Dez tipos de inovação: Um modelo capaz de desconstruir e inspirar inovações

Você acompanha o blog da AEVO? Se sim, provavelmente já aprendeu algumas coisas bem importantes sobre inovação. Por exemplo, já deve saber que a inovação é uma novidade com aplicação prática ou, ainda, que uma inovação gera valor para as pessoas às quais se destina e que atende necessidades reais. Também já deve saber que pensamentos como “ser criativo basta para inovar” ou “só se faz inovação nos produtos” são mitos.

Então, você provavelmente já sabe que não existe apenas um tipo de inovação. Aliás, segundo Larry Keeley, existem dez tipos de inovação. Keeley é presidente e co-fundador da Doblin Inc., uma das empresas mais conhecidas em estratégia de inovação (atualmente incorporada como uma unidade da consultoria Deloitte). Ele escreveu um livro intitulado ‘Dez tipos de inovação’ no qual descreve um pouco do seu método e sua experiência como consultor. Que tal ver o que ele tem a falar sobre a importância de mapear a inovação e os diferentes tipos que existem?

A importância de mapear os tipos de inovação

Você certamente está se perguntando porque é importante conhecer e reconhecer os tipos de inovação que podem ser desenvolvidos dentro da sua empresa. Bem, existem pelo menos dois motivos.

O primeiro motivo é que, ao conhecer os tipos de inovação, você pode incentivar sua organização e seus colaboradores a serem inovadores de uma maneira mais variada. Essa é uma vantagem competitiva importante, pois a maioria das empresas apenas atém-se a alguns dos tipos mais óbvios de inovação.

O segundo motivo é que cada tipo de inovação tem suas próprias particularidades. Conhecê-los vai permitir que você tome decisões estratégicas mais assertivas em relação a cada um deles. Assim, a sua taxa de sucesso em inovação vai disparar.

Agora que você já sabe o porquê conhecer os tipos de inovação, vamos ver quais são eles?

Os 10 tipos de inovação

O modelo de Larry Keeley se chama 10 TI, e ele faz questão de deixar claro que não existe uma sequência ou hierarquia entre os tipos de inovação. Se existe alguma classificação entre eles é a dos que estão mais próximos do cliente (que ele chama de inovações de experiência); os que são mais voltados ao ambiente interno da organização (que ele chama de inovações de configuração); e, no centro, os que dizem respeito apenas a um produto ou um grupo de produtos (que ele chama de inovações de oferta).

Os 10 TI são: 

  • Inovações de configuração:
    • Modelo de lucro
    • Rede
    • Estrutura
    • Processo
  • Inovações de oferta:
    • Desempenho de produto
    • Sistema de produto
  • Inovações de experiência:
    • Serviços
    • Canal
    • Marca
    • Envolvimento do cliente

Vamos ver as características de cada um dos tipos de inovação?

Modelo de lucro

As inovações no modelo de lucro, como você deve imaginar, revisam o modelo de negócios para encontrar outras maneiras de gerar lucro. Quer ver um exemplo? Quando os aplicativos para smartphone ainda eram novidade e nem todo mundo estava disposto a pagar por eles, alguém teve a ideia de obter lucro com anúncios nas versões “free”, gratuitas dos aplicativos. Essa foi uma inovação no modelo de lucro das empresas desenvolvedoras de aplicativos, que acharam uma maneira de obter receita mesmo quando não estavam de fato vendendo seu produto ao seu cliente.

Rede

As inovações na rede dizem respeito a encontrar maneiras de criar conexões para produzir benefícios a todos os envolvidos. Atualmente, isso é cada vez mais comum. As empresas promovem parcerias em que as forças do parceiro permitem que você supere suas próprias fraquezas.

Mas as redes não precisam ser formadas entre empresas. Elas também podem ocorrer de maneira mais aberta, por exemplo, com profissionais autônomos. Isso faz parte das tendências de flexibilização do trabalho. Um bom exemplo são os serviços de mobilidade urbana, em que a empresa por trás do serviço forma uma rede com todos aqueles motoristas cadastrados em seu sistema.

Estrutura

As inovações de estrutura estão relacionadas ao modo como a empresa dispõe dos seus vários ativos, sejam materiais ou humanos, tangíveis ou intangíveis. Assim, por exemplo, quando a organização desenvolve um novo programa para identificar talentos e desenvolver lideranças, está implementando uma inovação de estrutura. Quando ela cria uma campanha para reduzir consumo e desperdício de insumos de escritório, também. 

Processo

As inovações de processo estão entre as mais conhecidas. Elas estão no nível operacional, e podem ser traduzidas como inovações no modo como uma certa atividade é desenvolvida. Atualmente, a palavra de ordem em inovação de processo é lean, ou enxuto: as empresas buscam maneiras mais simples, livres de desperdício de tempo, esforço ou recursos, para produzir os mesmos resultados que seus concorrentes.

Desempenho de produto

As inovações de desempenho de produto buscam trazer melhorias para o produto, reforçando sua proposta de valor, seus atributos ou sua qualidade. É esse tipo de inovação que você está vendo quando uma fabricante de equipamentos eletrônicos lança um novo computador que promete mais desempenho, ou quando uma montadora de automóveis coloca no mercado um carro que consome menos combustível, por exemplo.

Esses são exemplos grandes, mas toda empresa busca inovação de desempenho de produto, desde aquela que produz tampas de canetas até aquela que desenvolve tanques de guerra. E, claro, isso não se aplica somente às empresas que trabalham literalmente com fabricação: o mesmo vale para empresas de serviços, de comércio.

Sistema de produto

As inovações de sistema de produto são aquelas que encontram maneiras de reforçar a complementaridade entre os produtos que sua empresa oferece. Talvez a Apple seja um dos exemplos mais claros, porque cada equipamento complementa o outro de uma maneira que produtos de outras empresas não podem fazer. Não é a toa que clientes da Apple, em geral, compram diferentes itens da marca: o computador, o tablet, o smartphone, os fones de ouvido, a caneta stylus, e assim por diante. O conceito por trás desse tipo de inovação é simples, mas forte: o cliente tira o máximo de benefício do seu produto quando o utiliza em conjunto com outros produtos da sua empresa.

Serviços

As inovações de serviços não são apenas para as empresas de serviços. Atualmente, a maioria das empresas fabricantes de produtos estão encontrando maneiras de inovar com serviços que aumentam o valor percebido por seus clientes. É aí que entram seguros especiais, garantias estendidas, suporte ao usuário, e assim por diante. Eles não são o item principal da compra, mas apresentam um papel importante ao melhorar a qualidade da experiência do seu cliente.

Canal

As inovações de canal estão focadas em responder a uma questão: como o seu produto chega até o cliente? A grande tendência dos últimos anos está no comércio eletrônico, que permite que qualquer pessoa tenha acesso aos produtos que deseja sem sair de casa. Porém, é justamente nesse cenário que as inovações em relação às lojas tradicionais podem ter ainda mais impacto. O principal exemplo recente foi o lançamento da Amazon Go, loja física da Amazon em que não há nenhum funcionário. O cliente entra, pega o que precisa, sai, e a cobrança é feita automaticamente no cartão de crédito registrado.

Marca

As inovações de marca dizem respeito ao modo como o cliente vê sua empresa, buscando garantir que ele reconheça, se lembre e escolha o seu produto na hora de comprar. Quer um exemplo simples? O detergente é um produto geralmente vendido com a promessa de ser econômico. Porém, a Ypê fez uma inovação de marca ao focar suas propagandas no fato de que ela é uma organização preocupada com o meio-ambiente. Por isso, consumidores que têm uma forte consciência ecológica vão se lembrar da Ypê na hora de comprar detergente.

Envolvimento do cliente

As inovações de envolvimento do cliente buscam criar novas maneiras de promover a interação e o diálogo entre a empresa e os clientes. Houve um tempo em que as redes sociais promoveram uma verdadeira revolução no envolvimento do cliente. Hoje, esse tipo de inovação exige uma ousadia ainda maior. A busca é por proximidade, pelo contato um a um, orgânico e autêntico.

Esses são os 10 tipos de inovação que Larry Keeley destaca. Todos são igualmente importantes e, portanto, você deve estimular seus colaboradores a encontrar maneiras de explorar todos eles. Quanto mais variedade houver na inovação, mais forte será sua vantagem competitiva. E então, qual deles já é mais presente na sua empresa? Qual deles ainda precisa de uma atenção especial da sua equipe?

Quer conhecer cases de empresas que inovam sistematicamente e são conduzidas pelas ideias da linha de frente? Baixe o nosso eBook 4 cases por Gestão de Ideias para te inspirar

Posts Relacionados
A logística tem um papel importante dentro do modelo de negócios de uma empresa. A
O trabalho não é uma realidade fixa. Ele muda com o tempo, acompanhando outras mudanças
Você já ouviu o termo "lean startup" (ou sua tradução para o português, "startup enxuta")?

Deixe uma resposta