Como dar feedback negativo: saiba como fazer corretamente

Todo gestor de equipes vai se deparar com questões sobre como dar feedback negativo, afinal é preciso transmitir o padrão que se espera do profissional, fazendo ele avançar, sem que isso prejudique o relacionamento entre as duas partes.

Todo gestor de equipes vai se deparar com questões sobre como dar feedback negativo, afinal é preciso transmitir o padrão que se espera do profissional, fazendo ele avançar, sem que isso prejudique o relacionamento entre as duas partes.

Esquivar-se desses momentos é uma armadilha que pode afetar toda a equipe, e até mesmo o colaborador que precisa do feedback adequado para se desenvolver.

Felizmente existem informações e técnicas para dar um feedback negativo da maneira correta, garantindo a execução das tarefas e evitando conflitos desnecessários. Saiba mais neste artigo.

O que é um feedback negativo?

Dar feedback significa fazer a devolutiva sobre ações, desempenho e comportamentos de indivíduos.

Isso deve fazer parte da rotina normal de uma empresa, e pode ser bastante animador e estimulante para um funcionário receber avaliações positivas sobre si.

No entanto, o momento não é tão agradável quando o feedback é negativo. Um feedback negativo consiste em comentar sobre pontos insatisfatórios no trabalho ou comportamento de um colaborador, e recebê-lo pode ser frustrante e desanimador, causando constrangimento em muitas pessoas.

Ainda assim, é importante que essa avaliação seja dada, pois ela é um start para que o colaborador trabalhe seus pontos fracos e expanda o seu potencial.

Se for feito de forma adequada, com empatia e a devida instrução sobre os caminhos que devem ser seguidos, o feedback negativo se transforma em uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento de um profissional.

Quando o membro da empresa compreende as devolutivas dessa maneira, estará mais aberto a recebê-las e colocar as sugestões em prática!

Como dar feedback negativo aos colaboradores?

Alguns exercícios são muito importantes para entender como dar feedback negativo. É preciso ter atenção a aspectos como empatia, timing, planejamento e, claro, aos pontos positivos também.

Veja alguns exemplos práticos sobre como agir:

Não demore a dar feedback

Se uma empresa espera muito tempo para demonstrar os pontos em que o colaborador deixa a desejar, os problemas iniciais não vão ser solucionados quando deveriam e continuarão gerando ainda mais desafios.

A questão é que os problemas acumulados provavelmente serão descarregados todos de uma vez sobre o colaborador, para quem tudo estava indo bem. Essa está longe de ser a melhor atitude para uma empresa, podendo acarretar em mais consequências negativas – que poderiam ter sido evitadas.

Expor muitos feedbacks negativos ao mesmo tempo pode gerar um grande desgaste no profissional, que receberá os avisos como uma série de reclamações fora de contexto.

Além disso, corre-se o risco de causar a impressão de transferência de culpa, afinal, a empresa não deveria ter deixado isso acontecer, não é?

Portanto, além do mal-estar que o colaborador pode sentir, a perda de confiança na liderança é outra questão que terá de ser revertida.

Aponte soluções

Dar um feedback negativo sem mostrar soluções é como apontar o dedo para o funcionário e fazer críticas vazias. Isso pode causar apenas sentimento de insegurança e perda de autoconfiança no colaborador.

É importante que, junto à avaliação, a empresa mostre também o que é desejável ser melhorado e o porquê. Isso demonstra que a organização está interessada no desenvolvimento profissional de seus membros e esse é o papel que uma boa liderança deve desempenhar.

Destaque também os pontos fortes

Mesmo que o colaborador apresente muitos pontos a serem melhorados, a empresa não deve deixá-lo enxergar apenas essas falhas. É importante apontar os aspectos positivas do seu trabalho; mas não basta simplesmente fazer elogios genéricos e em seguida completar com as críticas.

Essa manobra é bastante utilizada por líderes, então os colaboradores avaliados já estarão com o pé atrás ao ouvir as palavras bonitas, sabendo do que está por vir. Dessa forma, não irão absorver, de fato, as partes boas do discurso.

É importante contextualizar os pontos positivos destacados no discurso, como os feitos alcançados no último projeto do qual o colaborador fez parte, por exemplo.

Dessa forma, será mais fácil que o colaborador compreenda e reconheça que, embora melhorias precisem ser feitas, a sua contribuição tem sido fundamental para organização.

Tenha empatia e não leve para o lado pessoal

Dependendo do perfil de cada um, pode ser fácil levar uma crítica para o lado pessoal e levantar uma postura defensiva – que é bastante contraprodutiva, especialmente quando o objetivo é obter aprimoramento.

O colaborador precisa estar aberto ao feedback negativo para que a avaliação tenha sucesso e gere melhorias reais.

Nesse sentido, é importante o gestor focar em habilidades e competências de caráter profissional, que estejam de acordo com as ações esperadas do colaborador no exercício de sua função, para que ele ouça com mais atenção sem se ofender ou desanimar com tais apontamentos.

Mesmo que a personalidade ou o comportamento individual tenham relação com os pontos negativos, mantenha um discurso cuidadoso e não aponte para a pessoa, mas para as ações a serem melhoradas.

Crie uma rotina de feedbacks

A melhoria contínua dos colaboradores é um dos objetivos centrais dos feedbacks, principalmente se eles forem negativos, afinal essa ferramenta é capaz de alinhar o desempenho do profissional às expectativas da organização.

Para que esse aperfeiçoamento constante ocorra, a empresa deve inserir os feedbacks em suas práticas, não de maneira aleatória, mas periódica.

No devido tempo, ele se torna uma rotina à qual os colaboradores se adaptarão. Dessa forma, a recepção da análise por parte dos avaliados será mais tranquila e encontrará os funcionários com uma postura mais compreensiva e aberta para a mensagem, e não será preciso se preocupar tanto em como dar feedback negativo.

  • Alinhe expectativas e defina um PDI

Se a empresa se mostrar interessada em impulsionar a carreira dos colaboradores, o setor de RH deve fazer a Gestão de Talentos adotando um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) para efetivar esse desenvolvimento.

Nesse processo, é fundamental realizar uma análise e identificar quais competências e habilidades o profissional detém, e quais ele ainda precisa adquirir.

Os objetivos da empresa também devem estar bem claros, pois será feita a prospecção deste colaborador no futuro, tendo em mente os aspectos que ele precisa desenvolver para que as expectativas sejam alcançadas no longo prazo.

Viu só como é importante saber como dar feedback negativo aos colaboradores? Siga essas dicas e seja mais eficiente na aplicação.

Conclusão

O feedback é uma prática que precisa ser adotada na cultura de qualquer organização. Porém, isso não deve ser feito de forma impensada, especialmente quando é preciso saber como dar feedback negativo aos colaboradores.

As avaliações devem, sobretudo, estimular  a mudança e crescimento, e não o contrário; portanto transmitir essas mensagens requer empatia, tato, planejamento e direcionamento.

Quanto melhor for desenvolvida a cultura de feedback, melhor eles serão recebidos pelos colaboradores no dia-a-dia da organização.

Numa plataforma como o AEVO Innovate é possível integrar esse movimento à rotina da equipe, criando um sistema de feedbacks negativos e positivos para alinhar todos os envolvidos.

Fale com um de nossos especialistas, e descubra o que mais a AEVO pode fazer pelo seu negócio!

Deixar uma resposta

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com nossos conteúdos sobre o universo da Inovação.


    Eu li e concordo com a Política de Privacidade.