Crowdsourcing: como funciona e exemplos para aplicar

O modelo de crowdsourcing pode trazer muitos benefícios para empresas que souberem aproveitar seu potencial. Conheça mais sobre ele!

Equipes multidisciplinares são imprescindíveis na hora de desenvolver projetos que exigem diferentes conhecimentos. Mas nem toda a empresa precisa manter de forma permanente uma equipe dessas, se a necessidade for só em momentos pontuais.

Para essas situações, o crowdsourcing pode ser um grande aliado. Se você deseja saber como funciona essa nova tendência e conhecer exemplos para aplicar no seu negócio continue com a leitura deste artigo e confira as informações a seguir.

O que é crowdsourcing?

Crowdsourcing é a junção de duas palavras em inglês: crowd e outsourcing, que significam multidão e terceirização, respectivamente. Assim, o termo pode ser entendido como uma terceirização coletiva.

Isso porque o crowdsourcing consiste em reunir um grande número de colaboradores em torno de um mesmo projeto . A ideia é que esse grande grupo seja formando por profissionais de diferentes áreas e experiências para contribuir em um projeto, similar aos squads.

Em geral, associado à resolução de um problema, pois com a ajuda de pessoas de perfis e vivências tão variadas é possível encontrar soluções que atendam um maior número de indivíduos.

O crowdsourcing trata-se ainda de um processo colaborativo, um modelo de produção ou uma construção coletiva. De todo o modo, o objetivo é juntar o máximo de ideias e criatividade para obter um resultado assertivo.

Vantagens do crowdsourcing

O crowdsourcing oferece uma série de vantagens para empresas, inclusive, no que diz respeito a encontrar soluções para problemas tanto internos quanto externos.

Esse trabalho colaborativo também ajuda a melhorar produtos e serviços e mesmo a lançá-los de modo que atenda as necessidades do seu público-alvo.

Além de atender inúmeras demandas, o crowdsourcing possui a vantagem de contar com baixo custo ou mesmo nenhum, de acordo com o modelo que for aplicado. Da mesma forma, pode trazer soluções em um curto período de tempo.

Mas um dos principais benefícios desse modelo de trabalho é o próprio fato de reunir pessoas e profissionais com distintas visões de mundo e experiências, o que tem potencial para formular soluções diferentes das que costumam aparecer.

Com o crowdsourcing, a empresa tem acesso a tendências as quais ainda desconhece e a profissionais com habilidades que a sua equipe não possui.

Todas essas vantagens oferecem mais um benefício, a possibilidade de inovar sempre e manter uma posição de destaque no mercado.

Além disso, de acordo com a forma que a construção coletiva se desenvolva, pode ser uma forma de levantar dados, que ajudem a conhecer melhor o seu público-alvo.

Quando e como devo utilizar o crowdsourcing?

O crowdsourcing é versátil, podendo ser utilizado em empresas de maneiras variadas, principalmente, quando houver a necessidade de buscar soluções diferenciadas para as questões pelas quais está passando.

Também é recomendado usar o trabalho coletivo de pessoas e profissionais de fora da empresa quando o objetivo é tornar produtos e serviços mais apropriados para o seu público consumidor, pois ele próprio participa do processo.

Lançamentos de produtos e serviços são outros momentos adequados para convocar ideias inovadoras de fora. Nesse caso, os participantes podem ser clientes fiéis da marca que experimentam o lançamento em primeira mão e oferecem o seu feedback.

Hoje em dia, já existem sites de crowdsourcing, que reúnem pessoas dispostas a testar produtos e serviços e contribuir com o seu melhoramento. Esse método de trabalho pode ajudar uma empresa até mesmo a desenvolver um novo produto, desde o início.

Além de haver a necessidade de resolver um impasse ou fazer uma escolha, o momento certo de usar o conhecimento de terceiros é quando existe o intuito de inovar com ideias que sejam realmente disruptivas.

Como implementar o crowdsourcing na empresa?

Para implementar o crowdsourcing na empresa é importante que os gestores e colaboradores que buscarem as ideias de fora estejam confortáveis com esse método. Ou seja, de receberem a colaboração de pessoas e profissionais que não sejam da equipe.

Portanto, o primeiro passo é começar a inserir na cultura organizacional da empresa o trabalho colaborativo, o que pode ser feito com a própria equipe antes de utilizar ajuda externa.

O segundo passo consiste em identificar qual área da empresa necessita da construção coletiva. Embora qualquer setor possa se beneficiar dela, em geral, marketing, vendas, TI e desenvolvimento de produtos são os mais propensos a aderir ao crowdsourcing.

Por fim, deve-se encontrar as comunidades de construção coletiva, como sites e plataformas que reúnem quem está disposto a ajudar. A própria empresa pode criar uma plataforma ou aplicativo e convidar interessados para o trabalho coletivo.

Exemplos de crowdsourcing

Há diversos exemplos de empresas que usam crowdsourcing de diferentes maneiras. Muitas delas convocam o seu público para contribuir com o melhoramento de produtos e mesmo com o seu desenvolvimento.

É o caso da Coca-Cola, que frequentemente lança concursos para que os consumidores contribuam com a criação de slogans e novas embalagens, além de premiar as melhores ideias

O McDonald’s já aderiu ao trabalho coletivo, quando a cor da sua logomarca na França mudou das tradicionais cores amarelo e vermelho para o amarelo e o verde. Além disso, na Austrália, um dos seus produtos recebeu um nome escolhido pelo público.

Já a marca italiana de automóveis Fiat possui uma plataforma, a Fiat Mio, na qual os clientes podem dar a sua opinião a respeito de um carro-conceito e que serve como base para lançamentos futuros.

O Ruffles é mais uma marca que teve a ajuda dos consumidores, que ajudaram na criação de um novo sabor das suas batatas por meio de um concurso.

Já a Harley Davidson, em 2011, lançou uma campanha para a realização de um comercial de forma coletiva. Nele, os participantes personalizam suas motos para um comercial da marca e também contribuíam com a escolha das cores para um novo modelo.

A Netflix, em 2012, por meio do crowdsourcing conseguiu desenvolver um algoritmo para melhorar o seu processo de sugestão de filmes. Com os dados que obteve, pode ainda tornar mais eficiente o seu serviço.

A Wikipedia tradicionalmente faz uso do crowdsourcing, aliás, ela só existe devido ao trabalho coletivo de pessoas que ajudam a produzir o seu conteúdo. De forma mais engajada também é a construção coletiva do Waze.

O aplicativo que mostra a condição do trânsito só funciona porque os seus usuários auxiliam na atualização das informações.

Conclusão

O crowdsourcing funciona por meio da construção coletiva e para empresas que desejam aderir a esse conceito, o primeiro passo é promover o trabalho colaborativo na sua equipe.

Para tanto, existe o AEVO Innovate, um Software de Gestão da Inovação, que permite o compartilhamento de ideias e experiências entre a sua equipe, além de diversas outras funções.

Torne a sua empresa uma referência em inovação com as soluções da AEVO.

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.