PMBOK X Scrum! Qual é mais produtivo?

PMBOK x Scrum! Qual é mais produtivo?

Sabemos que existem aqueles gestores que têm o Guia PMBOK como livro de cabeceira. E é aí que surge um impasse com os gestores apaixonados por metodologias Ágeis (ou Agile), como o próprio SCRUM.

O PMBOK e o SCRUM não chegam nem perto de serem concorrentes, apesar da comparação. Mas, existem algumas diferenças que podem se adaptar melhor ao modelo de gerenciamento de projetos e processos.

Um debate cheio de mitos

De modo geral, o Scrum é uma das metodologias ágeis mais utilizadas no mundo, principalmente por desenvolvedores de software. Sua facilidade de compreensão e possibilidade de aplicação em projetos variados fizeram a cabeça dos gestores, principalmente devido a sua abordagem.

Já o PMBOK é um guia de melhores práticas de gerenciamento que divide grupos e processos. Ele é mais detalhado e possui um processo pré-definido do começo ao fim de um projeto.

Justamente por esta diferença existe um eterno debate repleto de muitos e muitos mitos. O Scrum não é necessariamente o mais rápido e o PMBOK nunca pode ser chamado de “mais lento”. As duas mentalidades têm seus pontos altos e nada impede que você utilize apenas os pontos mais relevantes de cada uma. Sem estresse, ou melhor ainda, sem perder o controle do PMBOK ou a agilidade do Scrum.

É por isso que viemos esclarecer as principais diferenças entre as metodologias e qual situação aplicamos o PMBOK e o Scrum.

As diferenças entre PMBOK e Scrum

Cada processo tem a sua forma de gerir os projetos e quando bem alinhados é possível utilizar as duas metodologias em um mesmo projeto. PMBOK é uma sigla e significa Project Management Book Of Knowledge (Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos). O guia de quase 600 páginas é um referencial teórico e prático para o profissional que deseja iniciar no mundo do gerenciamento de projetos. Ele mostra como planejar, executar e controlar todas as áreas e processos de um projeto com um passo a passo.

O guia reúne conhecimento de vários profissionais ao redor do mundo, possibilitando desenvolver projetos de diferentes níveis de complexidade. Nele é descrito todas as fases de um projeto, considerando o planejamento, atividade e documentos. Suas normas técnicas proporcionam uma base eficaz de gestão estratégica, podendo padronizar processos e definir diretrizes claras de gestão.

O PMBOK demanda um esforço durante um período para chegar a um determinado objetivo, obtendo a melhor experiência dentro de uma gerência de projetos. O guia consiste em um macroprocesso com pontos principais ligados entre si: iniciação, planejamento, execução, monitoramento e controle e encerramento.

Já a palavra Scrum tem origem na expressão inglesa “scrimmage” e não possui uma tradução direta para a língua portuguesa. Devido a facilidade de compreensão e possibilidade de aplicação em projetos variados, o Scrum é um dos gerenciadores ágeis mais utilizados no mundo por desenvolvedores de software. Empresas que precisam de uma gestão ou de TI mais ágil, são facilmente atraídas por ele devido a sua abordagem.

O Scrum possui papéis muito bem divididos, melhorando a integração da equipe e assim, evitando qualquer tipo de desentendimento com relação às suas respectivas responsabilidades.

Confira detalhadamente a relação de comparações abaixo:

Planejamento

Scrum: acontece em pequenos ciclos e vai diminuindo a cada etapas;
PMBOK: é detalhado do início ao fim;

Equipe

Scrum: tem autonomia para tomar decisões;
PMBOK: reporta sugestões ao gerente;

Mudanças

Scrum: por ser mais flexível aceita mudanças com mais facilidade;
PMBOK: não admite mudanças depois que a primeira fase foi concluída;

Documentação

Scrum: utiliza apenas documentos necessários para a execução do projeto;
PMBOK: registra tudo detalhadamente, desde aprovações a assinaturas;

Escopo

Scrum: abrange o âmbito geral e gera demandas de acordo com o andamento;
PMBOK: é bastante discutido e dificilmente sofre alterações depois de aprovado;

