Entenda o poder dos Stakeholders para a sua empresa

Poder dos Stakeholders

Algumas pessoas simplificam o conceito de Stakeholders. É muito comum escutar em empresas frases prontas sobre como o cliente vem sempre em primeiro lugar.

Esse tipo de bordão ajuda a reforçar um comportamento até positivo, mas para o sucesso real de um projeto isso não basta.

Atender às necessidades do cliente é um bom começo. No entanto, para realmente conseguir os melhores resultados em um projeto é preciso pensar muito além.

É preciso conhecer todos os públicos e, principalmente, os que serão afetados pelo seu negócio: os stakeholders.

A análise dos stakeholders é uma das fases mais importantes para o planejamento de um projeto. Neste artigo explicaremos o que são stakeholders e como fazer para identificá-los e distribuí-los em um mapa. Confira!

QUEM SÃO OS STAKEHOLDERS?

Stakeholder é uma palavra da língua inglesa que pode ser traduzida como “partes interessadas”. Eles são indivíduos, organizações, grupos ou entidades cujos interesses são afetados pelo sucesso de um negócio ou projeto. Também entra nesse grupo quem de fato afeta o sucesso de um projeto.

Logo, os clientes são stakeholders de uma empresa, mas a lista não para por aí.

Uma boa pesquisa ajuda a identificar outros stakeholders — como os concorrentes, o governo e até a imprensa. Cada projeto tem suas partes interessadas e, por isso, é importante identificar e mapear esses públicos cada vez que for começar um novo.

APRENDA A IDENTIFICAR AS PARTES INTERESSADAS

Logo na fase de escopo de um projeto é possível conhecer boa parte dos stakeholders que afetarão o sucesso dele. O primeiro passo para isso é realizar uma reunião de brainstorming. Nessa reunião é importante listar as partes interessadas com base nas premissas do projeto.

Que os stakeholders são, também, os consumidores que se beneficiarão do produto é fácil deduzir. Em uma hidrelétrica, por exemplo, a companhia estatal de distribuição de energia e os funcionários da obra também entram no grupo.

Esse brainstorming é apenas um pontapé inicial para o mapeamento de stakeholders. Além dele, vale a pena coletar mais informações a partir de pesquisas. Trabalhe a partir de públicos-alvo, especialistas e outras partes interessadas já mapeadas. Assim é mais fácil encontrar mais stakeholders.

A pequena central hidrelétrica

No caso da pequena central hidrelétrica, ao conversar com a distribuidora de energia, é possível que o gerente de projetos identifique mais stakeholders — como os funcionários que vão operar a usina, por exemplo.

Em pesquisas na região é possível encontrar exemplos esquecidos, mas tão importantes quanto. 

Voltemos ao exemplo da hidrelétrica. Nela seria possível encontrar pescadores que podem sofrer com os impactos no rio e governos municipais locais que podem temer acidentes com a barragem. Todos esses públicos precisam ser listados. Após isso será preciso elaborar estratégias específicas para lidar com cada um deles.

Entenda o poder dos Stakeholders para a sua empresa | Pessoas converrsando sobre stakeholders

À medida que o planejamento do projeto avança, é possível que mais stakeholders sejam identificados. Muitas vezes até mesmo na fase de execução pode aparecer uma parte interessada que escapou dos olhos do gerente de projetos em análises anteriores.

Logo, o mapeamento de stakeholders é um documento constantemente atualizado. Ele deve existir desde o início do projeto para que seja possível pensar a melhor forma de gerenciar as partes interessadas.

MAPEIE A INFLUÊNCIA DE CADA STAKEHOLDER

Uma vez que os stakeholders estejam listados é preciso enxergar melhor como pode ser a interferência deles no negócio ou no projeto. Para isso, é recomendado criar uma planilha com todas as partes interessadas. É daí que devemos descrever melhor quem eles são e fatores que reforçam a relevância de cada um. 

Isso pode ser feito avaliando cinco elementos. Veja quais são eles!

Identificação dos pontos de contato com o projeto.

É preciso listar coisas como, por exemplo, o momento em que o cliente interage com o produto ou serviço. Identificar e listar os pontos de contato é o primeiro passo na descrição de um stakeholder.

Identificação das influências positivas.

