a mente humana ter a sensação de algo incompleto e isso é algo que incomoda seus neurônios, assim fica mais fácil ter várias ideias e pensar em algo que resolva seu problema de maneira criativa e eficiente.

É essencial abordar a importância dos objetivos a serem alcançados com a resolução de um problema. Sem as metas ninguém sabe onde parar ou por onde começar, elas são o termômetro para tomar decisões importantes no meio do caminho. Se necessário, crie a meta principal e uma espécie de micro meta, dessa forma o objetivo vai sendo mais simples e rápido de alcançar, a sensação é de conquistar uma meta todos os dias. 

Deixe tudo de forma clara e visual

Como já falamos aqui, a mente gosta de estímulo para ser criativa e para uma reunião de brainstorm coletivo dar certo é essencial que este ambiente seja um ambiente que estimule a criação coletiva. 

Distribua os profissionais de maneira confortável pelo espaço, faça com que se sintam à vontade. É recomendável que se abra mão de mesas, para não deixar a reunião tão formal e crie essa “barreira” entre as pessoas. Elimine ruídos que possam dificultar a conversa e tenha estímulos visuais no ambiente.  

Salas tranquilas e com decoração são mais eficientes do que salas de reuniões corporativas comuns. Em várias agências de publicidade, por exemplo, o brainstorm pode acontecer ao ar livre, em contato com a natureza ou qualquer outro ambiente que seja agradável para todos.  

Mesmo que seu ambiente seja tradicional e você não tenha como mudar isso, use um flip chart para colar uns post-its coloridos, eles irão te ajudar a otimizar o processo e ainda deixar a reunião mais atraente. Além disso, o post-it deixa o brainstorm mais organizado, já que irá entender o status do que está sendo discutido e ampliando a possibilidade de ideias na equipe. 

Estamos trabalhando com pensamentos, insights… Quantas vezes você pensou em uma ideia genial, mas esqueceu em poucos segundos? Por isso é tão importante documentar todas as opiniões e sugestões dadas. Além de não deixar nada para trás, a equipe terá uma visão geral do que pode ser a melhor solução para resolver o problema. Até mesmo juntar o que está registrado e pensar em algo ainda mais evoluído, ideias que parecem sem conexão podem acabar se complementando. 

Muito cuidado com os prazos

Quando se fala em prazo para brainstorms, ele se torna algo muito sensível. As reuniões, em geral, tem hora para começar, mas não tem hora para acabar. O motivo é que só termina quando a solução for encontrada. 

Determinar prazos curtos para o brainstorm pode prejudicar o processo criativo, mas isso não quer dizer que ele deve acontecer durante um dia inteiro. A ideia aqui é otimizar o tempo da melhor maneira possível, e que horário seja o item mais irrelevante diante do que está sendo construído na reunião. 

É normal que durante um processo criativo se perca o foco, afinal trabalhar com criatividade é lúdico e livre, é como pegar uma onda e surfar nela. Mas, para evitar dispersão excessiva é interessante ter um mediador na equipe. Ele será o responsável por dar o direcionamento da discussão e sempre que alguém dispersar ou sair do trilho da conversa, essa pessoa será trazida de volta para o tema.

É certo que não existe uma medida exata de quanto tempo uma grande ideia levará para ser criada, mas manter o foco na solução do problema irá fazer com que as ideias estejam alinhadas, evitando sugestões desconexas ou irrelevantes.

faça do programa de inovação da sua organização uma máquina de ideias | solicite demonstração | AEVO Innovate

Posts Relacionados
A definição de inovação vai muito além do desenvolvimento, seja ele de um produto novo
Você conhece o brainstorm? O brainstorm é mais que uma ferramenta, ele define a essência
Antes de falarmos de cooperativa, é fundamental conhecer a sua história. Tudo começou em 1844,

Deixe uma resposta