Tempo

Scrum: cronograma com entregas mensais;
PMBOK: cronograma detalhado desde o início ao fim do projeto;

Custo

Scrum: controle maior devido às alterações flexíveis;
PMBOK: monitoramento de custos para que não haja alterações;

Execução

Scrum: é renovada a cada período, reagindo às mudanças que vão surgindo;
PMBOK: planejamento rigoroso, toda mudança deve ser avaliada e discutida;

Qualidade

Scrum: desenvolve testes e programação em pares;
PMBOK: totalmente focado em validação, verificação e testes com planejamento;

Cliente

Scrum: está sempre envolvido e possui representante junto a equipe;
PMBOK: o envolvimento acontece no início para validação e no final para aprovação

Comunicação

Scrum: linguagem informal e verbal, seja com a equipe ou cliente;
PMBOK: abordagem formal, feita através de e-mails e relatórios;

Prioridades

Scrum: podem ser alteradas de acordo com o cliente e inseridas na próxima etapa;
PMBOK: definidas no começo do projeto e dificilmente alteradas;

Aquisição

Scrum: a presença do cliente e frequentes mudanças nos pedidos são um desafio;
PMBOK: possui alto controle devido escopo bem definido e documentado;

Integração

Scrum: pode ter alteração e interferência do gerente de projetos;
PMBOK: gerente possui total controle do plano;

Foco

Scrum: satisfação do cliente e produto final;
PMBOK: rigor no controle das etapas planejadas previamente;

Aprendizagem e Correções

Scrum: experiências são documentadas e avaliadas no final de cada etapa;
PMBOK: ao final de todo o projeto as experiências vão para uma auditoria;

Os mais tradicionais afirmam que o Scrum é muito complexo, pois exige uma certa disciplina e por isso acaba dificultando que os processos sejam cumpridos. Já os desenvolvedores afirmam que o PMBOK é cheio de burocracias e é apenas focado nos processos.

A ideia é entender mais a fundo o possível projeto para que ninguém perca tempo. Na hora de escolher qual dos métodos aplicar a sua gestão de projetos é necessário entender as suas complexidades. E, através desta análise, somar o melhor dos dois mundos para agregar valor para o seu cliente e a equipe envolvida no projeto.

O principal centro desta análise é entender qual processo irá fazer mais sentido para você, sua equipe e seu cliente. Se o seu perfil de relacionamento é mais flexível, permite mudanças, dá autonomia para o seu time, exige poucas burocracias e envolve o cliente do início ao fim do projeto, o Scrum funciona para você. Este método permite uma comunicação mais informal, estreitando relações entre as pessoas, além de lidar bem com as aprendizagens e correção dos erros.

Mas, se você prefere um processo mais rigoroso, extremamente detalhado, que todas as decisões passem por um gestor e deve manter uma certa distância com o cliente para não atrasar o processo, o PMBOK é o ideal. O guia pode te oferecer vantagens com um cronograma de alto controle e processos bem definidos, o que facilita na organização.

Com todas essas diferenças, fica mais claro que para saber quando aplicar o PMBOK ou o Scrum. Saber que existem projetos que, para aplicar o Scrum, é necessário ter o apoio do Guia PMBOK, que é os grandes gestores têm feito ultimamente.

Você está cansado dos modelos de gestão do passado?

Uma plataforma de gestão de inovação para acompanhar os resultados é imprescindível neste processo. Ela irá te auxiliar a potencializar os resultados e atender às solicitações de clientes com dinamismo, produtividade e flexibilidade. Seus problemas com deadline, manter requisitos de diferentes produtos e uma possível falta de integração entre o time serão resolvidos com esta metodologia.

Quer transformar seu modelo de gestão?

faça do programa de inovação da sua organização uma máquina de ideias | solicite demonstração | AEVO Innovate

Posts Relacionados
Todos insistem em dizer que sabem o que estão fazendo, por amar a própria ideia.
Não é novidade para ninguém que a gestão de projetos se tornou essencial para a
Com o cenário empresarial cada vez mais competitivo, é necessário inovar para se destacar. Buscar

Deixe uma resposta