Aqui você deve encontrar os pontos de influência positivos em relação a cada stakeholder. Um fornecedor, por exemplo, pode colaborar com entregas no prazo.

Identificação das influências negativas

O contrário do item anterior. A imprensa pode, por exemplo, publicar matérias negativas sobre o projeto.

Quantificação do poder de influência.

Determine um valor de 1 a 10 para a capacidade de impacto de cada parte no projeto. Um boicote de uma comunidade poderia ser quantificado como 8, por exemplo.

Quantificação do interesse

Similar ao item anterior, mas aqui o objetivo é dar um valor para o interesse desse stakeholder no projeto. Um patrocinador poderia ter um grau de interesse 9 em um projeto, por exemplo.

Assim que a planilha com os stakeholders listados e descritos estiver pronta, é hora de montar o mapa com eles. A melhor forma de fazer isso é com um gráfico simples, bidimensional. Nele você deve ter o eixo vertical simbolizando o poder de influência e o horizontal o interesse do stakeholder.

Lembre-se que informações mostradas de forma visual faz com que a gestão seja mais clara e enxuta.

Com essa ilustração o gestor de projetos enxergará melhor seus públicos de interesse e poderá partir para a próxima etapa. Acompanhe como devemos definir as estratégias para lidar com cada stakeholder.

Inovação Empresarial - Faca com que a gestao do seu projeto atinja o apice - Aevo Innovate

COMO CONCILIAR TODAS AS PARTES INTERESSADAS?

 

Cada stakeholder de um projeto exige uma estratégia diferente. A recomendação é de que a lista de partes interessadas seja exaustiva e com o máximo de itens possível. É por isso que seria impossível dedicar atenção máxima a todos eles. Chegar no meio termo aqui é essencial mas sem extrapolar os esforços.

Justamente por isso existe o mapa de stakeholders. É através desse mapa que sabemos quais são aqueles com maior poder de influência no projeto e mais interesse em seu sucesso. Ou, em alguns casos, até em seu fracasso. Para começar a definir estratégias para lidar com stakeholders existem algumas dicas. A principal consiste em  pegar o mapeamento e dividi-lo em quatro quadrantes iguais.

No quadrante localizado no canto inferior esquerdo estão os stakeholders com menor interesse e grau de influência. Para esses, a estratégia principal é monitorar. Esse monitoramento, que pode ser à distância, deve analisar diversos fatores. 

Veja, principalmente, se as partes interessadas aumentaram o interesse ou influência. Se mudou de quadrante, vale reformular uma nova tática.

No quadrante do canto inferior direito ficam os stakeholders com influência baixa nos resultados, mas interesse acima da média no projeto.

E Qual é o plano?

O plano para lidar com esses grupos e indivíduos é sempre tentar mantê-los informados. No plano de comunicação do projeto é onde você deve tratar melhor sobre essas estratégias.

O quadrante superior esquerdo abriga os stakeholders com influência maior. Mas são eles os que têm pouco interesse no projeto. A melhor estratégia para lidar com esses é mantê-los satisfeitos. Ou seja, é ir além de deixá-los informados. Aqui é preciso acompanhar se suas expectativas estão sendo atendidas. A imprensa é um exemplo típico desse grupo.

Por fim, o quadrante superior direito é o local onde estão os stakeholders mais importantes de um projeto. São aqueles com muito poder de influência e alto interesse. Para lidar com esse grupo é necessário ter um gerenciamento constante.

Esses stakeholders exigem um nível máximo de acompanhamento. Atitudes como ter contato frequente e com muita transparência fazem a diferença. Funcionários, investidores, sócios e parceiros normalmente estarão nesse grupo.

É por isso que mapear os stakeholders não é uma perda de tempo em um projeto. Afinal, não ter uma estratégia adequada para todos os seus públicos afetados é assumir riscos que podem ser letais.

E então? Entendeu melhor o poder dos stakeholders no seu negócio? Consegue listar todos eles de cabeça? Compartilhe a sua lista nos comentários abaixo e veja se você não se esqueceu de ninguém!

Posts Relacionados
Todos insistem em dizer que sabem o que estão fazendo, por amar a própria ideia.
Não é novidade para ninguém que a gestão de projetos se tornou essencial para a
Com o cenário empresarial cada vez mais competitivo, é necessário inovar para se destacar. Buscar

Deixe uma resposta