5 Exemplos de inovação disruptiva: da Netflix à Rappi

Exemplos de inovação disruptiva

Existem várias empresas que são exemplos de inovação disruptiva. Se você quer que a sua obtenha os benefícios desse tipo de inovação, vale a pena olhar para esses cases e entender o processo que as permitiu gerar a ideia disruptiva e executá-la com sucesso.

Neste artigo, reunimos cinco grandes exemplos de inovação disruptiva da atualidade. Você vai entender como essas empresas, cada uma em seu mercado, conseguiu promover uma mudança profunda e obter uma forte vantagem competitiva.


Entenda a inovação disruptiva

Como existem vários tipos de inovação, é sempre importante mirar exemplos compatíveis com o tipo que você busca desenvolver em sua empresa.

No caso da inovação disruptiva, estamos falando de empresas que produziram uma solução superior, capaz de substituir os produtos e serviços que existiam antes; porém, mais do que isso, capaz de romper os paradigmas e formar novos hábitos de consumo dentro do seu mercado.

Assim, são exemplos de inovações que geram mudanças tão profundas a ponto de afetar o comportamento dos consumidores.


5 exemplos de inovação disruptiva

Vamos aos cases de sucesso. Essas empresas têm aparecido com frequência na mídia e você provavelmente utiliza as soluções de algumas (ou todas). Agora, você vai entender por que elas atraíram tanta atenção e como elas estão transformando o mercado. Veja nossos 5 exemplos de inovação disruptiva:


1. Netflix e sua inovação no setor de entretenimento

exemplos de novação disruptiva - netflix

A Netflix trouxe uma solução na forma de plataforma de streaming de vídeo que substituiu o que existia antes: as videolocadoras. Além disso, também substituiu os DVDs e Blue-rays. Hoje, pouquíssimos consumidores alugam ou compram mídia física para assistir a um filme ou série. Em vez disso, as pessoas pagam uma mensalidade para ter acesso a uma conta no software, por meio da qual elas podem assistir a uma grande variedade de filmes e séries, sem limite. É um case de SaaS – Software as a Service.

A transformação no comportamento do consumidor é visível. Antes, era preciso pagar por cada vídeo alugado ou comprado e, por isso, havia uma clara limitação financeira. Assistir filmes era um evento, e acontecia esporadicamente. Agora, não existe mais essa limitação, e os consumidores têm acesso bem mais amplo ao entretenimento em vídeo.

Você provavelmente conhece alguém que nem assiste mais à TV comum, e passa várias horas por dia explorando e “maratonando” filmes e séries. Isso tornou-se possível graças à solução da Netflix.


2. Yellow e sua disrupção no mercado da mobilidade urbana

yellow

A Yellow é uma empresa que desenvolveu uma solução de bikes e patinetes elétricos compartilhados. Por meio do aplicativo da empresa, as pessoas podiam liberar uma bicicleta para se deslocar dentro da cidade.

Hoje, as operações da Yellow no Brasil foram interrompidas, mas isso não muda o fato de que esse foi um dos grandes exemplos de inovação disruptiva dos últimos anos. A solução da Yellow permitiu que muitas pessoas pudessem se locomover de maneira mais prática, ágil, econômica e sustentável, especialmente nos grandes centros urbanos.

O usuário tem todos os benefícios de usar uma bicicleta: não ficar preso no trânsito, não ter que pagar um valor alto de combustível ou passagem, não emitir poluentes. Ao mesmo tempo, ele está livre de preocupações com a bike, como ter que cuidar das manutenções ou correr o risco de que ela seja roubada.

Enquanto as operações no Brasil duraram, muitas pessoas pararam de usar ônibus, táxis e carros de aplicativo, e passaram a realizar seus trajetos de bicicleta.


3. Nubank e sua inovação disruptiva no setor financeiro

exemplos de inovação disruptiva - nubank

O Nubank começou apenas oferecendo uma solução em cartão de crédito, embora hoje ele também ofereça uma conta digital. Desde o começo, sua proposta era um cartão sem anuidade e que pudesse ser 100% controlado pelo app. Assim, ele propunha resolver os dois maiores problemas dos cartões que já existiam: anuidade abusiva e atendimento ruim.

Em pouco tempo, muitas pessoas já tinham solicitado o “roxinho”, e aqueles que conseguiram ser aprovados, passaram a usá-lo como seu cartão primário ou até substituíram completamente os cartões de bancos tradicionais pelo da Nubank.

Hoje, a empresa tem mais de 10 milhões de clientes que usam seu cartão, além de 12 milhões que usam a Nuconta. Uma pesquisa da própria Nubank com 3,5 mil de seus clientes mostra que o roxinho foi o primeiro cartão de crédito para 20% deles; entre os clientes com 18 a 24 anos, a porcentagem sobe para 46%.

Isso mostra que a empresa levou o acesso a um cartão de crédito a pessoas que, antes, não conseguiam ter um, pois não eram aprovados pelas instituições financeiras tradicionais.


4. Zaitt e sua reconstrução do mercado tradicional

zaitt

A Zaitt é uma empresa que está avançando com a proposta do mercado inteligente, ou mercado autônomo, onde as pessoas podem entrar e fazer suas compras a qualquer hora do dia ou da noite, sem precisar passar pelo caixa. Com um aplicativo, é possível escanear os códigos dos produtos comprados e realizar o pagamento.

A proposta é permitir que as compras sejam feitas mais rapidamente. Além disso, também é mais seguro, já que não ocorrem operações com dinheiro no local. Por isso, o mercado autônomo tem potencial para, futuramente, substituir os mercados tradicionais com os quais estamos acostumados.

Embora a Zaitt esteja em um momento mais inicial do que os outros exemplos de inovação disruptiva que vimos aqui, vale a pena ficar de olho neste case, pois ele apresenta a base fundamental para estimular a mudança no comportamento dos consumidores: uma solução que oferece mais agilidade, praticidade e segurança.


5. Rappi o case disruptivo no mercado de delivery

exemplos de inovação disruptiva - Rappi

A Rappi realmente deslanchou durante a pandemia, quando a possibilidade de ter qualquer coisa entregue na sua casa tornou-se uma salvação para quem estava tentando manter o isolamento social. Um estudo da Mobills mostrou que os gastos no app de entrega em maio de 2020 apresentaram alta de 149,1% em relação a janeiro.

Antes da Rappi, o delivery era limitado a restaurantes que ofereciam o serviço ou à contratação direta de um entregador para pequenas encomendas. Com a solução que a empresa colocou no mercado, agora é possível pedir delivery de, basicamente, qualquer coisa: compras de supermercado, medicamentos da farmácia, itens personalizados.

A tendência é que os consumidores continuem utilizando a Rappi, ao invés de fazer suas próprias entregas, mesmo depois que a pandemia acabar. Afinal, a solução do aplicativo permite economizar tempo, recurso cada vez mais valorizado.

Nesse caso, a inovação disruptiva não esteve apenas em tornar uma atividade mais rápida, mas em permitir terceirizá-la completamente. Dessa forma, enquanto outra pessoa busca e traz o que você precisa, você pode passar mais tempo se dedicando ao que considera importante: família, trabalho e lazer.


Conclusão

Neste artigo, você viu cinco dos principais exemplos de inovação disruptiva, capaz de romper paradigmas e formar novos hábitos de consumo, da atualidade. A dica é acompanhar o que essas empresas vão fazer no futuro; todas elas têm um DNA de inovação muito forte e, por isso, certamente ainda vão desenvolver outras soluções com potencial disruptivo.

Quer continuar aprendendo sobre inovação e conhecer outros cases de sucesso? Acompanhe o blog da AEVO para mais conteúdos exclusivos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *