Planejamento estratégico, tático e operacional: qual a diferença?

Planejamento estratégico, tático e operacional

As atividades de planejamento para uma empresa são bem mais amplas do que os empreendedores imaginam. Depois de fazer o plano de negócios, você ainda terá outros para elaborar: planejamento estratégico, tático e operacional. O primeiro é mais conhecido, mas cada um deles tem sua função e sua importância. Neste artigo, você vai entender a diferença entre eles. 


Porque fazer um planejamento? 

Antes de descobrir a diferença entre planejamento estratégico, tático e operacional, você precisa compreender porque é necessário fazer um planejamento – ou melhor, fazer três.  

Sem dúvidas, essa atividade toma um tempo importante do empreendedor ou gestor. No entanto, esse investimento é recompensado pelo fato de que o planejamento é uma ferramenta fundamental para atingir os objetivos da organização de maneira mais ágil e eficiente. 

Você pode pensar no planejamento, de maneira geral, como um mapa para um navio. Ele mostra qual deve ser o curso de navegação para chegar ao destino rapidamente e evitar os maiores riscos.  

Um navio que conta com um mapa pode completar a viagem de forma mais rápida e com mais segurança. Um navio que não tem essa ferramenta pode acabar navegando em círculos, se afastar do seu destino ou até afundar pelo caminho. 


Planejamento Estratégico 

Planejamento estratégico é aquele que formaliza a visão para o futuro da empresa, além de sua missão e seus valores. Ele também identifica os fatores externos e internos que podem afetar a concretização da visão. 

É importante observar que, justamente por ser um planejamento que trata da estratégia do negócio, ele requer uma participação mais forte das pessoas responsáveis pela gestão, ainda que seja possível envolver toda a organização no seu desenvolvimento. Afinal, são os gestores que tomam as decisões estratégicas. 

Outro ponto de destaque é que esse é um planejamento de longo prazo. Em geral, ele visa objetivos gerais da organização para 5 a 10 anos. Consequentemente, as ações que ele prevê não são tão específicas ou detalhadas. 


Planejamento Tático 

Ao contrário do planejamento estratégico, o tático não abrange toda a organização. Ele pode ser voltado a um único departamento ou a um determinado processo.  

Seu foco é nos colaboradores da média gestão; por exemplo, os gerentes de departamentos. São eles que tomam as decisões relativas ao departamento (ou ao processo) no dia a dia, e o planejamento tático orienta essas decisões.  

Além disso, é um planejamento de médio prazo, voltado a objetivos para 1 a 3 anos. Por esse motivo, é possível prever ações com maior especificidade e detalhamento, que vão conduzir à concretização desses objetivos.  


Planejamento Operacional 

Finalmente, o planejamento operacional é voltado às tarefas, às operações da empresa. Nenhum negócio pode sobreviver se essas tarefas não são conduzidas de maneira inteligente, pois são elas que mantém as engrenagens girando. 

Como qualquer pessoa dentro de uma organização está, de alguma forma, envolvida em suas operações, esse planejamento não se limita a quem toma decisões. Pelo contrário, ele abrange todos os colaboradores. 

É um planejamento de curto prazo, isto é, focado em metas de 3 a 6 meses. Aliás, ter metas claras é fundamental para elaborar um planejamento operacional adequado. As ações previstas são muito bem delimitadas, de modo que podem ser aplicadas com assertividade. 


Leia também: Projetos de Inovação: Tudo que você precisa saber 


Como é a relação entre os planejamentos estratégico, tático e operacional? 

Como você viu, os planejamentos estratégico, tático e operacional diferem em vários pontos: nas pessoas da organização a quem se destinam, no prazo dos objetivos que visam atingir, no grau de especificidade e detalhamento das ações.  

No entanto, isso não significa que esses três tipos de planejamento não dialogam entre si. Na realidade, eles estabelecem uma relação de complementaridade; em outras palavras, são integrados e interdependentes. 

Sem um planejamento operacional que permita atingir as metas de curto prazo, não é possível atingir os objetivos de médio prazo traçados no planejamento tático. Tenha em mente que, se as tarefas do dia a dia não são executadas com eficiência e qualidade, os departamentos e processos da organização não conseguem evoluir em direção aos seus objetivos. 

Por sua vez, sem um planejamento tático que possibilite alcançar esses objetivos de médio prazo, também não é possível concretizar os objetivos de longo prazo do planejamento estratégico. Se os departamentos e processos não estão evoluindo, a organização não pode avançar para transformar sua visão de negócio em realidade.  


Conclusão 

Neste artigo, você teve a oportunidade de conhecer três tipos diferentes de planejamento: os planejamentos estratégico, tático e operacional. Também vimos que, embora diferentes, eles mantêm uma relação muito próxima de complementaridade.  

Desenvolver e seguir esses planejamentos é um fator determinante para o sucesso das empresas. Além disso, trazer a inovação para dentro de cada um deles pode ser o segredo para alcançar uma vantagem competitiva significativa no mercado. 

Quer saber como você pode incentivar a inovação nos planejamentos estratégico, tático e operacional da sua organização? Conheça o AEVO Innovate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *