O que é Big Data e como ele funciona?

o-que-e-big-data

O Big Data é um assunto aparentemente novo, mas de muita relevância para quem está enveredando no mundo digital. Embora seja muito associado ao marketing digital, quem sabe o que é Big Data também sabe que ele pode ser aplicado nas mais diversas áreas.

Apresentar o conceito de Big Data, como ele funciona e sua estruturação é de suma importância para impulsionar a transformação digital em seus negócios. Com organização, é possível utilizar os dados armazenados para otimizar processos cotidianos a favor da empresa.


O que é Big Data?

Mesmo o Big Data sendo considerado um termo relativamente novo, o processo já era usado há algum tempo. Quando traduzimos esse termo para o português, Big significa grande, e Data, dados. Numa tradução mais aberta, podemos definir o que é Big Data como dados em grande quantidade.

Assim, o Big Data é conceituado como um sistema que extrai e interpreta um grande volume de dados, sendo eles estruturados ou não. Tais dados podem ser acessados e cruzados num processo de Business Intelligence para construir informações capazes de orientar as decisões na empresa.

Já que muitos desses dados estão disponíveis na internet, e podem ser acessados de maneira remota, eles são rastreáveis pelas organizações, que podem usá-los a seu favor.

Um exemplo bem claro é quando você pesquisa sobre um produto, e logo depois aparecem anúncios relacionados ao que estava pesquisando: isso é o Big Data em ação.

O Big Data pode cruzar informações obtidas em diversas fontes, cujo acesso é importante para qualquer empresa. Assim, ela conhecerá as reais necessidades de seus clientes e poderá atendê-los de maneira mais eficaz, aumentando a sua competitividade.


Por que o Big Data é importante?

A importância do Big Data se dá pelo fato dele possibilitar um sistema estratégico de análise de dados para as empresas. Sua finalidade não é apenas a coleta, mas também a organização e a interpretação dos dados, gerando insights sobre como agir em seguida.

O Big Data é importante para as empresas perceberem novas oportunidades de negócios que estavam escondidas, o que só ocorre a partir do cruzamento de dados, atividade que diferencia o nível de sucesso entre as empresas que trabalham com o marketing e outras iniciativas digitais.

Com o Big Data as empresas podem obter informações sobre as necessidades dos consumidores, o que agrada ou desagrada os mesmos; além de prever novas tendências no mercado, ajustar as tomadas de decisões, elevar a produtividade, descobrir novos modelos de negócios e aperfeiçoar o relacionamento com os clientes.


Tipos de dados do Big Data

Agora que você já sabe o que é Big Data e qual sua importância dentro do mercado digital, é importante conhecer os três tipos de dados que pode obter:


Enterprise data

Neste tipo os dados são concebidos pelas empresas: dados financeiros, produtividade dos funcionários, eficiência de uma fábrica, entre outros. Este tipo de dado é importante para encontrar problemas no funcionamento interno da empresa e resolvê-los o quanto antes.


Social data

Refere-se especificamente a como o indivíduo realiza pesquisas, compartilha conteúdo e interage nas mídias sociais. O Social data tem como finalidade analisar o comportamento das pessoas nas redes, apresentando formas de aperfeiçoar e direcionar sua atividade a favor da organização.


Personal data ou data of things

No personal data a coleta de dados é feita através dos objetos, como celular, TV ou carros, desde que eles estejam conectados a uma rede de internet – gerando a tão falada internet das coisas.

Dados obtidos dessa forma permitem saber, por exemplo, a localização de uma pessoa no momento da compra.

Um exemplo mais avançado são os robôs que aspiram pó, usando câmeras e sensores para navegar pelas casas. Eles podem criar uma planta da residência, permitindo que anunciantes apresentem móveis e outros recursos adequados ao local.


Estruturação dos dados

Como já foi mencionado, os dados são obtidos em grandes volumes, e por isso eles precisam de uma estruturação. Nesse aspecto, eles são classificados em dois tipos:


Dados estruturados

Os dados estruturados são organizados de forma fixa e padronizada, facilitando seu acesso e posterior análise. Um exemplo é o perfil dos clientes atendidos pela empresa, o que costumam comprar e onde moram. Tudo isso pode ser disposto num banco de dados, e acessado com alguns cliques.


Dados não estruturados

Como o nome já diz, eles não possuem uma estrutura definida, e não estão dispostos num banco de dados.

Um exemplo são os dados encontrados nas mídias sociais, como Youtube, Instagram, Facebook, entre outras. Cada foto, comentário ou curtida é um dado, e as empresas podem construir ferramentas internas ou contratar um software que possa estruturá-los.


Como o Big Data funciona?

O Big Data é feito a partir de uma comparação entre os dados coletados em diversos meios, de maneira automática, para que as decisões tomadas sejam cada vez mais racionais. O seu funcionamento é caracterizado da seguinte maneira:


Integração

Ocorre quando todos os dados coletados são extraídos e agrupados. Os dados devem “conversar” uns com os outros para que originem informações.


Gerenciamento

Como o volume de dados é grande, eles precisam ser organizados e dispostos numa plataforma de fácil acesso – geralmente na nuvem, mas também pode utilizar o armazenamento da organização, se ela possui uma estrutura adequada.


Análise

Por fim, os dados precisam ser analisados para que possam gerar insights valiosos. O processo costuma ser mais eficiente quando a força de analistas humanos e ferramentas de automatização é combinada.


Inovação com Big Data

O Big Data traz inovação em diversas áreas possibilitando o crescimento das empresas por meio do cruzamento rápido das informações.

Ele aponta oportunidades que poderiam passar despercebidas por meios tradicionais de análise, abrindo as portas para que novas iniciativas sejam tomadas. Cabe à organização agir com base nessas informações para obter seus benefícios.

A Netflix é um exemplo de inovação com Big Data, utilizando as pesquisas feitas por seus assinantes para identificar filmes, séries e até mesmo atores que eles gostariam de ver na plataforma.


Conclusão

Com a competitividade cada vez mais alta em todos os mercados, nenhuma empresa chegará muito longe operando “às cegas” enquanto suas concorrentes sabem exatamente para onde ir.

Num cenário em que a informação pode ser descrita como uma moeda de enorme valor, o Big Data é um investimento absolutamente necessário. Obter informações, no entanto, é apenas o começo: elas precisam direcionar ações práticas e inovadoras.

Nesse ponto, um software de gestão da inovação, como o AEVO Innovate, será de grande ajuda. Com ele você pode transformar as informações coletadas em projetos bem estruturados, que permitirão explorar as oportunidades identificadas a partir do Big Data.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *